Crescimento vegetativo e potencial produtivo de fisális

Janaína Muniz, Thiago Marchi, Milton César Coldebella, Leo Rufato, Aike Anneliese Kretzschmar

Resumo


A fisális (Physalis peruviana) é uma planta exótica pertencente à família das solanáceas. Seu cultivo ainda é pouco explorado no Brasil, mas é uma nova opção de diversificação para a agricultura familiar. A planta pode chegar até dois metros de altura, adotando-se sistema de condução e práticas de poda. O objetivo foi avaliar o crescimento vegetativo das plantas e o potencial produtivo da cultura da fisális no Planalto Sul Catarinense em diferentes sistemas de condução e espaçamentos. Foram testados quatro sistemas de condução (livre, espaldeira, “X” e “V”), dois espaçamentos (3,00 x 0,50 m e 3,00 x 1,00 m, entre filas e plantas, respectivamente) e 11 períodos de avaliação durante as safras de 2008/09 e 2009/10. As plantas de fisális apresentaram comprimento médio dos ramos principais de 2,48 m de altura e diâmetro médio de 15,25 mm. Plantas de fisális conduzidas no sistema “V”, sob o espaçamento 3,00 x 1,00 m, apresentaram maior diâmetro médio dos ramos principais. Plantas conduzidas nos sistemas livre, espaldeira e “X”, com espaçamentos mais adensados (3,00 x 0,50 m), proporcionaram maior produtividade de fisális nas condições edafo-climáticas do Planalto Sul Catarinense.

Palavras-chave


Physalis peruviana L., pequenas frutas, solanácea, tutoramento, densidade de plantio.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171