Danos ao limoeiro causados por deriva simulada de herbicidas

Autores

  • Leandro Galon Professor da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Câmpus Erechim/RS
  • Clevison Luis Giacobbo Universidade Federal da Fronteira Sul, Chapecó, SC, Brasil.
  • André Ricardo Zeist Universidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente, SP, Brasil.
  • Marlon Ouriques Bastiani Três Tentos Agroindustrial S.A., Dom Pedrito, RS, Brasil.
  • Doralice Lobato de Oliveira Fischer Instituto Federal do Sul, Pelotas, RS, Brasil.
  • Ketholly Nayara Henrique Domingos Universidade Federal da Fronteira Sul, Chapecó, SC, Brasil.
  • Cesar Tiago Forte Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711932020319

Palavras-chave:

Citrus limonium, glyphosate, clomazone

Resumo

O uso de herbicidas, em especial o clomazone e o glyphosate, aplicados de modo isolado ou em mistura em tanque, é muito comum em lavouras de arroz, soja, milho e cana-de-açúcar e a deriva desses herbicidas pode ocasionar danos em espécies sensíveis cultivadas próximas. Objetivou-se com o trabalho avaliar os efeitos da deriva simulada de clomazone e glyphosate aplicados de modo isolado ou em mistura em tanque do pulverizador sobre plantas de limoeiro. O experimento foi instalado em casa de vegetação em vasos com capacidade de 15 L contendo solo peneirado. Adotou-se delineamento experimental de blocos casualizados, arranjado em esquema fatorial 3 x 5, com quatro repetições. Utilizou-se plantas com dois anos de desenvolvimento. No fator A foram alocados os herbicidas; clomazone, glyphosate e a mistura de ambos em tanque, e no B as doses decrescentes do produto comercial recomendado: 100, 75, 50, 25 e 0% para simular a deriva dos herbicidas (Clomazone®, Roundup Original® e a mistura de ambos). As variáveis avaliadas foram: fitotoxicidade aos 14, 28, 46 e 100 dias após a aplicação dos tratamentos; altura de planta, volume de copa, diâmetro de tronco do porta-enxerto, diâmetro de tronco do enxerto e diâmetro de tronco no ponto de enxertia aos 0 e 100 dias após aplicação dos tratamentos; e aos 10 e 60 dias após aplicação dos tratamentos, assimilação líquida de CO2. Dentre os herbicidas testados o que apresentou maior fitotoxicidade e menor assimilação líquida de CO2 nas plantas de limoeiro foi a mistura de glyphosate + clomazone, principalmente nas primeiras avaliações. Os incrementos do diâmetro de tronco do porta-enxerto, do ponto de enxertia e do enxerto e volume de copa não apresentaram efeitos expressivos com a deriva simulada dos herbicidas. A altura das plantas apresentou maior redução com o aumento das doses dos herbicidas, principalmente do glyphosate. Conclui-se que, há prejuízos consideráveis em plantas de limoeiro quando da ocorrência de deriva de herbicidas, principalmente pelo glyphosate e a mistura desse com clomazone.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Galon, Professor da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Câmpus Erechim/RS

Engenheiro Agronomo pela FAEM/UFPEl, Mestre em Fitossanidade pelo DFS/FAEM/UFPel, Doutor e Pós Doutor pelo DFT/UFV, e atual professor da área de Herbologia da UFFS.

Referências

BANDANA B et al. 2015. Dissipation kinetics of glyphosate in tea and tea-field under northwestern mid-hill conditions of India. Journal of Pesticide Science 40: 82-86.

CABRAL CM et al. 2017. Tolerance to the herbicide clomazone and potential for changes of forest species. Bioscience Journal 33: 897-904.

COSTA AGF et al. 2007. Effect of wind intensity, pressure and nozzles on spray drift from pre-emergence herbicide applications. Planta Daninha 25: 203-210.

COSTA NV et al. 2009. Effect of simulated glyphosate drift on the initial growth of physic nut plants. Planta Daninha 27: 1105-1110.

CUNHA JPAR. 2008. Pesticide drift simulation under different spray conditions. Ciência e Agrotecnologia 32: 1612-1621.

DRIVER KE et al. 2020. Mechanism of clomazone resistance in Leptochloa fusca spp. fasicularis to clomazone. Pesticide Biochemistry and Physiology 162: 1-5.

DUKE SO. 2018. The history and current status of glyphosate. Pest Management Science 74: 1027-1034.

DUKE SO. 2011. Glyphosate degradation in glyphosate-resistant and susceptible crops and weeds. Journal of Agricultural and Food Chemistry 59: 5835-5841.

EGAN JF et al. 2014. Herbicide drift can affect plant and arthropod communities. Agriculture, Ecosystems and Environment 185: 77-87.

FERREIRA FB et al. 2006. Consequences of simulated drift of herbicide glyphosate in flooded rice (Oryza sativa L.). Revista Brasileira de Agrociência 12: 309-312.

FORESTI ER et al. 2015. Simulação da deriva de clomazone e glyphosate em mudas de laranjeira ‘Hamlin’. Revista Brasileira de Fruticultura 37: 367-376.

FOROUZESH A et al. 2015. Classification of herbicides according to chemical family for weed resistance management strategies–an update. Weed Research 55: 334-358.

GANDOLFO MA et al. 2012. Potential for drifting of mix 2,4-D + glyphosate. Revista Brasileira de Herbicida 11: 332-338.

GIACOBBO CL et al. 2018. Simulated drift of herbicides applied alone and in tank mix in grapevine. Communications in Plant Sciences 8: 22-30.

GRAVENA R et al. 2012. Glyphosate has low toxicity to citrus plants growing in the field. Canadian Journal of Plant Science 92: 119-127.

GRAVENA R et al. 2009. Low glyphosate rates do not affect Citrus limonia (L.) Osbeck seedlings. Pest Management Science 65: 420-425.

HEMPHILL DD & MONTGOMERY ML. 1981. Response of vegetable crops to sublethal application of 2,4-D. Weed Science 29: 632-635.

IBGE. 2019. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Sistema IBGE de Recuperação Automática – SINDRA. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/protabl.asp?>. Acesso em: 16 dez. 2019.

MOHAPATRA S et al. 2017. Efficacy of pre-emergence herbicides for control of complex weed flora in transplanted rice. Indian Journal of Weed Science 49: 216-218.

OLIVEIRA RB et al. 2013. Potential of adjuvants to reduce drift in agricultural spraying. Engenharia Agrícola 34: 986-992.

OLIVEIRA JR. RS. 2011. Mecanismo de ação de herbicidas. In: OLIVEIRA JR. RS et al. Biologia e manejo de plantas daninhas. Curitiba: Omnipax. p.141-192.

RIBEIRO VHV et al. 2020. Morphoanatomical injuries in Pistia stratiotes L. (Araceae) as a result of exposure to clomazone in water. Anais da Academia Brasileira de Ciências 92: 1-15.

RIGOLI RP et al. 2008. Response of beetroot (Beta vulgaris) and carrot (Daucus carota) to simulated glyphosate and clomazone drift. Planta daninha 26: 451-456.

RODRIGUES BN & ALMEIDA FS. 2018. Guia de herbicidas. 7.ed. Londrina: Edição dos autores. 764p.

RODRIGUES EB et al. 2015. Drift of glyphosate application using backpack sprayers. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 19: 1012-1017.

RONCHI CP et al. 2005. Effect of 2,4- dichlorophenoxyacetic acid applied as a herbicide on fruit shedding and coffee yield. Weed Research 45: 41-47.

SANTOS HG et al. 2013. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3.ed. Brasília: Embrapa. 353p.

SILVA LQ et al. 2016. Modificações fisiológicas em folhas de pequi (Caryocar brasiliense) causadas pela aplicação de glyphosate. Revista Brasileira de Herbicidas 15: 184-194.

SILVA MM et al. 2018. Intoxication and physiological aspects of forage plants and weeds submitted to clomazone atmospheric waste. Planta daninha 36: 1-11.

SBCPD. 1995. Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas. Procedimentos para instalação, avaliação e análise de experimentos com herbicidas. Londrina: SBCPD. 42p.

TIMOSSI PC & ALVES PLCA. 2001. Effects of clomazone drift, sprayed alone or in mixture with ametryn, on the productive characteristics of hamlin orange. Planta Daninha 19: 295-304.

WAGNER JR. A et al. 2008. Drift Simulation of glyphosate commercial formulations on yellow passion fruit growth. Planta Daninha 26: 677-683.

Downloads

Publicado

2020-09-30

Como Citar

GALON, L.; GIACOBBO, C. L.; ZEIST, A. R.; BASTIANI, M. O.; FISCHER, D. L. de O.; DOMINGOS, K. N. H.; FORTE, C. T. Danos ao limoeiro causados por deriva simulada de herbicidas. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 19, n. 3, p. 319 - 328, 2020. DOI: 10.5965/223811711932020319. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/16804. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)