Crescimento de bananeiras micropropagadas em função do substrato e adubo de liberação controlada

Filipe Almendagna Rodrigues, Frederico Henrique da Silva Costa, Moacir Pasqual

Resumo


O objetivo do presente trabalho foi avaliar o crescimento de bananeiras micropropagadas cv. BRS FHIA-18 em condições de casa de vegetação com uso de Basacote® e substratos. Para a instalação do experimento, foram utilizadas bananeiras micropropagadas cv. BRS FHIA-18. Os tratamentos foram constituídos de concentrações de Basacote® (0; 3; 6 e 9 kg m-3 de substrato) e substratos: Plantmax® HT, Plantmax® HT + casca de arroz carbonizada (CAC) e terra de subsolo + CAC. Após 90 dias do transplantio, foram avaliados altura de planta (cm), comprimento do sistema radicular (cm), número de raízes e relação entre massa seca (g) da parte aérea e raízes. O substrato Plantmax® HT acrescido de 3 kg m-3 de Basacote® é o mais indicado visando o melhor crescimento de bananeiras cv. BRS FHIA-18 na fase de aclimatização.


Palavras-chave


Musa spp., adubação, aclimatização.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBIZAN EL et al. 2002. Produção de mudas de cafeeiro em tubetes associada a diferentes formas de aplicação de fertilizantes. Ciência e Agrotecnologia 26: 1471-1480.

CARON BO et al. 2004. Crescimento da alface em diferentes substratos. Revista de Ciências Agroveterinárias 3: 97-104.

DEL QUIQUI EM et al. 2004. Crescimento e composição mineral de mudas de eucalipto cultivadas sob condições de diferentes fontes de fertilizantes. Acta Scientiarum. Agronomy 26: 293-299.

FAO. 2015. Food and Agriculture Organization of the United Nations. Perspectivas Agrícolas 2015-2024, Paris: OECD.150p.

FERREIRA DF. 2011. SISVAR: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia 35: 1039-1042.

GÜBBÜK H & PEKMEZCI M. 2004. In vitro propagation of some new banana types (Musa spp.). Turkish Journal of Agriculture and Forestry 28: 355-361.

MURASHIGE T & SKOOG F. 1962. A Revised medium for rapid growth and bio assays with tobacco tissue cultures. Physiologia Plantarum 15: 473-497.

REETZ ER et al. 2015. Anuário Brasileiro da Fruticultura 2015. Santa Cruz do Sul: Editora Gazeta. 104p.

SERRANO LAL et al. 2004. Efeito de sistemas de produção e doses de adubo de liberação lenta no estado nutricional de porta-enxerto cítrico. Revista Brasileira de Fruticultura 26: 524-528.

SILVA SO et al. 2003. Programa de melhoramento de bananeira no Brasil: resultados recentes. Cruz das Almas: EMBRAPA. 36p. (Documentos 123).

SILVA RP et al. 2001. Influência de diversos substratos no desenvolvimento de mudas de maracujazeiro azedo (Passiflora edulis sims f. flavicarpa DEG). Revista Brasileira de Fruticultura 23: 377-381.

SOUZA AS et al. 2000. Produção de mudas. In: CORDEIRO ZJM. (Org.). Banana. Produção: aspectos técnicos. Brasília: Embrapa p.39-46.

SOUZA JÚNIOR EE et al. 2001. Efeitos de substratos e recipientes na aclimatação de plântulas de abacaxizeiro [Ananas comosus (L.) Merril] cv. Pérola. Pesquisa Agropecuária Tropical 31: 147-151.

YAMANISHI OK et al. 2004. Efeito de diferentes substratos e duas formas de adubação na produção de mudas de mamoeiro. Revista Brasileira de Fruticultura 26: 276-279.

ZIETEMANN C & ROBERTO SR. 2007. Produção de mudas de goiabeira (Psidium guajava L.) em diferentes substratos. Revista Brasileira de Fruticultura 29: 137-142.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/223811711812019146

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171