Controle de doenças foliares na aveia branca e danos na produção em resposta à dose e ao número de aplicações de fungicida

João Marinho Nerbass Junior, Ricardo Trezzi Casa, Fernando Gava, Amauri Bogo, Paulo Roberto Kuhnem Junior, Jhonata Marcel Bolzan

Resumo


A ferrugem da folha e a helmintosporiose são doenças foliares que afetam o rendimento de grãos e componentes da aveia branca. O objetivo deste trabalho foi quantificar os danos causados pelas duas doenças, considerando um patossistema múltiplo, no rendimento de grãos, massa de mil grãos e peso do hectolitro, bem como determinar a porcentagem de controle destas doenças em resposta ao número (uma duas e quatro) e dose (½, ¾ e dose indicada) de aplicação do fungicida piraclostrobina + epoxiconazole, nas cultivares de aveia branca UPFA 20 Teixeirinha e UPFA 22 Temprana. Os experimentos foram conduzidos na safra agrícola de 2006, em área de rotação de culturas, e na safra de 2007, em área de monocultura. Cada experimento constou de 10 tratamentos, distribuídos em blocos ao acaso, com quatro repetições. A intensidade das doenças foi quantificada entre os estádios fenológicos de início do afilhamento e de grão em massa dura. Os dados de incidência e severidade foliar foram usados para calcular a área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD). A doença predominante nas duas safras e em ambas as cultivares até o início do florescimento foi a helmintosporiose. A ferrugem da folha teve sua intensidade aumentada nos estádios subseqüentes. Os danos no rendimento de grãos, massa de mil grãos e peso do hectolitro foram maiores na safra de 2007 para as duas cultivares, com valores percentuais variando, respectivamente, de 5,46% a 50,30%, 3,56% a 32,72%, 1,49% a 7,20% na cultivar UPFA 20, e de 11,10% a 48,45%, 2,08% a 26,01%, 1,88% a 11,51% para cultivar UPFA 22. Os valores de AACPD indicaram maior intensidade das doenças em 2007, possivelmente pela maior disponibilidade de inóculo no sistema de monocultura. A cultivar UPFA 20 foi mais suscetível às doenças. No entanto, apresentou maiores valores dos componentes de rendimento. O controle das doenças foi maior nas duas cultivares na safra 2007, atingindo 86,74% e 85,90% para UPFA 20 e UPFA 22, respectivamente. O maior retorno econômico do controle químico para safra de 2006 nas duas cultivares ocorreu com duas aplicações do fungicida na dose indicada, e na safra de 2007 com quatro aplicações.

Palavras-chave


Avenna sativa, controle químico, Puccinia coronata, Drechslera avenae.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171