Adequação da densidade de plantas à época de semeadura em milho irrigado

Paulo Regis Ferreira da Silva, Alexandre Tadeu Piana, Leonardo Barreto Maass, Michael da Silva Serpa, Luís Sangoi, Vladirene Macedo Vieira, Paulo César Endrigo, Douglas Batista Jandrey

Resumo


O objetivo deste trabalho foi determinar a densidade mais adequada nas semeaduras precoce e tardia de milho irrigado, em regiões com longa estação estival de crescimento. Foram conduzidos dois experimentos em Eldorado do Sul, RS. O primeiro foi implantado em 22/08/2006 (semeadura precoce). Nele foram testados os híbridos D 2B587 e NB 4214, em quatro densidades (55, 73, 91 e 110 mil pl ha-1). O segundo foi instalado em 07/12/2007 (semeadura tardia) e testou os híbridos D 2B587 e AS 1565, em quatro densidades (45, 60, 75, e 90 mil pl ha-1). Na semeadura precoce, o rendimento de grãos aumentou com o incremento na densidade até valores compreendidos entre 9,4 e 11 pl m-2, dependendo do híbrido. Quando o milho foi semeado em agosto, seu rendimento superou a 15 t ha-1 nas densidades mais altas. Na semeadura tardia, as maiores produtividades oscilaram entre 10 e 11 t ha-1 e foram obtidas na densidade de 9 pl m-2. O potencial de rendimento do milho irrigado é atingido com o uso de densidades elevadas, independentemente da época de semeadura.

Palavras-chave


Zea mays L.; Práticas de manejo; Produtividade de grãos; Arranjo de plantas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171