Severidade de Alternaria helianthi na cultura do girassol em diferentes espaçamentos e população de plantas

Fernando Cesar Bauer, Amanda Emy Gonçalves, Alberto Kazushi Nagaoka

Resumo


O objetivo da pesquisa foi avaliar a severidade da mancha-de-alternaria (Alternaria helianthi) na cultura do girassol semeado em diferentes densidades populacionais. Os experimentos foram conduzidos na Fazenda Experimental da Ressacada, em Florianópolis, SC, no ano agrícola 2009/2010. A semeadura foi efetuada com espaçamento de 0,5 e 1,0 m entre as linhas de plantio, mantendo-se 3,7; 4,9; 5,7 e 6,6 plantas por metro, resultando em 74 mil, 98 mil, 114 mil, 132 mil plantas por hectare para 0,5 m entre as linhas de plantio e 37 mil, 49 mil, 57 mil e 66 mil plantas por hectare para o espaçamento de 1,0 m. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso, em esquema fatorial 4 x 2 (quatro densidades de semeadura e dois espaçamentos entre linhas) com três repetições. A severidade foi avaliada com base em escala diagramática específica para mancha-de-alternaria em girassol. Os resultados indicaram não haver interação entre os fatores espaçamento entre linhas e densidade de semeadura na severidade da mancha-de-alternaria, mas mostraram haver efeito da densidade de plantio na severidade da doença, com os níveis de severidade aumentando juntamente ao aumento no número de plantas na linha de plantio, para os dois espaçamentos utilizados.

Palavras-chave


Hellianthus annuus; Densidade de semeadura; ancha-de-alternaria.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171