Qualidade e eficiência de produtos naturais no tratamento preservativo das madeiras de Araucaria angustifolia, Eucalyptus viminalis e Pinus taeda

Autores

  • Magnos Alan Vivian Universidade Federal de Santa Catarina, Curitibanos, SC, Brasil
  • Évelyn Janaina Grosskopf Universidade Federal de Santa Catarina, Curitibanos, SC, Brasil
  • Gláucia Cota Nunes Universidade Federal de Santa Catarina, Curitibanos, SC, Brasil
  • Adriana Terumi Itako Universidade Federal de Santa Catarina, Curitibanos, SC, Brasil
  • Karina Soares Modes Universidade Federal de Santa Catarina, Curitibanos, SC, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711912020035

Palavras-chave:

preservação da madeira, apodrecimento acelerado, tanino, óleo de nim, tall oil

Resumo

A madeira, devido sua constituição orgânica, é altamente suscetível a agentes biodeterioradores, tornando-se essencial o tratamento preservativo àquelas que apresentam baixa durabilidade natural. Atualmente, os principais produtos utilizados no tratamento preservativo da madeira são o CCA e o CCB, os quais em razão da sua constituição são tóxicos ao meio ambiente e a saúde humana. Frente à essa situação, torna-se essencial o desenvolvimento de estudos acerca de produtos naturais que apresentem ação biocida, podendo assim ser utilizado no tratamento de madeira, conferindo maior proteção e aumentando a vida útil da peça. Levando em consideração esta perspectiva, o presente estudo teve por objetivo avaliar a qualidade (penetração e retenção) e eficiência de preservantes naturais aplicados no tratamento das madeiras de Araucaria angustifolia, Eucalyptus viminalis e Pinus taeda, submetidas ao apodrecimento acelerado em condições de laboratório. As madeiras das três espécies foram submetidas ao tratamento preservante com tanino, tall oil e óleo de nim, utilizando o método de imersão rápida a frio, na concentração de 5% do produto preservante, por cinco minutos. Na sequência foram avaliadas através do ensaio de apodrecimento acelerado sob à ação dos fungos apodrecedores Trametes versicolor e Gloeophyllum trabeum, seguindo as recomendações das normas ASTM D 2017 (2005) e ASTM D 1413 (1999). Com base nos resultados, observou-se que a madeira de P. taeda exibiu a melhor penetração aos preservantes óleo de nim e tall oil. O tanino retratou penetração vascular para as três espécies. Os melhores valores de retenção foram das madeiras de A. angustifolia e P. taeda, para todos os tratamentos aplicados. Quanto a eficiência, em comparação aos resultados encontrados para as outras espécies, todos os tratamentos foram eficientes para a madeira de P. taeda quando em contato ao fungo de podridão parda (G. trabeum).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AHN SH et al. 2008. Efficacy of wood preservatives formulated from okara with copper and/or boron salts. Journal Wood Science 54: 495-501.

AMARAL LS. 2012. Penetração e retenção do preservante em Eucalyptus com diferentes diâmetros. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia da Madeira). Lavras: UFLA. 81p.

ASTM. 2005. American Society for Testing and Materials. Standard test method for accelerated laboratory test of natural decay resistance of wood: ASTM D 2017. West Conshohocken, 5p.

ASTM. 1999. American Society for Testing and Materials. Standard test method for wood preservatives by laboratory soil-block cultures: ASTM D 1413. West Conshohocken: ASTM. 7p.

BALLARIN AW & PALMA HAL. 2003. Propriedades de resistência e rigidez da madeira juvenil e adulta de Pinus taeda L. Árvore 27: 371-380.

BELTRAME R et al. 2010. Propriedades físico-mecânicas da madeira de Araucaria angustifolia (Bertol.) em três estratos fitossociológicos. Ciência da Madeira 1: 54-69.

BOSSARDI K. 2014. Tall oil e seus subprodutos: alternativas como preservantes para madeira. Tese (Doutorado em Engenharia Mecânica). Guaratinguetá: UNESP. 73p.

CARVALHO SM & FERREIRA DT. 1990. Santa Bárbara contra vaquinha. Ciência Hoje 11: 65-67.

CASTELLANI A. 1964. The “water cultivation” of pathogenic fungi. Institute of Tropical Medicine 44: 217-220.

DIAS KB & BARREIROS RM. 2017. Potentiality of tall oil as preservative for wood. Chemical and Biomolecular Engineering 2: 180-183.

DURLO MA. 1991. Tecnologia da madeira: peso específico. Santa Maria: UFSM. 29p. (Série Técnica 8).

FRIGERI JV et al. 2017. Determinação da densidade aparente para as espécies florestais Araucaria angustifolia e Eucalyptus spp. In: Semana de Aperfeiçoamento em Engenharia Florestal da UFPR, Anais... Curitiba: UFPR. 1p.

HYVÖNEN A et al. 2005. Tall oil/water – emulsions as water repellents for Scots pine sapwood. European Journal of Wood and Wood Products 64: 68-73.

IWAKIRI S et al. 2013. Evaluation of the use potential of nine species of genus Eucalyptus for production of veneers and plywood panels. Cerne 19: 263-269.

KLOCK U. 2000. Qualidade da madeira juvenil de Pinus maximinoi H.E. Moore. Tese (Doutorado em Ciências Florestais). Curitiba: UFPR. 291p.

LOPES CSD. 2007. Caracterização da madeira de três espécies de eucalipto para uso em movelaria. Dissertação (Mestrado em Recursos Florestais). Piracicaba: USP. 88p.

MACHADO GO et al. 2006. Preservante natural de madeira para uso na construção civil – óleo de Neem. Minerva 3: 1-8.

MARTÍNEZ AT et al. 2005. Biodegradation of lignocellulosics: microbial, chimical, and enzymatic aspects of the fungal attack of lignin. International Microbiology 8: 195-204.

MELCHIORETTO D & ELEOTÉRIO JR. 2003. Caracterização, classificação e comparação da madeira de Pinus patula, P. elliottii e P. taeda através de suas propriedades físicas e mecânicas. In: Congresso Regional de Iniciação Científica e Tecnológica. Anais... Blumenau: FURB. p.1-5.

MENDES AS & ALVES MVS. 1988. Degradação da madeira e sua preservação. Brasília: IBDF/DPq-LPF. 56p.

MORESCHI JC. 2014. Biodegradação e preservação da madeira: fatores que afetam a qualidade do tratamento preservativo da madeira maciça. Curitiba: UFPR. 161p. (Material Didático).

PANOV D & TERZIEV N. 2010. Plant oils as “green” substances for wood protection. In: International Conference on Environmentally-Compatible Forest Products. Anais... Porto: ECOWOOD. p.143-149.

PAES JB et al. 2012. Eficiência dos óleos de nim (Azadirachta indica A. Juss.) e mamona (Ricinus communis L.) na resistência da madeira de sumaúma (Ceiba pentandra (L.) Gaerth) a fungos xilófagos em simuladores de campo. Ciência Florestal 22: 617-624.

PROCITROPICOS. 2014. Programa Cooperativo de Investigación, Desarrollo e Innovación Agrícola para los Trópicos Suramericanos. Compostos Fenólicos. Disponível em: <https://procitropicos.org.br/articulo/artigo-compostos-fenolicos-en-portugues/>. Acesso em: 27 set. 2018.

ROLIM MB & FERREIRA M. 1974. Variação da densidade básica da madeira produzida pela Araucaria angustifolia (BERT.) O. Kuntze em função dos anéis de crescimento. IPEF 9: 47-55.

SALES-CAMPOS C et al. 2003. Estudo da variabilidade da retenção do preservante CCA tipo A na madeira de Brosimum rubescens Taub. Moraceae - (pau-rainha) uma espécie madeireira da região amazônica. Árvore 27: 845-853.

SINGH T & SINGH AP. 2011. A review on natural products as wood protectant. Wood Science and Technology 46: 851-870.

SOARES CHL. 1998. Estudos mecanísticos de degradação de efluentes de indústrias de papel e celulose por fungos basidiomicetos degradadores de madeira. Tese (Doutorado em Química Orgânica). Campinas: UNESP. 120p.

SOUZA RV & DEMENIGHI AL 2017. Tratamentos preservantes naturais de madeiras de floresta plantada para a construção civil. Mix Sustentável 3: 84-92.

STURION JA et al. 1988. Qualidade da madeira de Eucalyptus viminalis para fins energéticos em função do espaçamento e idade de corte. Colombo: Embrapa. 5p. (Boletim de Pesquisa Florestal 16).

TEIXEIRA JG et al. 2015. Eficiência do óleo de neem e dos resíduos de candeia sobre a inibição do desenvolvimento de fungos xilófagos. Scientia Forestalis 43: 417-426.

TEMIZ A et al. 2008. Decay resistance of wood treated with boric acid and tall oil derivates. Bioresource Technology 99: 2102-2106.

VIVIAN MA et al. 2012. Qualidade do tratamento preservativo em autoclave para a madeira de Eucalyptus grandis e Eucalyptus cloeziana. Scientia Forestalis 40: 445-453.

WANG SY et al. 2005. Antifungal activities of essential oils and their constituents from indigenous cinnamon (Cinnamomum osmophloeum) leaves against wood decay fungi. Bioresource Technology 96: 813-818.

Downloads

Publicado

2020-04-03

Como Citar

VIVIAN, Magnos Alan; GROSSKOPF, Évelyn Janaina; NUNES, Gláucia Cota; ITAKO, Adriana Terumi; MODES, Karina Soares. Qualidade e eficiência de produtos naturais no tratamento preservativo das madeiras de Araucaria angustifolia, Eucalyptus viminalis e Pinus taeda. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 19, n. 1, p. 35–47, 2020. DOI: 10.5965/223811711912020035. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/14720. Acesso em: 25 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)