Infestação de plantas daninhas e produtividade de milho afetadas por épocas de dessecação de coberturas de inverno

Alvadi Antonio Balbinot Junior, Cristiano Nunes Nesi, Anibal de Moraes, Rogério Luiz Backes

Resumo


A presença de palha sobre o solo pode exercer expressiva supressão à emergência e ao crescimento de plantas daninhas no sistema de plantio direto. A capacidade da palha em suprimir infestações de plantas daninhas na cultura de milho depende do momento de dessecação da cobertura vegetal, em relação à semeadura da cultura. O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos de coberturas de inverno dessecadas em diferentes épocas sobre a infestação de plantas daninhas estivais e sobre a produtividade de milho semeado em sucessão. Foi conduzido um experimento em Papanduva, SC, no delineamento de blocos casualizados. Avaliaram-se sete coberturas de inverno: aveia preta, azevém, centeio, ervilhaca, nabo forrageiro, consórcio de aveia preta e ervilhaca e consórcio de aveia preta, azevém, centeio, ervilhaca e nabo forrageiro. Essas coberturas foram dessecadas 1 e 27 dias antes da semeadura do milho, o qual foi mantido na presença e na ausência de interferência de plantas daninhas. O nabo forrageiro e a ervilhaca produziram palha com baixo potencial de supressão de plantas daninhas. A dessecação antecipada, aos 27 dias antes da semeadura do milho, favoreceu a infestação de plantas daninhas na cultura. Sob ausência de interferência de plantas daninhas, não houve efeito de coberturas de inverno e épocas de dessecação sobre a produtividade de milho.

Palavras-chave


Zea mays interferência, plantas daninhas, plantio direto.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171