Enraizamento de estacas apicais, medianas e basais de Piper aduncum L. em diferentes substratos

Erik Nunes Gomes, Diones Krinski

Resumo


Piper aduncum L. (Piperaceae), é uma espécie aromática nativa da América Tropical. O alto teor do composto dilapiol no óleo essencial atribui à espécie grande potencial econômico em função de sua comprovada ação inseticida em importantes pragas agrícolas. A domesticação e cultivo da espécie, visando a padronização da qualidade do óleo essencial, passa pela etapa de produção de mudas, na qual são escassas as informações técnicas e científicas. Nesse sentido, objetivou-se com o presente trabalho avaliar o enraizamento de estacas caulinares coletadas das posições apical, mediana e basal de ramos plagiotrópicos de P. aduncum em solo peneirado, substrato comercial (composto de casca de pinus, turfa, vermiculita expandida e enriquecido com macro e micronutrientes) e vermiculita de granulometria média. As estacas foram mantidas sob nebulização intermitente por 45 dias até a avaliação do experimento. Não houve interação significativa entre substratos e tipos de estaca. Avaliando os fatores isoladamente, observaram-se maiores porcentagens de enraizamento em estacas apicais (17,4%) em relação às basais (6,9%). Verificou-se também maiores número, comprimento e massa fresca de raízes nas estacas da porção apical. O substrato não influenciou o enraizamento das estacas de P. aduncum.


Palavras-chave


dilapiol, Pimenta-de-macaco, Piperaceae, Propagação vegetativa.

Texto completo:

PDF (English)

Referências


BISCHOFF AM et al. 2017. Enraizamento de estacas de erva-baleeira em função de diferentes concentrações de ácido indol butírico e número de folhas. Revista de Ciências Agroveterinárias 16: 41-47.

CUNHA ALB et al. 2015. Propagação vegetativa de estacas de Piper hispidum Sw. em diferentes substratos. Revista Brasileira de Plantas Medicinais 17: 685-692.

DOUSSEAU S. 2009. Propagação, características fotossintéticas, estruturais, fitoquímicas e crescimento inicial de Piper aduncum L. (Piperaceae). Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal). Lavras: UFLA. 129p.

FAZOLIN M et al. 2006. Potencialidades da pimenta-de-macaco (Piper aduncum L.): características gerais e resultados de pesquisa. 1.ed. Rio Branco: Embrapa Acre. 53p.

GAIA JMD et al. 2010. Spiked pepper: selection of clones toward cropping on the edaphoclimatic conditions from Belém, Brazil. Horticultura Brasileira 28: 418-423.

HARTMANN HT et al. 2011. Plant propagation. Principles and practices. 8.ed. Boston: Prentice Hall. 915p.

KRINSKI D & FOERSTER LA. 2016. Toxicity of essential oils from leaves of Piperaceae species in rice stalk stink bug eggs, Tibraca limbativentris (Hemiptera: Pentatomidae). Ciência e Agrotecnologia 40: 676-687.

LIMA RLS et al. 2010. Comprimento das estacas e parte do ramo para formação de mudas de pinhão-manso. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 14:1234-1239.

LORENZI H & MATOS FJA. 2008. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas. 2.ed. Nova Odessa: Plantarum. 544p.

MATTANA RS et al. 2009. Propagação vegetativa de plantas de pariparoba [Pothomorphe umbellata (L.) Miq.] em diferentes substratos e número de nós das estacas. Revista Brasileira de Plantas Medicinais 11: 325-329.

NUNES-GOMES E & KRISNKI D. 2016a. Propagação vegetativa de Piper amalago L. (Piperaceae) em função de tipos de estaca e substratos. Cultura Agronômica 25: 199-210.

NUNES-GOMES E & KRISNKI D. 2016b. Propagação vegetativa de Piper umbellatum L. (Piperaceae) em função de substratos e comprimentos de estacas. Scientia Agraria 17: 31-37.

PACHECO FV et al. 2016. Essential oil of monkey-pepper (Piper aduncum L.) cultivated under different light environments. Industrial Crops and Products 85: 251-257.

SANINI C et al. 2017. Essential oil of spiked pepper, Piper aduncum L. (Piperaceae), for the control of caterpillar soybean looper, Chrysodeixis includens Walker (Lepidoptera: Noctuidae). Brazilian Journal of Botany 40: 399-404.

SARNAGLIA JUNIOR VB et al. 2014. Diversidade de Piperaceae em um remanescente de Floresta Atlântica na região serrana do Espírito Santo, Brasil. Biotemas 27: 49-57.

SILVA AL et al. 2013. Rendimento e composição do óleo essencial de Piper aduncum L. cultivado em Manaus, AM, em função da densidade de plantas e épocas de corte. Revista Brasileira de Plantas Medicinais 15: 670-674.

SILVA FAS & AZEVEDO CAV. 2016. Comparison of means of agricultural experimentation data through different tests using the software Assistat. African Journal of Agricultural Research 11: 3527-3531.

SOUSA PJC et al. 2008. Avaliação toxicológica do óleo essencial de Piper aduncum L. Revista Brasileira de Farmacognosia 18: 217-221.

TURCHEN LM et al. 2016. Toxicity of Piper aduncum (Piperaceae) essential oil against Euschistus heros (F.) (Hemiptera: Pentatomidae) and non-effect on egg parasitoids. Neotropical entomology 45: 604-611.

ZUFFELLATO-RIBAS KC & RODRIGUES JD. 2001. Estaquia: uma abordagem dos principais aspectos fisiológicos. Curitiba: Editora UFPR. 39p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/223811711732018435

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171