Corpo, espaço arquitetônico e cidade: experiências performativas no Centro Cultural São Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103452022e0112

Palavras-chave:

Corpo, Dança, Contextual, Arquitetura, Cidade

Resumo

O presente artigo parte de experiências performativas do projeto Corpo e Paisagem, realizado no Centro Cultural São Paulo (CCSP), para refletir sobre as relações ali traçadas entre corpo, espaço arquitetônico e cidade. A partir da contextualização histórica da construção do CCSP e de seu projeto arquitetônico, o texto busca compreender como as experiências sensoriais do projeto Corpo e Paisagem proporcionaram uma leitura sensível dos espaços, a fim de percebê-los não apenas em suas evidências, como também em suas entrelinhas. Ao acessar uma espécie de inconsciente da arquitetura, as criações contextuais resultantes do projeto desenharam possibilidades de ação e ocupação dos espaços não reprodutoras de valores patriarcais, colonialistas e capitalistas presentes nas formas arquitetônicas e em suas regras de uso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laila Renardini Padovan, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Artes da Cena do Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Mestre em Psicologia Clínica no Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo `(USP). Artista e pesquisadora da dança, desenvolve criações contextuais em paisagens urbanas e da natureza, investigando novas formas de relação entre artista e espectador. É fundadora e integrante da Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros.

Referências

ALICE, Tania; ARAÚJO, Antônio. A Ação Disruptiva no Espaço Urbano: Um Treinamento Ativista. In: ALICE, Tania. Performance como Revolução dos Afetos. São Paulo: Annablume, 2016, p.77-85.

ANSELONI, C. C. Centro Cultural São Paulo: En tiempos de represión y desarrollo urbano. In: Registros, Vol. 14 (1), enero-junio, p.48-60, 2018. Disponível em: https://revistasfaud.mdp.edu.ar/registros/article/view/207. Acesso em: 28 out. 2022.

BACHELARD, Gaston. A Poética do Espaço. Coleção Os Pensadores. Ed. Victor Civita. Trad. Antônio da Costa Leal e Lídia do Valle Santos Leal. São Paulo: Abril Cultural, 1974, p.181-354.

BARDET, Marie. A Filosofia da Dança: um encontro entre dança e filosofia. Trad. Regina Schöpke e Mauro Baladi. São Paulo: Martins Fontes – selo Martins, 2014.

BESSE, Jean-Marc. O Gosto do Mundo: Exercícios de Paisagem. Trad. Annie Cambe. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2014.

CALDAS, Paulo e GADELHA, Ernesto (org.). Dança e Dramaturgias. Trad. Nathália Mello, Rosa Ana Druot de Lima, Sylvain Druot. Fortaleza: São Paulo: Nexus, 2016.

CARERI, Francesco. Caminhar e Parar. Trad. Aurora Fornoni Bernardini. São Paulo: Gustavo Gili, 2017.

CARERI, Francesco. Walkscapes: O Caminhar como Prática Estética. Trad. Frederico Bonaldo. São Paulo: Editora Gustavo Gili, 2013.

CARREIRA, André. Teatro de invasão do espaço urbano: a cidade como dramaturgia. São Paulo: Hucitec, 2019.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano: 1. Artes de Fazer. Trad. Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Vozes, 11a. Edição, 2005.

DARDEL, Eric. O Homem e a Terra: natureza da realidade geográfica. Trad. Werther Holzer. São Paulo: Perspectiva, 2015.

DEBORD, Guy. Théorie de la dérive. In: Internationale Situationniste, núm. 2. Paris, 1958.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Vol. 5. Trad. Peter Pal Pelbart e Janice Caiafa. São Paulo: Editora 34, 1997.

FERRER, M. C. Olhar para aquilo que não se vê. Ensaio sobre uma poética das distâncias nas práticas cênicas de Lia Rodrigues e Antônio Araújo. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, p.1-24, 2020.

DOI: 10.5965/14145731023820200014. Disponível em:

https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18277.

Acesso em: 28 out. 2022.

HALL, Edward T. A Dimensão Oculta. Trad. Sônia Coutinho. Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora S. A., 1977.

JACQUES, Paola B. Elogio aos Errantes. 2a. Edição – Salvador: EDUFBA, 2014.

JACQUES, Paola B. O Grande Jogo do Caminhar. In: CARERI, F. Walkscapes: O Caminhar como Prática Estética. Trad. Frederico Bonaldo. São Paulo: Editora G. Gili, 2013, p.07-16.

KONRATH, G. FÁBULAS E FRONTEIRAS NA POÉTICA URBANA DE FRANCIS ALŸS. Palíndromo, Florianópolis, v. 9, n. 18, p.106-127, 2017. Disponível em:<https://www.revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/10489>. Acesso em: 28 out. 2022.

KERN, Leslie. Cidade Feminista. A luta pelo espaço em um mundo desenhado por homens. Trad. Thereza Roque da Motta. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2021.

LEPECKI, André. Planos de Composição. In: GREINER, Christine; SANTO, Cristina E.; SOBRAL, Sonia (Org.). Cartografia Rumos Itaú Cultural Dança 2009-2010: Criações e Conexões. São Paulo: Itaú Cultural, 2010, p.13-20.

LEPECKI, André. Coreopolítica e Coreopolícia. In: Ilha, v. 13, n. 1, jan./jun., p. 41-60, 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-8034. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/2175-8034.2011v13n1-2p41>. Acesso em: 28 out. 2022.

LEPECKI, André. Errância como Trabalho: Sete notas dispersas sobre dramaturgia da dança. In: CALDAS, Paulo e GADELHA, Ernesto (org.). Dança e Dramaturgias. Trad. Nathália Mello, Rosa Ana Druot de Lima, Sylvain Druot. Fortaleza: São Paulo: Nexus, 2016, p.61-83.

MESQUITA, André. Contra a gravidade. In: MESQUITA, André (org.). Trisha Brown: Coreografar a vida. São Paulo: MASP, 2020, p.30-47.

NASCIMENTO, Gislaine; BUENO, Marisa. Centro Cultural São Paulo: Cartografias de Usos. In: Centro Cultural São Paulo: Cartografia de Usos. Org: SIAA Arquitetos Associados, para a 11a. Bienal de Arquitetura de São Paulo. São Paulo: Editora Centro Cultural São Paulo, 2018.

PADOVAN, L. R. A visão encarnada do espectador: Formas de perceber, habitar e criar paisagens: The embodied view of the spectator: Ways to perceive, inhabit and create landscapes. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, p.1-33, 2020. DOI: 10.5965/14145731023820200016. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18165.

Acesso em: 28 out. 2022.

PALLASMAA, Juhani. Os Olhos da Pele. A Arquitetura e os Sentidos. Trad. Alexandre Salvaterra. Porto Alegre: Bookman, 2011.

ROPA, E. C.; DE ANDRADE, T. .-. M. A dança urbana ou sobre a resiliência do espírito da dança. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 19, p.113-119, 2019. DOI: 10.5965/1414573102192012115. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/3199. Acesso em: 28 out. 2022.

ROSA, Marcos. A 11a. Bienal: Uma constelação de ações. In: Centro Cultural São Paulo: Cartografia de Usos. Org: SIAA Arquitetos Associados, para a 11a. Bienal de Arquitetura de São Paulo. São Paulo: Editora Centro Cultural São Paulo, 2018.

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4a. Ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2017.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Trad. Lívia de Oliveira. Londrina: Eduel, 2012.

Downloads

Publicado

2022-12-12

Como Citar

PADOVAN, L. R. Corpo, espaço arquitetônico e cidade: experiências performativas no Centro Cultural São Paulo. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 45, p. 1-34, 2022. DOI: 10.5965/1414573103452022e0112. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22690. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Cidades, espaços teatrais e experiências artísticas