Ideias confinadas ou Minha janela se abriu pra praça: O fazer teatral online com estudantes da rede pública

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102412021e0116

Palavras-chave:

Teatro virtual, Teatro na escola, Teatro na pandemia

Resumo

O artigo traz um relato da experiência de ensino em plataformas online para discentes do Ensino Fundamental II na cidade de Sorocaba, SP, realizada durante a pandemia de Covid-19 em 2020-21. Foi feita uma adaptação, para o ambiente virtual, de jogos teatrais presentes no fichário da autora Viola Spolin. A experiência instigou a proposição de uma encenação teatral virtual, intitulada “Minha janela se abriu pra praça”, aceita para ser desenvolvida no 20º FETO – Festival Estudantil de Teatro de Belo Horizonte, MG. O artigo explana a metodologia e resultados do processo com os estudantes, considerando os procedimentos sob a perspectiva da aprendizagem ativa, e considerando o ambiente remoto como dispositivo estruturador de linguagem. 

Biografia do Autor

Jacyan Castilho, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Pós-Doutorado na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e Justus-Liebig Universität (Giessen/RFA). Doutorado em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestrado em Teatro pela UNIRIO. Especialização em Teoria e Prática do Teatro pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Graduação em Artes Cênicas na UNIRIO. Prof. Associada na Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em Curso de Graduação em Artes Cênicas – habilitação em Direção Teatral. Docente permanente no Programa de Pós-Graduação em Dança (PPGDan) da UFRJ e no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Artes Cênicas (PPGEAC) da UNIRIO, no curso de Mestrado Profissional em Ensino de Artes Cênicas.

Marcos Clóvis Fogaça, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/Escola Estadual de Ensino Integral Professor Altamir Gonçalves

Mestrando em Ensino de Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Especialização em Linguagens da Arte pela Universidade de São Paulo (USP). Licenciatura e Bacharelado em Teatro pela Universidade Anhembi Morumbi, Licenciatura em Ed. Artística pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Tatuí (FAFICILE) e Pedagogia pela (UNICID).

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? – e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.

BELUSI, Soraya. FETO TEATRO 2020 – RESENHAS CRÍTICAS TEATRO NA ESCOLA, Belo Horizonte, dez. 2020. Disponível em:http://noato.org.br/Feto/wp-content/uploads/sites/8/2020/12/FETO-TEATRO-2020-resenha.pdf. Acesso em: 10 mar. 2021.

BONDÍA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, s,v, n.19, p. 20-28, abr. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/Ycc5QDzZKcYVspCNspZVDxC/

?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 mar.2021.

BRASIL. Ministério da Educação. BNCC- Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, 2018. Disponível em: http://basenacional

comum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf.

Acesso em: 05 maio 2020.

CABRAL, Beatriz. Drama como método de ensino. São Paulo: Hucitec, 2006.

CALLAI, Cristiana; MAIA, Marta Nidia Varella Gomes; SILVA, Greice Duarte de Brito. Transver o mundo: linguagens criativas de crianças em situação de confinamento. NUPEART, Florianópolis, v.24, p. 13-28, dez. 2020. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/nupeart/article/view/18429/12548.

Acesso em: 10 mar. 2020.

CONCILIO, Vicente; KOUDELA, Ingrid Dormien. Protocolos e a Pedagogia do Teatro – da tradução dos protocolos de estudantes sobre Aquele que diz sim aos protocolos do “trabalho alegre”. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v.1, n.34, p.246-255, mar/abr. 2019. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101342019246. Acesso em: 07 fev. 2021.

CORRÊA, Juliane. Estruturação de programas em EAD. In CORRÊA, Juliane (org.) Educação à distância – Orientações metodológicas. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DEWEY, John. Arte como experiência. Trad. Vera Ribeiro. São Paulo: Martins Fonte, 2010.

GAMA, Joaquim. Acerca do teatro e dos festivais estudantis. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v.1, n.10, p. 85-93, 2008. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101102008085. Acesso em: 06 jan. 2021.

GUIMARD, Gabriel. Teatro, infância e escola. In: Devanil Tozzi, Marta Marques Costa (org.) Teatro e dança: repertórios para a educação. São Paulo v. 2: FDE, 2010.

GHIRALDELLI JR, Paulo. Didática e teorias educacionais. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

JANUZELLI, Antonio (Janô). A aprendizagem do ator. 2ª ed. São Paulo: Ática, 1994.

KOUDELA, Ingrid Dormien, JUNIOR ALMEIDA, José Simões de (Org.). Léxico da pedagogia do teatro. São Paulo: Perspectiva: SP Escola de Teatro, 2015.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2013.

MEIRELES, Cecília. Seleta em prosa e verso; seleção, notas e apresentação de Dercy Damasceno. Rio de Janeiro: José Olympio, 1973.

MERISIO, Paulo; ARAÚJO, Getúlio Góis de; SILVA, Ligia da Cruz. Experiências cênicas: fissuras criativas na escola com crianças e adolescentes. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v.3, n.36, p.181-203, 2019. Disponível em:

https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/15731.

Acesso em: 07 fev. 2021.

NAKASHATO, Guilherme. A escola sem som, nem cor. Rebento, São Paulo, v.1, n.12, p.156-164, jan/jun. 2020. Disponível em: http://www.periodicos.ia

.unesp.br/index.php/rebento/article/view/470. Acesso em: 10 jun. 2021.

REGULAMENTO FET0 2020. Belo Horizonte, dez.2020. Disponível em:http://

noato.org.br/feto/wp-content/uploads/sites/8/2020/09/regulamento-FETO-2020-versao-final.pdf. Acesso em: 10 de março de 2021.

RODRIGUES, Ana Luísa. Aprendizagem ativa: como inovar na sala de aula. Lisboa: Lisbon International Press, 2019.

RYNGAERT, Jean-Pierre. Jogar, representar: práticas dramáticas e formação. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

SÃO PAULO. Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. Currículo Paulista (Versão 1). São Paulo: SEE-SP/UNDIME-SP, 2018. Disponível em: http://www.undime-sp.org.br/versao-1-do-curriculo-paulista-e-documentos-para-a-realizacao-dos-seminarios-regionais/.

Acesso em: 06 jun. 2021.

SOARES, Carmela. Pedagogia do jogo teatral: uma poética do efêmero. In: Adilson Florentino, Narciso Telles (Org.) Cartografias do ensino do teatro. Uberlândia: Edufu, 2009. P.49-60.

SPOLIN, Viola. Jogos Teatrais: o fichário de Viola Spolin. Tradução Ingrid Dormien Koudela. 2ªed. São Paulo: Perspectiva, 2006.

SPOLIN, Viola. O jogo teatral no livro do diretor. Tradução lngrid Dormien Koudela e Eduardo Amos. São Paulo: Perspectiva. 2010.

Downloads

Publicado

2021-09-15

Como Citar

CASTILHO, J.; FOGAÇA, M. C. Ideias confinadas ou Minha janela se abriu pra praça: O fazer teatral online com estudantes da rede pública. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 41, p. 1-27, 2021. DOI: 10.5965/1414573102412021e0116. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/20435. Acesso em: 5 dez. 2021.