CENSURA E TRANSGRESSÃO NA ARTE CONTEMPORÂNEA: PENSANDO A VIGILÂNCIA INSTITUCIONAL A PARTIR DAS RECENTES EXPOSIÇÕES E EVENTOS CULTURAIS

Autores

  • Fellipe Eloy Teixeira Albuquerque UNIFESP: Universidade Federal de São Paulo Campus Guarulhos/aluno de mestrado acadêmico

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234608152016042

Palavras-chave:

arte contemporânea , censura, transgressões

Resumo

Com recentes manifestações de arte ativista nas Bienais de São Paulo, notamos uma maior abertura dentro das instituições culturais para grupos de ar- tistas que atuam não só no campo es- tético, mas também no político e social. Nestes campos a influência causada por casos de censura toma proporções que ou desestimulam totalmente seus adep- tos ou incendeia ainda mais os ânimos. Este artigo abordará, a partir de casos re- centes, onde a censura e a transgressão estiveram intimamente associadas ao es- copo artístico das instituições ou even- tos organizados no território nacional e como alguns casos de censura foram os precursores de casos de transgressões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fellipe Eloy Teixeira Albuquerque, UNIFESP: Universidade Federal de São Paulo Campus Guarulhos/aluno de mestrado acadêmico

Mestrando em História da Arte pelo PPGHA- UNIFESP Campus Guarulhos, Especialista em Comunicação Social pelo Curso de Especialização Cultura e Meios de Comunicação: uma abordagem teórico-prática, em nível de Pós-Graduação Lato Sensu, do SEPAC em convênio com a PUCSP-COGEAE; Licenciado em Educação Artística pelo CEUNSP- Itu. Professor de Educação Básica II- Arte, pela Secretária da Educação do Estado de São Paulo.

Referências

BARRETT, Terry. A crítica de arte: como entender o contemporâneo. – 3ª ed.

-Porto Alegre: AMGH, 2014.

CHAIMOVICH, Felipe. Descobrir a ideia In: MUSEU DE ARTE MODERNA DE SÃO PAULO. Paulo Bruscky. São Paulo: São Paulo: Museu de Arte Moderna de São Paulo, 2014.

. 140 caracteres. In: MUSEU DE ARTE MODERNA DE SÃO

PAULO. 140 caracteres. São Paulo: São Paulo: Museu de Arte Moderna de São Paulo, 2014.

CHIODETTO, Eder. Curadoria e texto. In: MUSEU DE ARTE MODERNA DE SÃO PAULO. Poder provisório. São Paulo: Museu de Arte Moderna de São Paulo, 2014.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.

. Vigiar e punir: nascimento da prisão. -20ª ed.-. Petrópolis: Editora Vozes, 1987.

GULLAR, Ferreira. Arte contemporânea brasileira. São Paulo: Lazuli Editora Companhia Editora Nacional, 2012.

MAMMI, Lorenzo. O que resta: arte e crítica de arte. São Paulo: Cia das Letras, 2012.

MESQUITA, André. Insurgências poéticas: arte ativista e ação coletiva. São Pau- lo: Annablume, 2011.

MUSEU DE ARTE MODERNA DE SÃO PAULO. Poder provisório. São Paulo: Mu- seu de Arte Moderna de São Paulo, 2014.

RAGO, Margareth (org.); MURGEL, Ana Carolina A. de Toledo (org.). Paisagem e tramas: o gênero entre a história e arte. São Paulo; Intermeios, 2013.

RAGO, Margareth. Poéticas e políticas das indígenas na Bolívia. In: RAGO, Margareth (org.); MURGEL, Ana Carolina A. de Toledo (org.). Paisagem e tramas: o gênero entre a história e arte. São Paulo; Intermeios, 2013.

RUSH, Michael. Novas mídias na arte contemporânea. – 2ª ed.- São Paulo: WMF Martins Fontes, 2013.

VILLELA, Milu. Apresentação. In: MUSEU DE ARTE MODERNA DE SÃO PAULO.

Poder provisório. São Paulo: Museu de Arte Moderna de São Paulo, 2014. - p. 135.

BIENAL DE SÃO PAULO. Catálogo 29ª BIENAL: Há sempre um copo de mar para um homem navegar. (2010). Disponível em: http://www.bienal.org.br/publicacao.

Downloads

Publicado

2016-04-18

Como Citar

ALBUQUERQUE, Fellipe Eloy Teixeira. CENSURA E TRANSGRESSÃO NA ARTE CONTEMPORÂNEA: PENSANDO A VIGILÂNCIA INSTITUCIONAL A PARTIR DAS RECENTES EXPOSIÇÕES E EVENTOS CULTURAIS. Palíndromo, Florianópolis, v. 8, n. 15, p. 042–057, 2016. DOI: 10.5965/2175234608152016042. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/7032. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção aberta