Expansão do capital e suas relações na formação docente

Autores

  • Janine Alessandra Perini Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234614322022067

Palavras-chave:

Educação, Formação de professores, Capitalismo

Resumo

Este estudo aborda a formação do professor, com o objetivo de refletir sobre a educação e a tecnologia na sociedade contemporânea, tendo como base o método do materialismo histórico-dialético. Como resultado percebemos que a área educacional está passando por reformas neoliberais a partir dos anos de 1990 na América Latina. Essas reformas estão sob a direção empresarial, transmitindo valores que legitimam os interesses dominantes e mantêm as relações de exploração e expropriação da classe trabalhadora. Concluímos que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a reforma do Ensino Médio, o ensino remoto e as medidas de cortes do investimento público em saúde e educação são indícios do descaso com a qualidade da formação das classes trabalhadoras. E que a tecnologia se transformou em instrumento de submissão da força de trabalho a um tempo sem limite, levando a humanidade à exaustão.

Biografia do Autor

Janine Alessandra Perini, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Professora de Artes Visuais do departamento de Linguagens e Códigos da UFMA. Doutoranda da linha do Ensino das Artes do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais - UDESC

Referências

BEHRING, Elaine. BOSCHETTI, Ivanete. Capitalismo, liberalismo e origens da política social. In: BEHRING, Elaine. BOSCHETTI, Ivanete. Política Social: Fundamentos e história. 9 ed. São Paulo: Cortez, p. 82-111, 2011.

BOTTOMORE, Tom (org.). Dicionário do pensamento Marxista. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 2º ed., 2012. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2543654/mod_resource/content/2/Bottomore_dicion%C3%A1rio_

pensamento_marxista.pdf. Acesso em 07 jul. de 2021.

BRASIL. Decreto nº. 6.096, de 24 de abril de 2007. Institui o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI. Brasília, CN, 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-

/2007/Decreto/D6096.htm. Acesso em: 27 mar. 2021.

BRASIL. Lei de Inovação Tecnológica. Lei n. 10.973, de 2 de dezembro de 2004. Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências, Brasília, DF, 3 dez., 2004. Disponível

em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l10.973.htm. Acesso em: 27 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em 27 jul. de 2021.

BRASIL. Programa Universidade para todos (ProUni). Lei nº 11.096, de 13 de janeiro de 2005. Institui o Programa Universidade para Todos - PROUNI, regula a atuação de entidades beneficentes de assistência social no ensino superior; altera a Lei no 10.891, de 9 de julho de 2004, e dá outras providências. Brasília: DF, 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Lei/L11096.htm. Acesso em: 27 mar. 2021.

BARRETO, Raquel Goulart. A recontextualização das tecnologias da informação e da comunicação na formação e no trabalho docente. In: Dossiê: “A cultura digital e a formação de professores: uma questão em debate”. Revista: Educação & Sociedade. vol.33, nº 121, Campinas, out./dez. 2012.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Educação e contradição: elementos metodológicos para uma teoria crítica do fenômeno educativo. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 2000.

DUARTE, Newton. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões? Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

FONSECA da SILVA. Maria Cristina da Rosa. Fundamentos sócio-históricos para a compreensão da formação em artes: impactos das tecnologias digitais. In: FONSECA da SILVA, M. C. R (org.). Formação, arte e tecnologias: Contribuições do

campo sócio-histórico. Florianópolis, 2016.

HARVEY, David. Condição Pós-Moderna. São Paulo: Edições Loyola, 18º ed., 2009.

JAMESON, Fredric. Pós-modernismo. A lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo. Ed. Ática. 1996.

KOSIK, Karel. Dialética do Concreto. Tradução de Célia Neves e Alderico Toríbio. 2ª ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

MARI, Cezar Luiz de. Algumas questões relativas à proposição sociedade do conhecimento. In: EVANGELISTA, Olinda (org.). O que revelam os slogans na política educacional. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2014.

MARX, Karl. O capital. Tradução e condensação de Gabriel Deville. Bauru, SP: EDIPRO, 3. ed., 2. reimp. 2013.

MÉSZÁROS, István. A taxa de utilização decrescente e o significado de “tempo disponível”. In: MÉSZÁROS, István. Para além do capital: rumo a uma teoria de transição. São Paulo: Boitempo, 2002. p.650-674.

MÉSZÁROS, István. A Montanha que Devemos Conquistar. São Paulo: Boitempo Editorial, 2015.

MÉSZÁROS, István. Das crises cíclicas à crise estrutural. In: A atualidade histórica da ofensiva socialista. São Paulo: Boitempo, 2010. p. 69-98.

NETTO, José Paulo. Introdução ao estudo do método de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

SAVIANI, Dermeval; GALVÃO, Ana Carolina. Educação na pandemia: a falácia do ensino remoto. In: Universidade e Sociedade ANDES-SN, ano XXXI, janeiro, 2021. Disponível em: https://www.andes.org.br/img/midias/0e74d85d3ea4a065b283db72641d4ada_1609774477.pdf. Acesso em: 09 nov. 2021.

SHIROMA, Eneida Oto; EVANGELISTA, Olinda. Apresentação. In: EVANGELISTA, Olinda (org.). O que revelam os slogans na política educacional. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2014.

SHIROMA, Eneida Oto; SANTOS, Fabiano Antonio dos. Slogans para a construção do consentimento ativo. In: EVANGELISTA, Olinda (org.). O que revelam os slogans na política educacional. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2014.

VÁZQUEZ, Adolfo Sánchez. Filosofia da práxis. São Paulo: Expressão Popular, 2007.

Downloads

Publicado

2022-01-03

Como Citar

PERINI, J. A. Expansão do capital e suas relações na formação docente. Palíndromo, Florianópolis, v. 14, n. 32, p. 67-83, 2022. DOI: 10.5965/2175234614322022067. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/20758. Acesso em: 23 jan. 2022.