Do racismo ambíguo às possibilidades antirracistas no ensino da arte e do teatro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2595034701282023010

Palavras-chave:

Teatro de Formas Animadas, África, Africano, Afrodiaspórico

Resumo

O texto apresenta a edição n. 28 da Móin-Móin - Revista de Estudos Sobre Teatro de Formas Animadas, com o tema “Teatro de formas animadas africano e afrodiaspórico”, seu contexto de composição, as questões que provocaram os autores e o convite à leitura dos artigos publicados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Patrícia dos Santos, Universidade do Estado de Santa Catarina

Atriz, Palhaça, Contadora de Histórias, Produtora, Pesquisadora e Professora Licenciada em Educação Artística - Habilitação Artes Cênicas- DAC/UDESC. Doutora e Mestre em Teatro pelo PPGAC/UDESC. Desenvolveu no doutorado pesquisa sobre identidade, performances e negritudes na cena, a partir de suas vivências e experiências como mulher negra, artista e pesquisadora. Desde então, suas pesquisas abordam a linguagem da palhaçaria, negritudes, contação de histórias, representatividade negra e de(s)colonização. Atualmente é professora no Dep. Artes Cênicas UDESC

Aline Santana Martins, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2020). Graduanda em Teatro na Universidade do Estado de Santa Catarina (2015-Atual). Pedagoga e Mestre em Educação (2008/2012-UFSC). Artista multidisciplinar e pesquisadora. É bolsista de extensão do Programa de Formação Profissional do Teatro Catarinense, sob coordenação do Profº Drº Paulo Balardim e membro do GETA - Grupo de Estudos em Teatro de Animação, UDESC. Atua como Editora na Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas - Móin-Móin.

Fabiana Lazzari de Oliveira, Universidade de Brasília

Professora Adjunta do Departamento de Artes Cênicas-CEN e do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas-PPGCEN, do Instituto de Artes-IdA, da Universidade de Brasília - UnB. Coordena o Projeto de Extensão de Ação Continuada LATA-Laboratório de Teatro de Formas Animadas e do Grupo de Pesquisa vinculado ao CNPq-LATA/UnB. Doutora e Mestre em Teatro pelo Programa de Pós-Graduação em TeatroPPGT, da Universidade do Estado de Santa Catarina-UDESC. Licenciada em Educação Artística-Habilitação em Artes Cênicas (UDESC). Bacharel em Educação Física (UDESC). Atriz, Sombrista, Arte-educadora, Gestora e Produtora Cultural e fundadora da entreAberta Cia Teatral e do SKIA-Espaço da Sombra.

Liliana Pérez Recio, Universidade do Estado de Santa Catarina

Professora do Departamento de Artes Cênicas / DAC da Universidade do Estado de Santa Catarina/ UDESC. Doutora pelo Programa de Pós-graduação da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC (2022), Bacharel em Teatro pelo Instituto Superior de Arte (2000) de Havana, Cuba, diretora, atriz. Integrou o elenco do Teatro Nacional de Guiñol durante nove anos. Fundou El Arca Teatro Museo de Títeres (2010) em Havana.

Paulo César Balardim Borges, Universidade do Estado de Santa Catarina

Professor Adjunto na área de Prática Teatral - Teatro de Animação, no Departamento de Artes Cênicas e no Programa de Pós-Graduação em Teatro do Centro de Artes - CEART da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Doutor em Artes Cênicas (PPGT / UDESC), Mestre em Artes Cênicas (PPGAC / UFRGS), licenciado em Letras - Língua Portuguesa e Literatura Brasileira (ULBRA). Atuou como diretor, ator e cenógrafo da companhia teatral Caixa do Elefante Teatro de Bonecos, entre 1991 e 2016. Foi Presidente da AGTB - Associação Gaúcha de Teatro de Bonecos nos anos de 2002 e 2003. Experiência na área de Artes, com ênfase em Teatro, atuando principalmente nos seguintes temas: Artes Cênicas, Comunicação, Programas Televisivos e Teatro de Animação.

Referências

BROCHADO, Izabela. O mamulengo e as tradições africanas de teatro de bonecos. Móin-Móin - Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas, Florianópolis, v. 1, n. 02, p. 138–155, 2018. DOI: 10.5965/2595034701022006138. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/moin/article/view/1059652595034701022006138. Acesso em: 26 out. 2023.

GOMES, Nilma Lino. Entrevista. Disponível em: https://www.extraclasse.org.br/geral/2023/03/pedagogia-das-emergencias-por-uma- educacao-descolonizada-e-antirracista/

GOMES, Nilma Lino. Um olhar além das fronteiras: educação e relações raciais. Nilma Lino Gomes (Org.) Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

MELONI, Larissa Lopes Brugnolo. Para o florescer da liberdade e da pluridiversidade: um projeto de arte/educação decolonial brasileira (para o Ensino Médio). Trabalho de Conclusão de Curso (graduação em História da Arte) - Universidade Federal de São Paulo, Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, 2021.

SANCHEZ, Mônica Marcelo R.; VASCONCELLOS, Sônia Tramujas.Trânsitos e Práticas Decoloniais em Arte Educação. FAP, Revista Científica de Artes, 2021.

SANTOS, Denilson Lima. Nosso programa também é alfabetização e cultura: O Teatro Experimental do Negro e o Jornal Quilombo –vida, problemas e aspirações do negro na literatura e na cultura intelectual negro-brasileiras (1948- 1950). Légua & Meia, Brasil, n.11, v. 2, p. 50-63, 2020.

PASSÔ, Grace. O teatro é uma espécie de aquilombamento. Revista Continente. Disponível em: https://revistacontinente.com.br/secoes/entrevista/ro-teatro-e-uma- especie-de-quilombamento. 2020.

Downloads

Publicado

2023-10-27

Como Citar

SANTOS, Adriana Patrícia dos; MARTINS, Aline Santana; OLIVEIRA, Fabiana Lazzari de; RECIO, Liliana Pérez; BORGES, Paulo César Balardim. Do racismo ambíguo às possibilidades antirracistas no ensino da arte e do teatro. Móin-Móin - Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas, Florianópolis, v. 1, n. 28, p. 10–21, 2023. DOI: 10.5965/2595034701282023010. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/moin/article/view/24619. Acesso em: 28 fev. 2024.