Percepção do “DNA” da Marca Hering no Ponto de Venda Físico (Lojas)

Autores

  • Cinthia Ferrari Angeli Universidade Federal de Santa Catarina
  • Luiz Salomão Ribas Gomez Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x10202017048

Palavras-chave:

DNA de marca, Arquitetura comercial, Visual Merchandising

Resumo

Este artigo visa demonstrar a importância e a necessidade de inserir o “DNA de marca” no projeto de arquitetura de interiores comercial. São raros os materiais teóricos nesta área, que abordam a importância de desenvolver projetos de ambientes comerciais mais ajustados com o “DNA da marca”. “DNA” este que é formado por elementos que combinam e se recombinam para expressar diferentes identidades. O objetivo foi demonstrar através da aplicação de um questionário, quais aspectos da atmosfera do ponto de venda, diante da percepção dos usuários – funcionários e consumidores, apresentavam-se mais condizentes ao “DNA de marca” de duas lojas da Cia Hering. Os apontamentos identificaram de forma geral que os usuários percebem o “DNA da marca” no ambiente e no produto, entretanto alguns elementos específicos da atmosfera do ponto de venda apresentaram ressalvas.

Biografia do Autor

Cinthia Ferrari Angeli, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com dissertação envolvendo a temática “Processo projetual da atmosfera do Ponto de Venda”, obtendo conhecimentos atuais sobre técnicas de Visual Merchandising aliadas ao estudo do comportamento do consumidor.

Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), com 4 anos de experiência como profissional autônoma na área de projetos arquitetônicos e obras de edifícios institucionais (SSP).

Luiz Salomão Ribas Gomez, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Desenho Industrial pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1990), Mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000) e Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004), Doutorado em Engenharia e Gestão Industrial na Universidade da Beira Interior - Portugal (2012). Realizou, em 2009, Pos-Doc junto ao UNIDCOM - IADE em Lisboa com o tema Brand DNA. Atualmente é professor Associado II da Universidade Federal de Santa Catarina onde coordena o Laboratório de Orientação da Gênese Organizacional - LOGO. Coordena o projeto de revitalização do Centro Histórico Leste de Florianópolis - Centro Sapiens. Atua em pesquisa de Branding, Inovação e Tendências, sempre com foco na Indústria Criativa.

Referências

BAILEY, Sarah; BAKER, Jonathan. Moda e Visual Merchandising. São Paulo: Gustavo Gili, 2014.

BLESSA, Regina. Merchandising no Ponto de Venda. São Paulo: Atlas, 2008.

BAKER, Julie. The role of the Environment in marketing services: The consumer perspective. The services challenge: Integrating for competitive advantage (pp. 79-84) Associação Americana de marketing.

BARDZIL, James R.; ROSENBERGER III, Philip J. Atmosphere: Does It Provide Central Or Peripheral Cues?", in AP - Asia Pacific Advances in Consumer Research. Russel Belk and Ronald Groves, Provo, UT : Association for Consumer Research. V. 2. P.73 – 79, 1996. Disponível em: < http://www.acrwebsite.org/search/view-conference-proceedings.aspx?Id=11536 >. Acesso em 28 fevereiro de 2015.

BITNER, Mary Jo. Servicescape: The Impact of Physical Surroundings on Customers and Employees. Journal of Marketing. v. 56. p. 57-71, 1992.

CARVALHAL, André. A moda imida a vida: como construir uma marca de moda. São Paulo: Estação das Letras; Rio de Janeiro: Editora Senac, 2014.

COBRA, Marcos. Administração de Marketing no Brasil. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

GURGEL, Miriam. Projetando espaços – Guia de Arquitetura de Interiores para espaços comerciais. São Paulo: Editora SENAC, 2005.

GATTO, Stefania del. L´atmosfera del punto vendita quale strumento di differenziazione dell´insegna: uma verifica empírica delgli effeti della variabile olfativa. Anais del Congresso Internazionale Le Tendenze del Marketing.Venezia, 2002.

KOTLER, Philip. Atmospherics as a marketing tool. Journal of Retailing. v. 49, p.48-64, 1973-1974

LOPES, Dayane Alves; GOMEZ, Luiz Salomão Ribas. Os 4 elementos do DNA de marcas: emoção, resiliência, técnica e mercadologia. CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EM DESIGN E ARTES GRÁFICAS – CIDAG, 2, 2012, Lisboa. Anais. Lisboa: ISEC, 2012

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social: Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva, 17(3):621-626, 2012.

MICHAELIS. Dicionário Online. 2016. Disponível em: <http://michaelis.uol.com.br/>. Acesso em: 16 outubro 2016.

MORGAN, Tony. Visual Merchandising: Vitrines e interiores comerciais. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2011.

NEILSON, Gary L.; PASTERNACK, Bruce A. Resultados: mantenha o que está certo, corrija o que está errado e obtenha um ótimo desempenho. Rio de Janeiro: Rocco, 2009.

RIES, All ; TROUT, Jack. Posicionamento: a batalha por sua mente. São Paulo: M. Books do Brasil Ltda, 2009

SOLOMON, Michael R. O comportamento do consumidor: comprando, possuindo e sendo. 9 ed. Porto Alegre: Bookman, 2011

STODIECK, Walter Flores. Brand DNA TOOLKIT: Aplicação do Design em uma metodologia de branding. 2014. Dissertação (Mestrado em Design e Expressão Gráfica) – Programa de Pós Graduação em Design e Expressão Gráfica. Universidade Federal de Santa Cataria. Florianópolis: 2014.

ZORRILLA, Pilar. Nuevas tendencias en merchandising: Generar experiencias para conquistar emociones y fidelizar clientes. Distribuición y Consumo, set-out, 2002, p. 13-20.

Downloads

Publicado

2017-06-23

Edição

Seção

Variata