Construção de roteiro cinematográficos: uma sequência didática privilegiando a visualidade e a cultura surda

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2357724X112023e0109

Palavras-chave:

educação de surdos, Libras, roteiro cinematográfico

Resumo

Tendo como pressupostos teóricos as propostas de educação bilíngue para estudantes surdos, o uso da Libras como primeira língua de instrução e os correlacionando com os estudos de cinema na área da escrita de roteiro cinematográfico, este artigo relata o caminho percorrido por pesquisa de mestrado profissional que, utilizando um grupo focal formado por professores surdos e intérpretes de língua de sinais, pode analisar questões relativas ao formato e acessibilidade de roteiros cinematográficos visando a sua apropriação por estudantes falantes de Libras como primeira língua. O produto educacional resultante da pesquisa contém uma sequência didática com explicações sobre o tema e a proposição de um formato de roteiro cinematográfico que privilegie a visualidade e a cultura surdas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Oscar Raimundo dos Santos Júnior, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina

Mestre em Educação Inclusiva, Professor, IFSC Câmpus Palhoça Bilíngue, Palhoça/SC/Brasil.

Soeli Francisca Mazzini Monte Blanco, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutora em Engenharia Química, Professora Associada, Programa de Mestrado Profissional em Educação Inclusiva em Rede (PROFEI), Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Centro de Educação a Distância (CEAD), Florianópolis/SC/Brasil.

Fabíola Sucupira Ferreira Sell, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutora em Linguística, Professora Associada, UDESC (PPGECMT) - Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Matemática e Tecnologias Universidade do Estado de Santa Catarina, Joinville/SC/Brasil.

Referências

BRASIL. Decreto nº 6.964, de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 2002.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2002.

BRASIL. Lei nº 12.319, de 1º de setembro de 2010. Regulamenta a profissão de Tradutor e Intérprete da Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS. Brasília, DF: Presidência da República, 2010.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2014.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência) Brasília, DF: Presidência da República, 2014.

BRASIL. Lei nº 14.191, de 3 de agosto de 2021. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), para dispor sobre a modalidade de educação bilíngue de surdos. Brasília, DF: Presidência da República, 2021.

CABRAL JUNIOR, Paulo Augusto de Freitas; CARNEIRO, Mára Lúcia Fernandes. Comparação de processos de produção de vídeos educacionais. TICs & EaD em Foco, v. 1, n. 1, 2015.

CAMPELLO, Ana Regina e Souza. Percepção e Processamento Visual na Pedagogia para Sujeitos Surdos-Mudos. In: CAMPELLO, Ana Regina e Souza; LIRA, Darlene Seabra de; ANDRADE, Lúcio Costa de. (orgs.). Educação das pessoas surdas: práticas e reflexões. / Itapiranga: Schreiben, 2021. (p. 7-39)

CARDOSO, Alexandre Bet da Rosa. Vídeo registro em libras: uma proposta de acesso ao pensamento original aos surdos. 2016. - Dissertação (mestrado em estudos da tradução) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Florianópolis, 2016.

CIDADE de Deus. Direção de Fernando Meirelles. Roteiro: Bráulio Mantovani. Produção: O2 Filmes, Globo Filmes e Videofilmes. Rio de Janeiro: Lumière Brasil, 2002. (130 min.)

COMPARATO, Doc. Da Criação ao Roteiro: teoria e prática. São Paulo: Summus Editorial, 2009.

COSTA, Otávio Santos, LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de. Caracterização do Uso e Produção de Vídeos por Professores de uma Rede Municipal de Ensino no Interior de São Paulo. In: LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de; SANTOS, Lara Ferreira dos; ROCHA, Luiz Renato Martins da (org.). Educação bilíngue de surdos e educação especial: avaliação e prática. 1ª Edição. São Carlos / SP. EDESP-UFSCar: 2023 p 119-138.

FIELD, Syd. Manual do roteiro: os fundamentos do texto cinematográfico. - Rio de Janeiro: Objetiva, 2001

MANTOVANI, Bráulio. 12º tratamento do roteiro de CIDADE DE DEUS: Baseado no romance de Paulo Lins (dezembro de 2001). Disponível em: http://www.roteirodecinema.com.br/banco/cidadededeus12.pdf . Acesso em 29/08/2023

MARTINS, Mônica Astuto Lopes; LACERDA, Cristina Broglia Feitosa. O professor surdo: prática em sala de aula/sala de atendimento educacional especializado. In: SILVA, L; Cristina da; DANELON, Márcio; MOURÃO, Marisa Pinheiro. Atendimento educacional para surdos: educação, discursos e tensões na formação continuada de professores no exercício profissional. Uberlândia: EDUFU, 2013. p. 39-52.

MOLETTA, Alex. Criação de Curta-metragem em Vídeo Digital. Uma proposta para produções de baixo custo. Editora Summus, 2009.

MOTA, Millena Ariella dos Santos. O roteiro cinematográfico na escola: uma proposta de ensino e aprendizagem. 2018. Dissertação (Mestrado Profissional em Letras) – Centro de Humanidades, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

NEVES, Marcus Freitas. Contribuições do processo criativo publicitário para o planejamento de videoaulas em educação a distância online. 2019. Tese (Doutorado) — Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, 2019.

RIZZATTI, Ivanise Maria et al. Os produtos e processos educacionais dos programas de pós-graduação profissionais: proposições de um grupo de colaboradores. Actio, Curitiba, v. 5, n. 2, p. 1-17, mai./ago. 2020.

RODRIGUES, Chris. O cinema e a produção. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

ROTEIRO de página dividida: entenda como é esse formato. Dumela Filmes, 21 mai. 2020. Disponível em: https://dumela.tv/blog/roteiro-de-pagina-dividida/. Acesso em: 10 set. 2022.

SANTOS JÚNIOR, Oscar Raimundo dos. Roteiro Cinematográfico: proposta para o ensino que contemple as especificidades da cultura Surda e sua visualidade. 2022. 163 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado Profissional em Educação Inclusiva, Centro de Educação à distância - Cead, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2022.

Downloads

Publicado

2023-12-30

Como Citar

JÚNIOR, Oscar Raimundo dos Santos; BLANCO, Soeli Francisca Mazzini Monte; SELL, Fabíola Sucupira Ferreira. Construção de roteiro cinematográficos: uma sequência didática privilegiando a visualidade e a cultura surda. Revista BOEM, Florianópolis, v. 11, p. e0109, 2023. DOI: 10.5965/2357724X112023e0109. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/boem/article/view/24862. Acesso em: 20 abr. 2024.

Edição

Seção

Discussões sobre produtos educacionais: ensino de ciências, matemática e tecnologias