Atividades didáticas investigativas: uma prática promotora do suporte à autonomia dos estudantes em aulas de Física

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2357724X112023e0128

Palavras-chave:

ensino de física, ensino por investigação, resolução de problemas, suporte à autonomia, estilo motivacional

Resumo

O contexto educacional atual remete muitas vezes a um Ensino de Física voltado para a transmissão de conhecimentos, o professor repassa aos alunos por meio de aulas expositivas. Tais estratégias não são favoráveis ao desenvolvimento da motivação autônoma dos estudantes, ou seja, dificultam a atuação de forma crítica no meio em que vive e de enfrentar desafios do cotidiano. A fim de contribuir para com o desenvolvimento de estratégias voltadas para o suporte à autonomia de estudantes durante aulas de Física do Ensino Médio foi desenvolvido um Produto Educacional na forma de guia de atividades. Nele são propostas sete Atividades Didáticas de Resolução de Problemas, com tema interno à área de conhecimento e contextuais. Dentre as atividades elaboradas, duas foram implementadas por dois professores de Física atuantes na Educação Básica da rede estadual de ensino de Santa Catarina. Para avaliar as estratégias adotadas pelos professores durantes a implementação das atividades foi desenvolvida e aplicada a Escala de Medida de Estilo Motivacional dos Professores. Os resultados apontam que o Estilo Motivacional dos Professores influencia diretamente nas escolhas didático-pedagógicas, as quais definem quais estratégias de suporte à autonomia dos estudantes serão predominantes. Em geral, professores que se destacam como promotores de autonomia favorecem recursos de suporte à autonomia procedimental e cognitivo, podendo assim contribuir para uma aprendizagem mais ativa e autônoma. Consequentemente, professores que se destacam como controladores tendem a ser mais rígidos e expositivos, priorizando com mais frequência os recursos de suporte à autonomia organizacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria Bojarski, Rede privada de ensino de Joinville/SC

Mestre em Ensino de Ciências, Matemática e Tecnologias, Professora de Física de rede privada, Joinville/ Santa Catarina/ Brasil.

Ivani Teresinha Lawall, Universidade do Estado de Santa Catarina

Pós-doutorado em Educação, Professora Associada do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências, Matemática e Tecnologias, Universidade do Estado de Santa Catarina, Joinville/Santa Catarina/Brasil.

Luiz Clement, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutor em Educação Científica e Tecnológica, Professor Associado do Departamento de Física e do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências, Matemática e Tecnologias, Universidade do Estado de Santa Catarina, Joinville/Santa Catarina/Brasil.

Referências

BOJARSKI, A. M. et al. Perfil de Desenvolvimento Profissional: Possíveis Relações com o Estilo Motivacional de Professores. Anais do Colóquio Luso-Brasileiro de Educação-COLBEDUCA, v. 4, n. 1. 2019.

CLEMENT, L. Resolução de Problemas e o Ensino de Procedimentos e Atitudes em Aulas de Física. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Maria. 2004.

CLEMENT, L. Autodeterminação e Ensino por Investigação: Construindo Elementos para Promoção da Autonomia em Aulas de Física. Tese de Doutorado. Universidade Federal de Santa Catarina. 2013.

CLEMENT, L. et al. Motivação Autônoma de Estudantes de Física: Evidências de Validade de uma Escala. Psicologia Escolar e Educacional, v. 18, p. 45-55, 2014.

CLEMENT, L.; CUSTÓDIO, J.F.; ALVES FILHO, J. P. A Qualidade da Motivação em Estudantes de Física do Ensino Médio. Revista Electrónica de Investigación en Educación en Ciencias, v. 9, n. 1, p. 84-95, 2014.

CLEMENT, L.; CUSTÓDIO, J. F.; ALVES FILHO, J. P. Potencialidades do Ensino por Investigação para Promoção da Motivação Autônoma na Educação Científica. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v. 8, n. 1, p. 101-129, 2015.

DECI, E. L. et al. An Instrument to Assess Adults' Orientations Toward Control versus Autonomy with Children: Reflections on Intrinsic Motivation and Perceived Competence. Journal Of Educational Psychology, [s.l.], v. 73, n. 5, p.642-650, 1981.

GARCÍA, E. J.; GARCÍA, F. F. Aprender Investigando: una Propuesta Metodológica Basada en la investigación. 7. ed. Sevilla/ES: DÍADA, 2000. p. 93 (Série Practica, n. 2. Colección Investigación y Enseñanza).

GIL PEREZ, D. et al. Questionando a Didática de Resolução de Problemas: Elaboração de um Modelo Alternativo. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. V. 9, n. 1, p. 7-19, 1992.

GUIMARÃES, S. E. R. Avaliação do Estilo Motivacional do Professor: Adaptação e Validação de um Instrumento. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Campinas. 2003.

GUIMARÃES, S. E. R.; BORUCHOVITCH, E. O Estilo Motivacional do Professor e a Motivação Intrínseca dos Estudantes: uma Perspectiva da Teoria da Autodeterminação. Psicologia: Reflexão e Crítica, 2004.

MACHADO, A. C. T. A. et al. Estilos Motivacionais de Professores: Preferência por Controle ou por Autonomia. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 32, n. 1, p. 188-201, 2012.

REEVE, J. Motivação e Emoção. Tradução: A.F.L. Pontes & S. Machado. Rio de Janeiro: LTC, 2006.

RYAN, R. M.; DECI, E. L. Intrinsic and Extrinsic Motivations: Classic Definitions and New Directions. Contemporary Educational Psychology, v. 25, n. 1, p. 54-67, 2000.

RYAN, R. M.; DECI, E. L. Self-Determination Theory: Basic Psychological Needs in Motivation, Development, and Wellness. Guilford Publications, 2017.

STEFANOU, C. R., et al. Supporting Autonomy in the Classroom: Ways Teachers Encourage Student Decision Making and Ownership. Educational Phychologist, n. 39, p. 97-110, 2004.

Downloads

Publicado

2023-12-30

Como Citar

BOJARSKI, Ana Maria; LAWALL, Ivani Teresinha; CLEMENT, Luiz. Atividades didáticas investigativas: uma prática promotora do suporte à autonomia dos estudantes em aulas de Física. Revista BOEM, Florianópolis, v. 11, p. e0128, 2023. DOI: 10.5965/2357724X112023e0128. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/boem/article/view/24802. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Discussões sobre produtos educacionais: ensino de ciências, matemática e tecnologias