Narrativas de investigação e formação em Educação Artística no Ensino Superior: escrita dialógica em devir

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984317816012020008

Palavras-chave:

Narrativas de formação, Educação Artística, Ensino Superior, Escrita Dialógica,

Resumo

Neste artigo propomos produzir e analisar narrativas sobre experiências de escrita no ensino superior universitário, explorando e ampliando práticas de escrita narrativa dialógica. Realizada a oito mãos, a narrativa que se constrói e, subsequentemente, se procura analisar é submetida a uma reflexão contínua, polivalente, que exprime uma procura metodológica de exploração e ampliação das possibilidades da escrita formativa em educação artística. Por escrita dialógica, pretende-se frisar as potencialidades da construção de um texto que seja poliédrica, não hierarquizada, mas suficientemente fragmentada e entrecruzada para poder ser o reflexo de cada uma das autoras. Assume-se a narrativa como forma de pesquisa enquanto se escreve, uma escrita em devir e em diálogo pela qual se vai transformando a compreensão dos processos em análise e recriando os próprios processos de análise. Para além de uma reflexão teórica sobre a escrita e sobre as narrativas como processos de formação e investigação e de uma breve contextualização e apresentação metodológica, o artigo organiza as narrativas por temas, numa sucessão dialógica de textos de autoria individual, onde se mesclam discursos em prosa e poesia, comentados dialeticamente em textos conjuntos e posteriormente interpretadas do ponto de vista da formação e da investigação.

Biografia do Autor

Ana Paula Caetano, Universidade de Lisboa

Ana Paula Viana Caetano é Professora Associada do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, onde coordena o grupo de investigação e ensino “Currículo e Formação de Professores”. Tem doutoramento em Ciências da Educação - especialidade de Formação de Professores.  Pesquisa temas relativos à Formação de Professores (nomeadamente desenvolvimento profissional, formação ética e dilemas dos professores, projetos de investigação-ação), à Educação e Cidadania (tais como educação e mediação intercultural  e comunitária, cyberbullying e violência na escola, emoções e ética no ensino superior, inclusão social) e à Educação e Artes (nomeadamente em projetos comunitários e no ensino superior).

Ana Luísa Paz, Universidade de Lisboa

Doutorada em Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, com a tese Ensino da Música em Portugal (1868-1930): Uma história de pedagogia e do imaginário musical (2014), Mestra em Sociologia pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e Licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. É professora auxiliar no Instituto de Educação da UL e está inserida na área de ensino e de investigação de Currículo, Formação de Professores e Tecnologias

Tem publicado sobre ensino artístico numa perspetiva crítica e histórica.

Ana Rocha, Universidade de Lisboa

Ana Serra Rocha, portuguesa, aluna de doutoramento em educação artística (2016) pela Universidade de Lisboa (Faculdade de Belas Artes do Porto, Lisboa e Instituto de Educação), apresenta um trabalho prático de investigação e experimentação onde reflete sobre O lugar da experiência do livro na mediação educativa e na reflexão epistemológica. No final de 2017 foi selecionada para a residência de investigação: Winter School. Paralelamente tem desenvolvido ateliers, workshops para crianças e famílias ma àrea da ludicidade, e recentemente para além de apresentar trabalhos em congressos e seminários, iniciou a realização de workshops relacionados com a sua pesquisa e investigação. Mestrada em Belas Artes pelo Edinburgh College of Art na Escócia (2000), desenvolveu um trabalho centrado em questões relacionadas com os rituais Célticos e as artes performativas. Já na Faculdade de Belas Artes de Lisboa, onde se licenciou (1996), as áreas da Pintura e escultura estiveram mais presentes. Realizou diversas exposições com projetos pontuais, e foi desenvolvendo diversas atividades relacionadas com as dinâmicas dos serviços educativos em diversas Instituições Nacionais; Bibliotecas Escolares, Culturgest, Fundação Calouste Gulbenkian, e outros espaços públicos. Desde 2010 tem vindo a desempenhar funções a nível profissional no departamento de educação da União de Freguesias Cascais e Estoril, coordenando o Projeto Crescer a Tempo Inteiro e implementou as primeiras ludobibliotecas do Concelho, onde acolhe, cria e desenvolve projetos de carácter cultural e social, a partir da rede de espaços lúdicos existentes na Freguesia.

Clara Marques, Universidade de Lisboa

Doutoranda em Educação Artística ( ULisboa/  UPorto). Áreas de investigação e intreresse centradas na educaçao artística, envelhecimento, formação de adultos, educação não formal e comunitária, educação colaborativa, inclusão. Experiência profissional de cerca de 20 anos como técnica superior de educação. Docente do Ensino Superior Politécnico (ESE, IPLisboa). Frequentou a licenciatura em artes plásticas (Estgad-IPL ); licenciada em Educação social (ISCE, Lisboa); Especializada em Ciências da Educação - Educação Intercultural (ISPCE- Ulisboa). Formadora com Certificado de Competências Pedagógicas (IEFP, Lisboa).

Referências

ALMEIDA, Marta Mateus de. Desenvolvimento profissional dos docentes do ensino superior. Orientadora: ngela Rodrigues. 2012. 438 f. Tese (Doutoramento em Educação - Formação de Professores) – Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal, 2013.

ATKINSON, Dennis. The adventure of pedagogy, learning and the not-known. Subjectivity, v. 8, n. 1, p. 43- 56. 2015.

BALDACCHINO, John. Art ± education: The paradox of the ventriloquist’s soliloquy. Sisyphus: Journal of education, Lisboa, v. 3, n. 1, p. 62-79. 2015.

BENJAMIN, Walter. Sobre a arte, técnica, linguagem e política. Lisboa: Relógio d’Água, 1992.

BOLÍVAR, Antonio; DOMINGO, Jesús. La investigación biográfica y narrativa en Iberoamérica: Campos de desarrollo y estado actual. Forum: Qualitative Social Research, v. 7, n. 4, art. 12, 2006. Disponível em: http://jbposgrado.org/icuali/La%20investigacion%20biografica%20y%20narrativa%20en%20iberoamerica%20%20%20.pdf Acesso em: 5 dez. 2019.

CAETANO, Ana Paula.; PAZ, Ana Luísa.; NARDUELA, Absalão.; PARDAL, Adriana.; ROCHA, Ana.; RÉ; Sofia.; CORREIA, Cinayana.; MARQUES, Clara; SILVA, Helena.; ANDRADE, Joana.; CARVALHO, Manuela; MEIRELES, Teresa. As Artes no Ensino Superior – ‘Pedagogias do evento’ no Doutoramento em Educação Artística. In: GONÇALVES, Susana; COSTA, José Joaquim (Eds.), Diversidade no Ensino Superior. Coimbra: CINEP-IPCe, 2019. p. 239-260.

DELEUZE, Gilles. Sobre o Teatro: Um manifesto de menos e o esgotado. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010.

DELEUZE, Gilles.Spinoza et le problème de l’expression. Paris: Minuit, 1968.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. Lisboa: Edições 70, 1998.

FOUCAULT, Michel. O corpo utópico, as heterotopias. São Paulo: n1 Edições, 2013.

GAZTAMBIDE-FERNÁNDEZ, Ruben. Why the arts don't do anything: Toward a new vision for cultural production in education. Harvard Educational Review, v. 83, n. 1, p. 211-237. 2013.

HERNANDEZ, Fernando H. La investigación basada en las artes. Propuestas para repensar la investigación en Educación. Education Siglo XXI, n. 26, p. 85-118. 2008.

IRWIN, Rita L. Becoming A/r/tography. Studies in Art Education, v. 54, n. 3, p. 198-215. 2013.

JOSSO, Marie-Christine. A transformação de si a partir da narração de histórias de vida. Educação, Porto Alegre/RS, v. 63, n. 3, p. 413-438, set/dez. 2007.

POPKEWITZ, Thomas. Historicizing how theory acts as ‘the retrieval’ apparatus in methods. In: FITZGERALD, T. (Ed.), Handbook of Historical Studies in Education: Debates, Tensions and Directions (22 pp.). Singapura: Springer, 2020, no prelo.

POWELL, Kimberly. Prelude. Moving from still life: Emerging conceptions of the body in arts education. In: BRESLER, L. (Ed.). International Handbook of Research in Arts Education. Dordrecht: Springer, 2007. p. 1083-1086.

RICOEUR, Paul. Temps et récit. 3. Le temp raconté. Paris: Éditions du Seuil, 1985.

RICOEUR, Paul. O discurso da ação. Lisboa: Edições 70, 2014.

ROLFE, Linda. Using learner journals in teacher education in the arts. In: BURNARD Pamela; HENESSY, Sara (Eds.), Reflective practices in Arts Education. Dordrecht: Springer, 2009. p. 95-106.

SOUZA, Elizeu Clementino. Diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica: análise compreensiva-interpretativa e política de sentido. Educação, Santa Maria, v. 39, n. 11, p. 39-50. 2014

Downloads

Publicado

2020-01-01