Um novo olhar sobre a condução na dança de salão: questões de gênero e relações de poder

Autores

  • Bruno Blois Nunes Universidade Federal de Pelotas http://orcid.org/0000-0002-2462-9562
  • Marcia Froehlich Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense - IFSul Pelotas/RS

Palavras-chave:

Educação, Dança de Salão, Condução, Corpo, Relações de poder

Resumo

Esse artigo faz uma reflexão acerca do significado atual da condução na dança de salão. Desse modo, o objetivo do presente estudo foi averiguar as novas concepções de condução na dança de salão, abordando as relações interpessoais da sociedade contemporânea. Para tanto, este estudo de caso constituiu-se de três etapas: levantamento bibliográfico, realização de entrevistas com alunos de dança de salão e observações desses alunos por parte do professor durante as aulas aliados à minha experiência profissional na área em questão. Sendo assim, verificou-se que a visão de condução estímulo-resposta é algo que nos acompanha culturalmente desde o surgimento da dança de salão e não há indícios de que poderá ser abandonada tão facilmente. Entremeado a esse contexto interpessoal e sociocultural, pode-se considerar que a grande reflexão acerca da condução na dança de salão dos dias atuais deve-se mais à maneira como ela é entendida e que talvez não seja necessário um novo modelo de condução na dança de salão, apenas uma nova forma de compreendê-la.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Blois Nunes, Universidade Federal de Pelotas

Graduação em Educação Física (UFPel/RS)

Mestrado em História (UFPel/RS)

Especialização em Linguaguens Verbo-Visuais e suas Tecnologias (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense - IFSul Pelotas/RS)

Marcia Froehlich, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense - IFSul Pelotas/RS

Mestrado em Letras (UFSM/RS)

Docente do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense - IFSul Pelotas, atuando também no Curso de Especialização Lato Sensu em Linguagens Verbais e Visuais e suas Tecnologias.

Referências

ARÔXA, Jaime. Jaime Arôxa. Correio Carioca, Rio de Janeiro, p. s/p., jan. 2009. Entrevista concedida ao Correio Carioca. Disponível em: <http://www.correiocarioca.com.br/html/entrevistas/jaime_aroxa.html>. Acesso em: 19 mar. 2017.

CASSIMIRO, Érica Silva; GALDINO, Francisco Flávio Sales; SÁ, Geraldo Mateus de. As concepções de corpo construídas ao longo da história ocidental: da Grécia Antiga à contemporaneidade. Revista Μετάνοια, São João del Rei, n.14, p. 61-79, jan./jun., 2012. Disponível em: <https://ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/revistalable/4_GERALDO_CONFERIDO.pdf>. Acesso em: 29 jun. 2016.

FEITOZA, Jonas Karlos de Souza. Danças de Salão: os corpos iguais em seus propósitos e diferentes em suas experiências. 2011. 84p. Dissertação (Mestrado em Dança), Faculdade de Dança, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011. Disponível em: <http://www.repositorio.ufba.br:8080/ri/bitstream/ri/8141/1/DISSERTACAO%20JONAS.pdf>. Acesso em: 11 jul. 2016.

FERREIRA, Maria Cristina Leandro. O corpo como materialidade discursiva. REDISCO, Vitória da Conquista, v.3, n.1, p.77-82, jan./jun. 2013. Disponível em: <http://periodicos.uesb.br/index.php/redisco/article/viewFile/1996/1723>. Acesso em: 19 jul. 2016.

FONSECA, Cristiane Costa; VECCHI, Rodrigo Luiz; GAMA, Eliane Florencio. A influência da dança de salão na percepção corporal. Motriz, Rio Claro, SP, v.18, n.1, p. 200-207, jan./mar. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/motriz/v18n1/v18n1a20.pdf>. Acesso em: 12 jul. 2016.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber. 7. ed. Tradução: Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

______. História da Sexualidade I: a vontade de saber. 13. ed. Tradução: Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 1999.

______. História da Sexualidade II: o uso dos prazeres. 8. ed. Tradução: Maria Thereza da Costa Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 1998a.

______. Microfísica do Poder. 13. ed. Tradução: Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1998b.

GIL, José. Movimento Total: o corpo e a dança. Tradução: Miguel Serras Pereira. Lisboa: Relógios D’Água, 2001.

HALL, Edward Twitchell. The Hidden Dimension. 2. ed. New York: Doubleday, 1990.

JESUS, Carlinhos de. Vem Dançar Comigo. São Paulo: Gente, 2005.

KALTENBRUNNER, Thomas. Contact Improvisation: moving, dancing and interaction. 2. ed. Oxford: Meyer & Meyer Sport, 2004.

MACHADO, Roberto. Por uma genealogia do poder. In: FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. 13. ed. Tradução: Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1998. p. VII-XXIII.

McGOWAN, Margaret M. Dance in the Renaissance: European fashion, French obsession. Londres: Yale University, 2008.

NUNES, Bruno Blois. As relações de poder entre pares e um novo olhar sobre a condução na dança de salão dos dias atuais. 2017. Monografia (Especialização em Linguagens Verbo/Visuais e Tecnologias) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense (IFSul), Pelotas, 2017.

PEASE, Allan; PEASE, Barbara. Desvendando os Segredos da Linguagem Corporal. Tradução: Pedro Jorgensen Junior. Rio de Janeiro: Sextante, 2010. [versão e-book].

PERNA, Marco Antonio. Dama boa não pensa... In: ______. (Org.). 200 Anos de Dança de Salão no Brasil – Vol. 2. Rio de Janeiro: Amaragão Edições de Periódicos, 2012. p. 47-53.

______. Samba de gafieira: a história da dança de salão brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: Edição do autor, 2005.

PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES. Página Inicial. 2017. Disponível em: <http://www.periodicos.capes.gov.br> Acesso em: 03 mar. 2017.

RIED, Bettina. Fundamentos de Dança de Salão. São Paulo: Phorte, 2003.

SANTOS, Sheila. O diálogo dançante da dama contemporânea. Dança em Pauta, Curitiba, mai. 2013. Disponível em: <http://site.dancaempauta.com.br/o-dialogo-dancante-da-dama-contemporanea/>. Acesso em: 14 ago. 2016.

SILVA JÚNIOR, João Batista. Representações de masculinidade nos salões de dança carioca. In: FAZENDO GÊNERO – DIÁSPORAS, DIVERSIDADES, DESLOCAMENTOS, 9, 2010, Florianópolis. Anais... Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2010. p. 01-09. Disponível em: <http://www.fazendogenero.ufsc.br/9/resources/anais/1278301614_ARQUIVO_JoaoBatistadaSilvaJunior-REPRESENTACOESDEMASCULINIDADENOSSALOESDEDANCACARIOCA.pdf>. Acesso em: 20 jul. 2016.

SILVEIRA, Paola de Vasconcelos. Diálogos de um ser a dois: uma perspectiva para dançar tango. 2012. 40f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação), Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012. Disponível em:

<http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/67881/000874188.pdf?sequence=1>. Acesso em: 26 ago. 2016.

STRACK, Míriam Medeiros. Dama ativa e comunicação entre o casal na dança de salão: uma abordagem prática. 2013. 76p. Monografia (Especialização em Teoria e Movimento da Dança com Ênfase em Danças de Salão), Faculdade Metropolitana de Curitiba (FAMEC), São José dos Pinhais, 2013.

VIANNA, Klauss. A Dança. 6. ed. São Paulo: Summus, 2005.

WILLADINO, Isabel Costa. Dança Zouk: trajetórias do aprendiz. 2012. 170f. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2012. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/49841/000850593.pdf?sequence=1>. Acesso em: 25 ago. 2016.

ZAMONER, Maristela. A heterossexualidade na dança de salão. Dança em Pauta, Curitiba, nov. 2011a. Disponível em: <http://site.dancaempauta.com.br/a-heterossexualidade-da-danca-de-salao/>. Acesso em: 14 ago. 2016.

______. Dança de salão: a caminho da licenciatura. Curitiba: Protexto, 2005.

______. Dança de salão: uma força civilizatriz. Curitiba: Comfauna, 2016a.

______. E se as damas conduzissem. Dança em Pauta, Curitiba, mar. 2011b. Disponível em: <http://site.dancaempauta.com.br/e-se-as-damas-conduzissem/>. Acesso em: 14 ago. 2016.

______. O que a dança de salão tem a ver com sexo? Dança em Pauta, Curitiba, abr. 2013. Disponível em: <http://site.dancaempauta.com.br/o-que-a-danca-de-salao-tem-a-ver-com-sexo/>. Acesso em: 16 ago. 2016.

______. Todo poder emana da dama... Dança em Pauta, Curitiba, maio 2016b. Disponível em: <http://site.dancaempauta.com.br/todo-poder-emana-da-dama/>. Acesso em: 14 ago. 2016.

Downloads

Publicado

2018-04-01

Como Citar

NUNES, B. B.; FROEHLICH, M. Um novo olhar sobre a condução na dança de salão: questões de gênero e relações de poder. Revista Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 14, n. 2, p. 091-116, 2018. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/10172. Acesso em: 1 jul. 2022.