Desempenho agronômico de variedades de girassol em função de populações de plantas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712232023378%20%20

Palavras-chave:

Helliantus annuus L., densidade de plantas, cultivo adensado

Resumo

O girassol é uma planta que se adapta em diversas condições edafoclimáticas, sendo utilizada para alimentação humana e animal, bem como para fins ornamentais. Objetivou-se neste trabalho avaliar o desempenho agronômico de variedades de girassol cultivadas em diferentes densidades de plantas. Utilizou-se o delineamento experimental de blocos completos casualizados, em esquema fatorial 3x4, envolvendo 3 variedades de girassol (Embrapa 122, IAC Iarama, IAC Uruguai) e 4 populações de plantas (30, 45, 60 e 75 mil plantas por hectare), com 4 repetições. Cada parcela foi composta por 4 fileiras de plantas com 5 metros de comprimento e espaçamento de 0,70 m entre fileiras de plantas. Na colheita foram avaliados: altura de plantas; diâmetro do caule; diâmetro do capítulo; peso de 1000 aquênios; número de capítulos. Verificou-se efeito significativo das diferentes variedades de girassol na altura de plantas, diâmetro de capítulo, número de capítulos pequenos, número de capítulos normais, e número total de capítulos. Também foi verificado efeito significativo da população de plantas sobre o diâmetro do capítulo, altura de plantas, número total de capítulos e número de capítulos pequenos. A interação entre variedades e população foi significativa apenas para o número de capítulos normais e produtividade. A densidade de plantas ideal para o desempenho agronômico da cultura do girassol depende da variedade utilizada. A maior densidade de plantas possibilita maior produtividade da variedade Embrapa 122.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALSANIUS BW et al. 2017. Ornamental flowers in new light: Artificial lighting shapes the microbial phyllosphere community structure of greenhouse grown sunflowers (Helianthus annuus L.). Scientia Horticulturae 216: 234-247.

AMABILE RF et al. 2003. Análise de crescimento de girassol em Latossolo com diferentes níveis de saturação por bases no Cerrado. Pesquisa Agropecuária Brasileira 38: 219-224.

BRASIL. 2022. Portaria SPA/MAPA Nº 130, de 09 de maio de 2022. Aprova o Zoneamento Agrícola de Risco Climático – ZARC para a cultura do girassol no estado de Mato Grosso do Sul, ano-safra 2022/2023. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, publicada no D.O.U em 11 de maio de 2022, seção 1. Disponível em: <https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/riscos-seguro/programa-nacional-de-zoneamento-agricola-de-risco-climatico/portarias/safra-vigente/mato-grosso-do-sul/word/PORTN130GIRASSOLMS.ret.pdf>

BRUNES RR. 2010. Desempenho de híbrido de girassol em resposta ao vigor das sementes, população de plantas e desuniformidade de semeadura no outono de 2009 em Uberlândia-MG. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia). Uberlândia: UFU. 51p.

CARVALHO LM et al. 2014. Desempenho Produtivo do Consórcio Girassol/Mandioca, nos Tabuleiros Costeiros de Sergipe. Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros. 4p. (Comunicado Técnico 147)

CONAB. 2022. Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento da safra brasileira de grãos, Safra 2021/22, n.9 Brasília: CONAB. p.1-98. Disponível em: <https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/graos/boletim-da-safra-de-graos>

DOMINSCHEK R et al. 2019. High sunflower densities as a weed control strategy in an integrated crop-livestock system. Planta Daninha 37: e019177063.

EMAM SM & AWAD AAM. 2017. Impact of plant density and humic acid application on yield, yield components and nutrient uptakes of sunflower (Helianthus annuus L.) grown in a newly reclaimed soil. Journal of Soil Sciences and Agricultural Engineering 8: 635-642.

FAOSTAT. 2020. Food and Agriculture Organization of the United Nations. Sunflower World Production.

FERREIRA DF. 2011. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia 35: 1039-1042.

FONSECA JN et al. 2020. Desenvolvimento vegetativo inicial de girassol em função da adubação potássica e densidade populacional em clima tropical. Brazilian Journal of Development 6: 65136-65146.

HARSYA F et al. 2012. All about growing sunflower – developed by the University of Buenos Aires. Zerno 7: 68-78.

IAC. 2022. Instituto Agronômico de Campinas. Cultivares de girassol: Cultivar IAC Iarama e Cultivar IAC Uruguai. Disponível em: <http://www.iac.sp.gov.br/areasdepesquisa/graos/girassol.php>

IVANOFF MEA et al. 2010. Formas de aplicação de nitrogênio em três cultivares de girassol na savana de Roraima. Revista Ciência Agronômica 41: 319-325.

LONG M et al. 2001. Effects of plant density, row spacing and row orientation on yield and achene quality in rainfed sunflower. Acta Agronomica Hungarica 49: 397-407.

MACHADO GS et al. 2021. Desempenho agronômico e produtivo de girassol em diferentes épocas de semeadura e arranjos espaciais de planta em Plantio Direto. Brazilian Journal of Animal and Environmental Research 4: 276-296.

MARCHESINI MJ et al. 2018. Desempenho de genótipos de girassol cultivados em segunda safra. Profiscientia 11: 46-57.

OLIVEIRA AKS et al. 2022. Efficiency of phosphorus use in sunflower. Agronomy 12: 1558.

OLIVEIRA MLA et al. 2017. Crescimento e produção de girassol ornamental irrigado com diferentes lâminas e diluições de água residuária. Irriga 22: 204-219.

PINKOVSKYI H & TANCHYK S. 2021. Management of productivity of sunflower plants depending on terms of sowing and density of standing in arid conditions of the Right-bank Steppe of Ukraine. Agronomy Science 76: 21-38.

PIVETTA LG et al. 2012. Avaliação de híbridos de girassol e relação entre parâmetros produtivos e qualitativos. Revista Ciência Agronômica 43: 561-568.

SILVA PRF & ALMEIDA ML. 1994. Resposta de girassol à densidade em duas épocas de semeadura e dois níveis de adubação. II - Características de planta associadas à colheita. Pesquisa Agropecuária Brasileira 29: 1365-1371.

SILVA PRF & NEPOMUCENO AL. 1991. Efeito do arranjo de plantas no rendimento de grãos, componentes do rendimento, teor de óleo e no controle de plantas daninhas em girassol. Pesquisa Agropecuária Brasileira 26: 1503-1508.

SILVEIRA JM et al. 2005. Semeadura e manejo da cultura do girassol. In: LEITE RMVBC et al. (Ed.). Girassol no Brasil. Londrina: Embrapa Soja. p.375-409.

SOARES EB et al. 2020. Sunflower performance as a function of phosphate fertilization in semiarid conditions. Acta Scientiarum. Agronomy 42: e42960.

SOUZA FR et al. 2015. Características agronômicas do cultivo de girassol consorciado com Brachiaria ruziziensis. Revista Ciência Agronômica 46: 110-116.

TAHA MM et al. 2018. Potential resistance of certain sunflower cultivars and inbred lines against charcoal rot disease caused by Macrophomina phaseolina (Tassi) Goid. Journal of Phytopathology and Pest Management 5: 55-66.

TAIZ L et al. 2017. Fisiologia e desenvolvimento vegetal. 6.ed. Porto Alegre: Artmed. 888p.

TARSITANO RA et al. 2016. Custos e rentabilidade da produção de girassol no estado do Mato Grosso, Brasil. Revista Espacios 37: 1-9.

VOZHEHOVA RA et al. 2018. Sunflower seed yields and quality depending on hybrids, plant densities and foliar fertilization under the rain-fed conditions of the steppe zone. Research Journal of Pharmaceutical, Biological and Chemical Sciences 9: 993-999.

Downloads

Publicado

2023-08-04

Como Citar

FERREIRA, Bruno Gomes Candido; KIKUTI, Hamilton; KIKUTI, Ana Lúcia Pereira; PEREIRA, Carlos Eduardo. Desempenho agronômico de variedades de girassol em função de populações de plantas. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 22, n. 3, p. 378–384, 2023. DOI: 10.5965/223811712232023378 . Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/23045. Acesso em: 11 dez. 2023.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)