Caracterização agronômica e edafoclimática dos vinhedos de elevada altitude

Autores

  • Luiz Fernando Vianna Epagri
  • Angelo Mendes Massignan Epagri/Ciram
  • Cristina Pandolfo Epagri/Ciram
  • Denilson Dortzbach Epagri/Ciram
  • Valci Francisco Vieira

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711532016215

Palavras-chave:

Cadastro vitícola, vinhos de altitude, vitivinicultura, vinhos brasileiros.

Resumo

O objetivo desse trabalho foi realizar a caracterização agronômica e edafoclimática dos vinhedos e determinar as tendências de uso das principais variedades para produzir vinhos finos nas regiões de elevada altitude do Estado de Santa Catarina. Foram considerados vinhedos de elevada altitude os vinhedos localizados acima de 900 m em relação ao nível do mar e os vinhedos pertencentes aos associados da Associação Catarinense de Vinhos Finos de Altitude (Acavitis) localizados em altitudes inferiores a 900 m. Para avaliar as tendências de cultivo foi realizado um cadastro georreferenciado, seguindo as normas da Embrapa Uva e Vinho. Para realizar a caracterização edafoclimática, as áreas dos vinhedos foram cruzadas com mapas fisiográficos, climáticos e pedológicos em um Sistema de Informações Geográficas. A caracterização dos vinhedos de elevada altitude foi realizada com base na área plantada. As variedades com maior área foram Cabernet Sauvignon (37,9%), Merlot (14,5%), Chardonnay (8,0%) e Sauvignon Blanc (7,5%). De 2009 a 2013 houve substituição de C. Sauvignon por variedades brancas e Pinot Noir, principalmente nas altitudes superiores a 1.100 m. Houve uma tendência no uso de variedades brancas e Pinot Noir em vinhedos novos, mas a principal tendência observada foi no crescimento de áreas experimentais, com outras 60 variedades tintas e brancas. Em relação à fisiografia, a norma da Acavitis exige que os vinhedos dos associados estejam localizados acima de 900 m de altitude, porém foram encontrados vinhedos em altitudes entre de 675 m e 1.452 m, com 64,6% da área plantada entre 1.100 e 1.300 m acima do nível do mar. Os vinhedos estão em áreas onde a pluviosidade anual chegou a ser 240% superior aos valores considerados ótimos pela literatura especializada. A temperatura média anual variou entre 12 oC e 18 oC e tanto a amplitude térmica quanto as horas anuais de sol foram consideradas suficientes para completar o ciclo de todas as variedades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Vianna, Epagri

Biólogo, Dr. em geografia, pesquisador da Epagri/Ciram

Downloads

Publicado

2016-11-11

Como Citar

VIANNA, Luiz Fernando; MASSIGNAN, Angelo Mendes; PANDOLFO, Cristina; DORTZBACH, Denilson; VIEIRA, Valci Francisco. Caracterização agronômica e edafoclimática dos vinhedos de elevada altitude. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 15, n. 3, p. 215–226, 2016. DOI: 10.5965/223811711532016215. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/223811711532016215. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigo Completo - Ciência de Plantas e Produtos Derivados