Distribuição do cádmio nas frações químicas de um CAMBISSOLO FLÚVICO Alumínico gleissólico

Eduardo da Silva Daniel, David José Miquelluti, Mari Lucia Campos, Marta de Moura Madeira, Dreyce Kisholli Bueno

Resumo


A compreensão da distribuição dos elementos-traço às frações químicas do solo, mobilidade e concentração total são imprescindíveis no diagnóstico da contaminação e definição de estratégias de remediação de áreas contaminadas. Este trabalho teve como objetivo observar o comportamento do Cd nas diferentes frações químicas e do Cd total através da extração por água régia na camada superficial de um CAMBISSOLO FLÚVICO Alumínico gleisólico. Após a contaminação com doses crescentes e incubação do metal no solo, amostras foram analisadas através do protocolo de GOMES et al. (1997) para a extração sequencial, e através do protocolo ISO 11047 (1998) (água régia) para a extração total. A concentração de Cd foi determinada por espectrometria de absorção atômica. Os resultados foram submetidos à análise de variância, sendo ajustadas equações de regressão entre as variáveis analisadas e as doses de Cd aplicadas no solo e calculadas as proporções do Cd alocado em cada fração e do Cd total recuperado. O aumento das doses de Cd aplicadas no solo experimentado elevou a concentração total, e a concentração as suas frações químicas, em ordem crescente de intensidade: óxidos de ferro     < solúvel < residual < matéria orgânica < trocável. Proporcionalmente, sob baixas concentrações, o Cd tem maior tendência de ligar-se à matéria orgânica, óxidos de ferro e à fração residual. Sob altas concentrações, as frações solúvel e trocável somadas, que são as que apresentam maior mobilidade no solo, são mais representativas que as demais. A extração do Cd total através do método da água régia retornou valores acima de 77% das doses aplicadas no solo, apresentando elevada eficiência para concentrações de até 200 mg kg-1.


Palavras-chave


elementos-traço, extração sequencial, poluição de solos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLEONI LRF et al. 2005. Atributos do solo relacionados à adsorção de cádmio e cobre em solos tropicais. Acta Scientiarum Agronomy 27: 729-737.

BRASIL. 2009. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº 420 de 2009.

COSTA CN et al. 2007. Fracionamento sequencial de cádmio e chumbo em solos. Ciência Rural 37: 1323-1328.

DONAGEMA GK et al. 2011. Manual de Métodos de Análise de Solo. 2.ed. Rio de Janeiro: EMBRAPA. 226p.

GOMES PC et al. 1997. Extração fracionada de metais pesados em latossolo vermelho-amarelo. Revista Brasileira de Ciência do Solo 21: 543-551.

HADLICH GM & UCHA JM. 2010. Distribution of cadmium in a cultivated soil in Britanny, France. Scientia Agricola 67: 731-736.

HASS A & FINE P. 2010. Sequential selective extraction procedures for the study of heavy metals in soils, sediments, and waste materials - a critical review. Critical Reviews in Environmental Science and Technology 40: 365-399.

HONMA T et al. 2015. Relationship between cadmium fractions obtained by sequential extraction of soil and the soil properties in contaminated and uncontaminated paddy soils. Journal of Chemistry. 9p.

ISO 11047. 1998. Soil quality – Determination of cadmium, chromium, cobalt, copper, lead, manganese, nickel and zinc in aqua regia extracts of soil – Flame and electrothermal atomic absorption spectrometric methods. Washington: American National Standards Institute. 24p.

KABALA C & SINGH BR. 2006. Distribution and forms of cadmium in soils near a copper smelter. Polish Journal of Environmental Studies 15: 90–97.

KELLER C & VÉDY JC. 1994. Distribution of copper and cadmium fractions in two forest soils. Journal of Environmental Quality Abstract 23: 987-999.

LINHARES LA et al. 2009. Adsorção de cádmio e chumbo em solos tropicais altamente intemperizados. Pesquisa Agropecuária Brasileira 44: 291-299.

LOGANATHAN P et al. 2012. Cadmium sorption and desorption in soils: a review. Critical Reviews in Environmental Science and Technology 42: 489-533.

McLAUGHLIN MJ et al. 2011. Uptake of metals from soil into vegetables. In: SWARTJES FA (ed.). Dealing with contaminated sites: from theory towards practical application. Holanda: Springer. p. 325-367.

NORDBERG GF. 2009. Historical perspectives on cadmium toxicology. Toxicology and Applied Pharmacology 238: 192-200.

PIERANGELI MAP et al. 2007. Comportamento sortivo, individual e competitivo, de metais pesados em Latossolos com mineralogia contrastante. Revista Brasileira de Ciência do Solo 31: 819-826.

RAO CRM et al. 2008. A review of the different methods applied in environmental geochemistry for single and sequential extraction of trace elements in soils and related materials. Water Air Soil Pollution 189: 291-333.

SANTOS HG et al 2013. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3.ed. Brasília: EMBRAPA. 353p.

SASTRE J et al. 2002. Determination of Cd, Cu, Pb and Zn in environmental samples: microwave-assisted total digested versus aqua regia and nitric acid extraction. Analytica Chimica Acta 462: 59-72.

TEDESCO MJ et al. 1995. Análise de solo, plantas e outros materiais. 2.ed. Porto Alegre: UFRGS. 174p.

THOMASI SS et al. 2015. Sequential extraction of copper, nickel, zinc, lead and cadmium from Brazilian Oxysols: metal leaching and metal distribution in soil fractions. International Journal of Environmental Studies 72: 41-55.

VANĚK A et al. 2005. Mobility of lead, zinc and cadmium in alluvial soils heavily polluted by smelting industry. Plant, Soil and Environment 51: 316-321.

VIOLANTE A et al. 2010. Mobility and bioavailability of heavy metals and metalloids in soil environments. Journal of Soil Science and Plant Nutrition 10: 268-292.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/223811711812019127

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171