Análise fitossociológica de trilha ecológica em Floresta Ombrófila Mista

Karine Souza, Thábata Cristina Faxina, Jéssica Oneda da Silva, Romell Alves Ribeiro Dias, Ana Carolina da Silva, Pedro Higuchi

Resumo


O presente estudo objetivou caracterizar a composição florística e estrutural da vegetação arbórea ao longo de uma trilha ecológica, localizada em uma Pousada Rural em Lages, SC, com o propósito de verificar o quanto esta é representativa da Floresta Ombrófila Mista, e inferir sobre seu potencial como ferramenta de educação ambiental. A amostragem da vegetação foi pelo método do ponto quadrante ao longo da trilha ecológica, por meio de 100 pontos, distantes 10 m entre si, onde foram avaliados 400 indivíduos arbóreos, com circunferência à altura do peito (a 1,30 m) igual ou superior a 15 cm. Foram determinados o índice de diversidade de Shannon, a equabilidade de Pielou e os descritores fitossociológicos clássicos. A fim de se fazer inferências a respeito da representatividade da trilha, foram feitas comparações com a literatura. Foram identificadas 44 espécies, 38 gêneros e 25 famílias, sendo Myrtaceae a família mais representativa. A diversidade foi de 2,98 nats ind.-1 e a equabilidade foi de 0,79. Araucaria angustifolia, Calyptranthes concinna e Dicksonia sellowiana obtiveram os maiores valores de importância. Considerando o contexto regional, os resultados sugerem que a trilha ecológica representa de forma adequada os fragmentos florestais da região, indicando seu elevado potencial para ser empregada como ferramenta de educação ambiental.

Palavras-chave


Floresta com araucária, Educação ambiental, Espécies arbóreas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171