Estrutura de um remanescente de Floresta Ombrófila Mista em Urupema, Santa Catarina, Brasil

Daiane Martins, Aurélio Lourenço Rodrigues, Camila Lucas Chaves, Adelar Mantovani, Roseli Lopes da Costa Bortoluzzi

Resumo


O presente estudo teve por objetivo descrever a estrutura e a composição florística do estrato arbóreo e arbustivo de um fragmento de Floresta Ombrófila Mista Altomontana, a aproximadamente 1600 m de altitude, no município de Urupema, Santa Catarina. Para o levantamento fitossociológico foram instaladas cinco transecções, aleatoriamente alocadas e subdivididas em 146 parcelas de 10x4 m, totalizando 5.840 m2. Em cada parcela foram amostrados todos os indivíduos com DAP (diâmetro à altura do peito) ≥ 5 cm. Foi encontrado um total de 970 indivíduos, na proporção de 1656 indivíduos por hectare, pertencentes a 24 famílias, 32 gêneros e 42 espécies. As famílias mais ricas em espécies foram Myrtaceae (dez), Asteraceae e Lauraceae (três). A estrutura horizontal da floresta foi caracterizada pela elevada importância relativa de três espécies: Dicksonia sellowiana Hook., Myrceugenia euosma (O. Berg) Legr. e Drimys angustifolia Miers que juntas representam 54,4% da densidade relativa do trecho da floresta amostrado, 60,66% da dominância relativa, 40,5% da frequência relativa e 51,06% do índice de valor de importância. O índice de diversidade de Shannon foi de 2,6 nats/indivíduo e o de uniformidade de Pielou igual a 0,88. Constatou-se baixa diversidade na área, podendo estar relacionada ao histórico de exploração e as condições ambientais específi cas devido à altitude.

Palavras-chave


Composição florística; Planalto Catarinense; Estrutura fitossociológica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171