Luzes, câmera, ação!: Práticas teatrais com surdos em ambiente virtual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102412021e0113

Palavras-chave:

Processo de Drama, Oficinas de Teatro, Teatro com surdos, Extensão Universitária

Resumo

O artigo apresenta duas oficinas de teatro oferecidas para público de pessoas surdas e desenvolvidas em modo remoto por meio de plataformas virtuais durante o ano de 2020. São analisados dois processos de Drama - abordagem para ensino e experimentação teatrais - destacando estratégias de ensino que consideraram as referências das e dos participantes surdas e surdos e o uso da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Os recursos oferecidos pelas plataformas escolhidas foram integrados aos processos de Drama, estimulando a elaboração de um pré-texto que dialogasse com o ambiente virtual e contribuindo para a ampliação das possibilidades de jogo cênico durante o desenvolvimento dos processos.

Biografia do Autor

Diego de Medeiros Pereira, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Professor Doutor do Departamento de Artes Cênicas, Mestrado Profissional em Artes (Prof-Artes) e Programa de Pós-graduação em Teatro (PPGT), da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). 

Marcia Berselli, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Professora Adjunta da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Douglas Vicente Leopold, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Graduando do curso de Licenciatura em Teatro da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Priscila Lourenzo Jardim, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduada em Teatro pela UFRGS (2017).

 

Referências

ANABELLE. Direção: John R. Leonetti. Produção: James Wan; Peter Safran. Estados Unidos: Warner Bros. Pictures, 2014. DVD.

BOAL, Augusto. Jogos Para Atores e Não-Atores. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

CABRAL, Beatriz. Drama como método de ensino. São Paulo: Hucitec, 2006.

CABRAL, Biange; PEREIRA, Diego de Medeiros. O espaço de jogo no Contexto do Drama. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 28, p. 285-301, 2017. Disponível em:

https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101282017285. Acesso em: 28 abr. 2021.

DUBATTI, Jorge. Experiencia teatral, experiencia tecnovivial: ni identidad, ni campeonato, ni superación evolucionista, ni destrucción, ni vínculos simétricos. Rebento, São Paulo, n. 12, p. 8-32, jan. - jun. 2020. Disponível em: http://www.periodicos.ia.unesp.br/index.php/rebento/article/view/503/299.

Acesso em: 20 abr. 2021.

FAZZIONI, Mateus; BERSELLI, Marcia. Isso não é teatro [recurso eletrônico]: guia de experimentos cênicos em ambiente virtual. Santa Maria/RS: UFSM, CAL, Departamento de Artes Cênicas, Grupo de pesquisa Teatro Flexível: práticas cênicas e acessibilidade, 2021.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz & Terra, 65ª ed., 2020.

GALVÃO, Cleyton Leandro. Os sentidos do termo virtual em Pierre Lévy. Logeion: Filosofia da Informação, v. 3, n. 1, p. 108-120, 2016.

HUSH: a morte ouve. Direção de Mike Flanagan. Estados Unidos: Bh Productions e Interpid Pictures, 2016. Color. DVD.

KARNOPP, Lodenir Becker; KLEIN, Madalena; LUNARDI-LAZZARIN, Márcia Lise. Produção, circulação e consumo da cultura surda brasileira. In: KARNOPP, Lodenir Becker; KLEIN, Madalena; LUNARDI-LAZZARIN, Márcia Lise (org.). Cultura Surda na contemporaneidade: negociações, intercorrências e provocações. Canoas: Ulbra, 2011. Cap. 1. p. 15-28.

LIM, Stephanie. At the intersection of Deaf and Asian American performativity in Los Angeles: Deaf West Theatre’s and East West Players’ adaptations of Pippin. In: KUPPERS, Petra (org.). Disability Arts and Culture: methods and approaches. Chicago: Intellect, 2019. Cap. 2, p. 37-53.

LOPES, Maura Corcini; VEIGA-NETO, Alfredo. Marcadores culturais surdos: quando eles se constituem no espaço escolar. Perspectiva, Florianópolis, v. 24, n. 0, p. 81-100, 2006. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/10541.

Acesso em: 28 abr. 2021.

O CHAMADO. Direção: Gore Verbinski. Produção: Laurie MacDonald; Walter F. Parkes, Estados Unidos: Universal Pictures. 2002. DVD.

PAULA, Wellington Menegaz de. Drama-processo e ciberespaço: o ensino do teatro em campo expandido. Tese (Doutorado em Teatro). Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

PEREIRA, Diego de Medeiros. Drama e a teoria histórico-cultural: interlocuções possíveis. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 24, p. 174-185, 25 set. 2015. Disponível em https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101242015174/9583. Acesso em: 28 abr. 2021.

PEREIRA, Diego de Medeiros. Drama como uma possibilidade teatral na educação infantil. Revista Aspas, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 68-79, 2014. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/aspas/article/view/85651. Acesso em: 26 abr. 2021.

ZOANDO na Tv. Direção: José Alvarenga Júnior. Produção: Daniel Filho. Brasil: Columbia Pictures, 1999. Color. DVD.

Downloads

Publicado

2021-09-15

Como Citar

PEREIRA, D. de M.; BERSELLI, M.; LEOPOLD, D. V.; JARDIM, P. L. Luzes, câmera, ação!: Práticas teatrais com surdos em ambiente virtual. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 41, p. 1-25, 2021. DOI: 10.5965/1414573102412021e0113. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/20344. Acesso em: 5 dez. 2021.