Sobre cartas, celas, elas e professoras-em-processo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/14145731033920200108

Palavras-chave:

Pedagogia do teatro, Teatro com mulheres em privação de liberdade, Professoras-em-processo, Teoria crítica feminista

Resumo

Nestas cartas escritas a quatro mãos busca-se rememorar e refletir sobre o trabalho desenvolvido pelas autoras com mulheres em privação de liberdade no Presídio Regional de Joinville (PRJ). Do projeto inicial de pesquisa e montagem da peça celas em 2010, a partir de narrativas de mulheres em situação de cárcere e egressas do PRJ, às oficinas de teatro realizadas com estas mulheres anos depois - intercaladas pelas apresentações da peça em sua primeira versão e sua posterior desmontagem -, procura-se tecer os fios que trouxeram a este lugar de atuação e análise. Através de uma escrita performativa, mesclam-se memórias e afetos das artistas-professoras com narrativas e reflexões sobre o processo pedagógico desenvolvido no segundo semestre de 2019 no PRJ, a partir de uma perspectiva de gênero. Confidenciam-se desejos, incertezas, descobertas, frustrações e conquistas que este percurso trouxe, tendo como foco a percepção da docência como um processo criativo constante e dialógico, de professoras-em-processo.

Biografia do Autor

Daiane Dordete Steckert Jacobs, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Professora Associada do Departamento de Artes Cênicas da UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina, na área de voz/interpretação, e do Programa de Pós-graduação em Teatro da UDESC. Diretora de Extensão, Cultura e Comunidade do Centro de Artes da UDESC (gestão 2017-2021). Doutora e Mestra em Teatro pela UDESC. Bacharela em Artes Cênicas com habilitação em Interpretação Teatral pela FAP - Faculdade de Artes do Paraná (UNESPAR). Foi conselheira Estadual de Cultura de Santa Catarina na representação da FECATE - Federação Catarinense de Teatro, entre os anos de 2017 e 2019. É membra do Conselho Municipal de Política Cultural de Florianópolis, representando a UDESC (2019-2021). É membra da Comissão de Avaliação de Incentivo à Cultura - CAIC, de Florianópolis, representando a UDESC. É membra da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-graduação em Artes Cênicas (ABRACE). Editora Associada da Revista de Estudos em Artes Cênicas URDIMENTO (PPGT/UDESC) e da Revista VOZ E CENA (PPGACEN/UnB). Idealizadora e membra da equipe do Programa de Extensão RADIOFONIAS da UDESC-CEART deste 2015. É atriz, diretora, dramaturga, contadora de histórias e poeta. Pesquisa nas áreas de voz, atuação, performance, teatro performativo, teatro narrativo, contação de histórias, teatro feminista, teoria crítica feminista e estudos de gênero.

Samira Sinara Souza, UNIVILLE

Atriz/performer, pesquisadora, produtora cultural e executiva da VAI! coletivo de pesquisa cênica desde 2009. Mestra em Patrimônio Cultural e Sociedade pela Universidade da Região de Joinville- UNIVILLE. Especialista em Fundamentos do Ensino do Teatro pela Faculdade de Artes do Paraná- FAP (UNESPAR) e Licenciada em Educação Artística (Artes Plásticas) pela Universidade da Região de Joinville - UNIVILLE. Autora do livro “A Casa Nº909 da Rua XV de Novembro: Espaço praticado de memórias em Joinville/SC”.

Referências

BERTH, Joice. O que é empoderamento? Belo Horizonte (MG): Letramento, 2018.

BOAL, Augusto. Jogos para atores e não atores. 13a. Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

BORGES, Juliana. Encarceramento em massa. 1a. reimpressão. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019.

CABRAL, Biange. O professor-artista: perspectivas teóricas e deslocamentos históricos. Urdimento, Florianópolis, v.1, n. 10, 2008.

CELAS Blogspot. Disponível em: <http://celaseelas.blogspot.com/>. Acesso em: 25 de set. 2020.

CERNEKA, Heidi Ann. Homens que menstruam: considerações acerca do Sistema Prisional às especificidades da Mulher. Veredas do Direito, Belo Horizonte, v. 6 n. 11 p. 61-78 Janeiro - Junho de 2009.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano 1: artes do fazer. 10.ed. Petropólis: Vozes, 1994.

COHEN, Renato. Work in progress na cena contemporânea: criação, encenação e recepção. São Paulo: Perspectiva, 2004.

JACOBS, Daiane Dordete Steckert. Celas (dramaturgia). Não publicada, 2011.

SPOLIN, Viola. Improvisação para o teatro. Tradução e revisão Ingrid Dormien Koudela e Eduardo José de Almeida Amos. São Paulo: Perspectiva, 2008.

TIROTTI, Nilton. A universidade leva à penitenciária. Blogspot. Disponível em: <http://tirotti.blogspot.com/>. Acesso em 01 de out.2020.

VINCENZO, Elza Cunha de. Um Teatro da Mulher: Dramaturgia feminina no palco brasileiro contemporâneo. São Paulo: Ed. Universidade de São Paulo, 1992.

Downloads

Publicado

2020-12-23

Como Citar

JACOBS, D. D. S.; SOUZA, S. S. Sobre cartas, celas, elas e professoras-em-processo. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 39, p. 1-21, 2020. DOI: 10.5965/14145731033920200108. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18881. Acesso em: 24 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê temático: Artes da Cena atrás das grades