Espaço(s): configurações na cena brasileira e latino-americana

Autores

  • Fátima Costa de Lima Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC
  • Stephan Baumgärtel

DOI:

https://doi.org/10.5965/14145731023820200001

Palavras-chave:

Imaginação espacial humana. Espaço como fenômeno social. Grafia na cena. Grafia da cena.

Resumo

A partir de uma perspectiva historizante, este texto apresenta uma reflexão sobre diferentes imaginações e concepções do espaço cênico. Articula parâmetros científicos e estéticos, socioculturais e antropológicos para refletir sobre as relações entre as situações socioeconômicas e políticas nas quais se encontram o Brasil – e com variantes regionais  os outros países latino-americanos – e os processos de configuração espacial que acabaram de manifestar-se nesse século XXI com cada vez mais insistência. Dessa maneira, evidencia criticamente os contextos conceituais das práticas sobre quais os artigos desse dossiê refletem, e chama atenção à ausência das grandes vozes estabelecidas da cenografia brasileira no discurso refletivo sobre esses processos na cena brasileira e latino-americana do século XXI.

Biografia do Autor

Fátima Costa de Lima, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Profa. Dra. Curso de Licenciatura em Artes Cênicas e no Programa de  Pós-Graduação em Teatro (PPGT) do centro de Artes (CEART), Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Stephan Baumgärtel

Prof. Dr. Curso de Licenciatura em Artes Cênicas e no Programa de  Pós-Graduação em Teatro (PPGT) do centro de Artes (CEART), Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

 

Referências

ALIGHIERI, Dante. A divina comédia. Tradução de Fábio M. Alberti. Porto Alegre: LP&M, 2004.

APPIA, Adolphe. Music and the Arts of Theatre. Miami: University of Miami Press, 1962 (publicado originalmente em 1898 em francês).

BENJAMIN, Walter e outros/as. Benjamin e a obra de arte. Tradução de Marijane Lisboa e Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 2012a.

BENJAMIN, Walter. Origem do drama trágico alemão. Tradução de João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

BOWLER, Lisa Marie. Theatre Architecture as Embodied Space. A Phenomenology of Theatre Buildings in Performance. Ph.D. thesis, Faculdade de Filosofia. Ludwig-Maximilians-Universität München, 2015. Disponível em https://edoc.ub.uni-muenchen.de/20310/7/Bowler_Lisa_Marie.pdf. Acesso em: 23 jul. 2020.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano. 1. Artes de Fazer. Petrópolis: Vozes, 2005.

CASSIRER, Ernst. “Mythischer, ästhetischer und theoretischer Raum.” (1931). In: DÜNNE, Jörg e GÜNZEL, Stephan. Raumtheorie. Grundlagentexte aus Philosophie und Kulturwissenschaften. Frankfurt/Main: Suhrkamp Taschenbuch, 2006. p. 485 – 500.

DEL NERO, Cyro. Máquina para os deuses: anotações de um cenógrafo e o discurso da cenografia. São Paulo: SENAC/SESC SP, 2009.

DÜNNE, Jörg e GÜNZEL, Stephan. Raumtheorie. Grundlagentexte aus Philosophie und Kulturwissenschaften. Frankfurt/Main: Suhrkamp Taschenbuch, 2006.

EINSTEIN, Albert e INFELD, Leopold. A evolução da física: de Newton até a Teoria dos Quanta. Tradução de Monteiro Lobato. São Paulo: Cia Nacional, 1976.

EINSTEIN, Albert. “Raum, Äther und Feld in der Physik.” (1930) in: DÜNNE, Jörg e GÜNZEL, Stephan. Raumtheorie. Grundlagentexte aus Philosophie und Kulturwissenschaften. Frankfurt/Main: Suhrkamp Taschenbuch, 2006.p. 94 – 101.

HAß, Ulrike. “Von der Schau-bühne zur Architektur.” in: EKE, Norbert Otto et al. Bühne: Raumbildende Prozesse im Theater. Paderborn: Fink, 2014. p. 345 – 370.

HAWKING, Stephen. Buracos negros, universos bebês e outros ensaios. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Rocco, 1995.

HEISENBERG, Werner. Física e filosofia. Tradução de Jorge Leal Ferreira. Brasília: Editora da UnB, 1987.

KOPENAWA, Davi e ALBERT, Bruce. A queda do céu: palavras de um xamã yanomami. Tradução de Beatriz Perrone-Moisés. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

KRENAK, Ailton. Paisagens, territórios e pressão colonial. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, volume 9, número 3, p. 327- 343, julho-dezembro de 2015.

LANDAU, l. D. e RUMER, Iu. B. O que é a teoria da relatividade. Traduzido por José Manuel Pires Marques. Moscou: Editora Mir, 1986.

MANTOVANI. Anna. Cenografia. São Paulo: Ática, 1989.

PAVIS, Patrice. Dicionário de Teatro. São Paulo: Perspectiva, 1999.

RATTO, Gianni. Antitratado de cenografia: variações sobre o mesmo tema. São Paulo: Editora SENAC, 1999.

SANTOS, Milton. Pensando o Espaço do Homem. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2012.

SERRONI, J. C. Teatros: uma memória do espaço cênico no Brasil. São Paulo: Editora SENAC, 2002.

WERTHEIM, Margaret. Uma história do espaço de Dante à Internet. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

Downloads

Publicado

2020-09-24

Como Citar

LIMA, F. C. de; BAUMGÄRTEL, S. . Espaço(s): configurações na cena brasileira e latino-americana. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, p. 1-14, 2020. DOI: 10.5965/14145731023820200001. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18740. Acesso em: 29 jul. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Temático - Espaços: configurações na cena brasileira e latino-americana