Protocolos e a Pedagogia do Teatro – da tradução dos protocolos de estudantes sobre Aquele que diz sim aos protocolos do “trabalho alegre”

Autores

  • Vicente Concilio Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC
  • Ingrid Dormien Koudela USP

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101342019246

Resumo

Este artigo apresenta possibilidades de apropriação do protocolo como estratégia de avaliação, e também de criação artística, em processos que envolvam ensino e aprendizagem do teatro. A apropriação desse procedimento no contexto brasileiro foi introduzida por Ingrid Koudela, a partir de suas pesquisas focadas nas peças didáticas de Bertolt Brecht – e por essa razão, o artigo traz a tradução daqueles que são considerados os primeiros protocolos: os escritos por estudantes que presenciaram a estreia de Aquele que diz sim, que motivaram o dramaturgo alemão a escrever Aquele que diz não, em resposta.

Biografia do Autor

Vicente Concilio, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Departamento de Artes Cênicas; Teatro-Educação

Downloads

Publicado

2019-04-04

Como Citar

CONCILIO, V.; KOUDELA, I. D. Protocolos e a Pedagogia do Teatro – da tradução dos protocolos de estudantes sobre Aquele que diz sim aos protocolos do “trabalho alegre”. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 34, p. 246-255, 2019. DOI: 10.5965/1414573101342019246. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101342019246. Acesso em: 1 ago. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Temático - Pedagogia das Artes Cênicas: desafios e resistência