POR QUE ADORAMOS FILMES DE ZUMBIS? UMA ANÁLISE DA IMAGEM GROTESCA DE UM PRODUTO DA CULTURA DE MASSA EM COMPARAÇÃO COM A CULTURA CONSUMISTA PÓS-MODERNA

Autores

  • Rodrigo Montandon Born PPGAV - Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234607142015064

Palavras-chave:

análise de filmes, cultura, capitalismo, consumo , filmes de zumbie

Resumo

Este artigo busca fazer uma análise do fenômeno contido nos filmes comerciais de terror, especificamente os filmes de temática de mortos-vivos propondo articulações entre a imagem provocada pelos cineastas e artistas e a cultura de consumo decorrente do capitalismo. Se o cineasta, conforme propõe Jameson (1995) não é isolado de seu contexto político/social, poderiam estes filmes ser entendidos como possíveis imagens do que Lukács (1920) entende como a bancarrota da organização social capitalista? Em uma cultura aonde a morte e o esgotamento dos recursos, o caos e o lapso de sistemas são situações recorrentes, insistentemente "empurradas para debaixo dos panos" como poderiam estes filmes de temática tão banal serem reinterpretados como a própria imagem do capitalismo?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Montandon Born, PPGAV - Universidade do Estado de Santa Catarina

Mestre e licenciado em Artes Visuais pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Referências

GONZALO, Jorge Fernández. Filosofía zombi. Editorial Anagrama: Barcelona, 2011 JAMESON, Fredric. As marcas do visível. Rio de Janeiro: Grall, 1995.

KAYSER, Wolfgang. O Grotesco. São Paulo: Perspectiva, 2003

KURLE, Adriano. Indústria Cultural: Quando a arte encontra a mercadoria. Intuitio: Porto Alegre, n1, vol 6. p. 103-122, 2013.

LAPLATINE. François. Aprender Antropologia. Ed. Brasiliense, SP, 1989.

LUKÁCS, György. Velha e Nova Cultura. 1920. Publicado originalmente em 1920 na revista Kommunismus, nº 43. José Braz. Disponível em: <http://www.marxists.org/ portugues/lukacs/1920/mes/cultura.htm>. Acesso em: 20 jan. 2015.

MÉSZÁROS, ISTVÁN. A Teoria da Alienação em Marx, São Paulo, Boitempo, 2006.

ZIZEK, Slavoj. Primeiro como tragédia, depois como farsa. Boitempo: São Paulo, 2011.

Downloads

Publicado

2015-12-18

Como Citar

BORN, Rodrigo Montandon. POR QUE ADORAMOS FILMES DE ZUMBIS? UMA ANÁLISE DA IMAGEM GROTESCA DE UM PRODUTO DA CULTURA DE MASSA EM COMPARAÇÃO COM A CULTURA CONSUMISTA PÓS-MODERNA. Palíndromo, Florianópolis, v. 7, n. 14, p. 064–080, 2015. DOI: 10.5965/2175234607142015064. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/6848. Acesso em: 17 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção aberta