Agente da Modernização: A imprensa brasileira pelas mãos de Amilcar de Castro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234612272020167

Palavras-chave:

Amilcar de Castro, neoconcretismo, Jornal do Brasil, imprensa, arte moderna

Resumo

A busca por estilos de vida – parte integrante da modernidade fruto da modernização – foi uma das marcas do processo de modernização mundializada no Brasil. A figura do artista teve importância central no movimento de estetização do cotidiano que associava as estéticas vigentes aos estilos de vida. A partir das transformações ocorridas na arte durante a mundialização no Brasil, nos anos 1950 e 1960, com as novas formulações do Concretismo e do Neoconcretismo — baseadas nas diversas fases e reinterpretações do construtivismo europeu —, veremos como a imprensa não apenas foi influenciada por essas tendências, como foi reformulada e moldada pelas mãos dos artistas. A reforma gráfica realizadas no Jornal do Brasil pelo artista plástico Amilcar de Castro, estudada aqui, é exemplo dessa atuação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clecius Campos Corrêa, Universidade Federal de Juiz de Fora

Mestre em Artes, Cultura e Linguagens pela Universidade Federal de Juiz de Fora, na linha de pesquisa Arte, Moda: Cultura e Linguagens. Possui especialização em Moda, Cultura de Moda e Arte pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2013) e graduação em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2007).

Referências

ALVES, José Francisco. Amilcar de Castro: uma retrospectiva. Porto Alegre: Funda-ção Bienal de Artes Visuais do Mercosul, 2005.

AMARAL, Aracy A.; BELLUZO, Ana Maria M. (org.) Projeto construtivo na arte: 1950-1962. Rio de Janeiro: Museu de Arte Moderna; São Paulo: Pinacoteca do Estado, 1977.

BARBOSA, Marialva. História cultural da imprensa: Brasil, 1900-2000. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

BECKER, Howard S. Mundos da arte. Trad. Luís San Payo. Lisboa: Livros Horizonte, 2010.

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. Trad. Carlos Felipe Moisés, Ana Maria L. Ioratti. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.

BRITO, Ronaldo. Neoconcretismo: vértice e ruptura do projeto construtivo brasilei-ro. Rio de Janeiro: Funarte, 1985.

BUENO, Maria Lúcia. Artes Plásticas no século XX: modernidade e globalização, São Paulo/Campinas: Editora da Unicamp, Imesp e Fapesp, 2001.

CORRÊA, Clecius Campos. Agentes da modernização: os artistas plásticos e suas atuações na arte, na moda e na imprensa brasileira dos anos 1950 e 1960. 2016. 128 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Arte, Cultura e Lingua-gens. Universidade Federal de Juiz de Fora, 2016.

COSTA PINTO, L. A. Sociologia e desenvolvimento: temas e problemas de nosso tempo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975.

DINES, Alberto. O papel do jornal: uma releitura. 4. ed. amp. e atual. São Paulo: Su-mus, 1986.

FEATHERSTONE, Mike. Cultura de Consumo e Pós-modernismo. São Paulo: Studio Nobel, 1995.

FERNANDES, Florestan. A Revolução Burguesa no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

GULLAR, Ferreira. Etapas da arte contemporânea: do cubismo ao neoconcretismo. São Paulo: Nobel, 1985.

LESSA, Washington Dias. Dois estudos de comunicação visual. Rio de Janeiro: Edito-ra UFRJ, 1995.

NAVES, Rodrigo. A forma difícil: ensaios sobre arte brasileira. Ed. rev. amp. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

ORTIZ, Renato. A moderna tradição brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1988.____________. Mundialização e Cultura. São Paulo, Editora Brasiliense, 1994.

SILVA, Rafael Souza. Diagramação: o planejamento visual gráfico na comunicação impressa. São Paulo: Summus, 1985.

WAIZBORT, Leopoldo. As aventuras de Georg Simmel. São Paulo: Editora 34, 2000.

Downloads

Publicado

2020-05-01

Como Citar

CORRÊA, Clecius Campos. Agente da Modernização: A imprensa brasileira pelas mãos de Amilcar de Castro. Palíndromo, Florianópolis, v. 12, n. 27, p. 167–183, 2020. DOI: 10.5965/2175234612272020167. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/15839. Acesso em: 17 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção aberta