Professora de música e pesquisadora: reflexividade narrativa a partir dos bastidores de uma pesquisa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530407012022e0109

Palavras-chave:

música, pesquisa, formação, reflexividade narrativa

Resumo

Este artigo apresenta minha narrativa sobre algumas experiências que vivi no processo de uma pesquisa de doutorado desenvolvida dentro um curso de Pedagogia de uma universidade pública. O objetivo do artigo é compreender como a reflexividade narrativa contribui para o processo de formação do pesquisador. Não busco desvendar a verdade sobre os fatos, mas sim apresentar a narrativa autobiográfica, segundo Passeggi (2016, 2021) como opção metodológica para resgatar algumas experiências vividas junto com as estudantes que participaram da pesquisa e os significados que dei a elas durante e depois do processo da disciplina. Metodologicamente, narro as trilhas da pesquisa, os registros do diário de campo, as transcrições dos vídeos ou o dispositivo da memória para entender os conhecimentos e saberes tecidos nessa produção. Concluo que para tornar-me pesquisadora foi preciso aprender a silenciar, sentar-me sozinha por horas e horas em busca de fundamentação, de perguntas, respostas ou ainda de originalidade.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gislene Natera, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) sob orientação de Gilka Girardello. Possui em sua formação: Mestrado pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2010); Bacharelado em Música- Piano- Universidade Estadual de Campinas- UNICAMP (1990); Licenciatura Plena em Música- Centro Universitário Belas Artes de São Paulo (2004) e Especialização- UNESP (1995). É professora efetiva da Rede Municipal de Florianópolis. Tem experiência como professora colaboradora e orientadora do Departamento de Música da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC- 2012-2015); Coordenadora Geral de Estágios do CEART/UDESC (2013-2015); professora de Música no curso de Pedagogia (FAED/UDESC- 2014-2015); assim como professora em escolas particulares de Florianópolis e São Paulo na escola básica- Educação Infantil e Ensino Fundamental- (1990-2015). Tem como foco de pesquisa: formação de professores, parceria entre educador musical e professores da escola básica, cultura, infância e mídia.

Referências

ARÓSTEGUI PLAZA, José Luis. Democracia y Currículum: La participación del alumnado en el aula de Música. Tese (Doctorado) – Departamento de Didáctica y Organización Escolar, Universidad de Granada, Granada, 2000.

AZOR, Gislene Natera. Música nos anos iniciais do Ensino Fundamental: perspectivas para o trabalho em parceria na Rede Municipal de Ensino de Florianópolis. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

BARBOUR, Rosaline. Grupos Focais. Trad. Marcelo Figueiredo Duarte. Consultoria, supervisão e revisão técnica desta edição Leandro Miletto Tonetto. Porto Alegre: Artmed, 2009.

BAZALGETTE, Cary. Key Aspects of Media Education. In: ALVARADO, Manuel; BOYD-BARRETT, Oliver: Media Education: an introduction. London: British Film Institute, 1992. p. 199-204.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Lei 8.069 de 13 de julho de 1990.

BRASIL. Manual da Nova Classificação Indicativa. Organização José Eduardo Romão, Guilherme Canela, Anderson Alarcon. Brasília: Ministério da Justiça; Secretaria Nacional de Justiça; Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação, 2006.

CANDELAS, Marta Hernández; TORRES, Lucía Herrera; QUILES, Oswaldo Lorenzo. Beneficios potenciales del aprendizaje musical para el desarrollo de habilidades no musicales en la infancia: consideraciones teóricas. In: La música en Educación Infantil: Investigación y práctica. Claudia Gluschankof; Jèssica Pérez-Moreno (Editoras). Dairea Ediciones. Consilia Musicorum S.L., 2017, p. 25-226.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber às práticas educativas [livro eletrônico]. Bernard Charlot. 1 Ed. São Paulo: Cortez, 2014. (Coleção docência em formação: saberes pedagógicos).

COUNCIL OF EUROPE. Guidelines to respect, protect and fulfil the rights of the child in the digital environment. Recommendation CM/Rec (2018)7 of the Committee of Ministers. Strasbourg: COE, Sept. 2018.

CRESWELL, John W. Investigação qualitativa e projeto de pesquisa: escolhendo entre cinco abordagens. Trad. Sandra Mallmann da Rosa. Revisão técnica de Dirceu da Silva. 3. ed. Dados eletrônicos. Porto Alegre: Penso, 2014. Recurso eletrônico.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs. Capitalismo e Esquizofrenia. Trad. Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995. v. 1. DENORA, Tia. Music in Everyday Life. New York: Cambridge University Press, 2000. E-book.

DENORA, Tia. Music in Everyday Life. New York: Cambridge University Press, 2000. E-book.

FANTIN, Monica. Dimensões da formação cultural e da mídia-educação na Pedagogia. EntreVer, Florianópolis, v. 2, n. 3, p. 264-280, jul./dez. 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/EntreVer/article/view/34254/27136.

GIROUX, Henry A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Trad. Daniel Bueno. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

HARGREAVES, David J.; NORTH, Adrian C.; TARRANT, Mark. How and why do musical preferences change in childhood and adolescence? In: MCPHERSON, Gary E. (ed.). The child as Musician: a handbook of musical development. 2. ed. Oxford: Oxford University Press, 2016. p. 302-317.

IBÁÑEZ, Albert Casals. La música como práctica social y vivencia cultural. In: GLUSCHANKOF, Claudia; PÉREZ-MORENO, Jéssica (ed.). La Música en Educación Infantil: Investigación y práctica. Madrid: Dairea, 2017. p. 17-29.

KELLNER, Douglas; SHARE, Jeff. Educação para a leitura crítica da mídia, democracia radical e a reconstrução da educação. Trad. Márcia Barroso. Revisão Antonio Zuin. Educação & Sociedade, Campinas, v. 29, n. 104, Especial, p. 697-715, out. 2008. Disponível em: http:// www.cedes.unicamp.br.

LOUREIRO, Maristela; TATIT, Ana. Brincadeiras cantadas de cá e de lá. Maristela Loureiro e Ana Tatit; [ilustrações Ana Tatit]. São Paulo: Editora Melhoramentos, 2013. (Brinco e Canto).

LUTTRELL, Wendy (org.). Qualitative Educational Research: readings in reflexive methodology and transformative practice. New York; London: Routledge, 2010.

MAFFIOLETTI, Leda de Albuquerque. A mediação das narrativas no trabalho reconstrutivo de uma história de vida: o que os diários de classe contam. Revista Linhas. Florianópolis, v. 20, n. 42, p. 125-152, jan./dez. 2019.

MCCLAIN, Jordan M. A framework for using popular music videos to teach media literacy. Dialogue. The Interdisciplinary Journal of Popular Culture and Pedagogy, v. 3, n. 1, 2016. Disponível em: http://journaldialogue.org/issues/a-framework-for-using-popular-music-videos-to-teach-media-literacy/. Acesso em: 14 out. 2018.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. Trad. Carlos Alberto Ribeiro de Moura. 4. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

MORAIS, Joelson de Souza; LIMA, Maria Divina Ferreira. A escrita narrativa no processo de (auto)formação do pesquisador educacional. Revista Iniciação & Formação Docente (online), Uberaba, MG, v. 7, n. 2, p. 291-309, 2020. Disponível em: https://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/revistagepadle/article/view/4463

Acesso em: fevereiro de 2022.

NATERA, Gislene. Música, Formação e Mídia-Educação: um estudo com futuras professoras de crianças. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2021.

NATERA, Gislene; GIRARDELLO, Gilka. Música e mídias: contribuições das teses e dissertações brasileiras para a formação de professores. Revista Tempos e espaços em Educação, v. 13, n.32, e-14007. Jan./dez. 2020. http://dx.doi.org/10.20952/revtee.v13i32.14007

NATERA, Gislene; MATEIRO, Teresa. Música na formação acadêmico-profissional nos cursos de Pedagogia: 20 anos de pesquisa. Opus, v. 27, n. 1, p. 1-21, jan/abr. 2021. http://dx.doi.org/10.20504/opus2021a2704

PASSEGGI, Maria da Conceição. A pesquisa (auto)biográfica: por uma hermenêutica descolonizadora. Coisas do Gênero. São Leopoldo, v. 2, n.2, p. 302-314, ago./dez. 2016

PASSEGGI, Maria da Conceição. Narrativas da experiência na pesquisa-formação: do sujeito epistêmico ao sujeito biográfico. Roteiro, Joaçaba, v. 41, n. 1, p. 67-86, jan./abr. 2016a.

PASSEGGI, Maria da Conceição. Reflexividade narrativa e poder auto(trans)formador. Revista Práxis Educacional, v. 17, n.44.p. 93-113. jan./mar., 2021.

PENNA, Maura. Música(s) e seu Ensino. Porto Alegre: Sulinas, 2008.

RIVOLTELLA, Pier Cesare. Mídia-educação e pesquisa educativa. Perspectiva, Florianópolis, v. 27, n. 1, p. 119-140, jan./jun. 2009.

RIVOLTELLA, Pier Cesare. Retrospectiva e tendências da pesquisa em Mídia-educação no contexto internacional. In: FANTIN, Monica; RIVOLTELLA, Pier Cesare (org.). Cultura digital e escola: pesquisa e formação de professores. Campinas: Papirus, 2012. p. 17-30. (Coleção Papirus Educação).

SAMPAIO, Inês Sílvia Vitorino; CAVALCANTE, Andréa Pinheiro Paiva. Critérios e indicadores de qualidade. In: SAMPAIO, Inês Sílvia Vitorino; CAVALCANTE, Andréa Pinheiro Paiva. Qualidade na programação infantil da TV Brasil. Florianópolis: Insular, 2012. p. 21-48.

SILVA, Lucilene. Eu vi as Três Meninas: música tradicional da infância na Aldeia de Carapicuíba. Ilustrações de Adelsin. 1. ed. Carapicuíba: Zerinho ou Um, 2014.

SOARES, Thiago. Percursos para estudos sobre música pop. In: PEREIRA DE SÁ, Simone; CARREIRO, Rodrigo; FERRAZ, Rogério (org.). Cultura pop. Salvador: EDUFBA; Brasília: Compós, 2015. p. 19-34.

SOUZA, Elizeu Clementino de. (Auto)biografia, histórias de vida e práticas de formação. In: NASCIMENTO, AD., and HETKOWSKI, TM., orgs. Memória e formação de professores [online]. Salvador: EDUFBA, 2007. Disponível em:

<http://books.scielo.org>.

SOUZA, Severino Ramos de; FRANCISCO, Ana Lúcia. O método da Cartografia em Pesquisa Qualitativa: estabelecendo princípios...desenhando caminhos... In: CONGRESSO IBERO-AMERICANO EM INVESTIGAÇÃO QUALITATIVA, 5., 2016, Porto. Atas […]. Porto: Universidade Lusófona do Porto, 2016. v. 2, p. 811-820. Disponível em: https://proceedings.ciaiq.org/index.php/ciaiq2016/article/view/826/812. Acesso em: maio 2018.

SOUZA, Thais Ehrhardt de. As crianças e os conteúdos para adultos na televisão: recepção, mediação e brincadeira. In: GIRARDELLO, Gilka; FANTIN, Monica (org.). Trajetórias inventivas de pesquisa em educação contemporânea: infância, comunicação, cultura e arte. São Paulo: Pimenta Cultural, 2020. p. 475-493.

SOUZA, Zelmielen A. Aproximações e distanciamentos na docência virtual em música: narrativas de professores formadores em cursos de pedagogia da UAB. 2018, 301p. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Santa Maria, Programa de Pós-Graduação em Educação, Santa Maria, 2018.

TORRES, Maria Cecília. Músicas do cotidiano e memórias musicais: narrativas de si de professores do ensino fundamental. In: SOUZA, Jusamara (Org.). Aprender e ensinar música no cotidiano. Porto Alegre: Sulina, 2008, p.237-258.

TORRES, Maria Cecília. Histórias de uma professora de música aposentada em tempos de pandemia: entre ser docente e discente. In: O cotidiano no cotidiano da pandemia: reflexões e experiências com a educação musical. Jusamara Souza… [et al.]. Porto Alegre: Scientific, 2021.

Downloads

Publicado

2022-06-28

Como Citar

NATERA, G. Professora de música e pesquisadora: reflexividade narrativa a partir dos bastidores de uma pesquisa. Orfeu, Florianópolis, v. 7, n. 1, p. e0109, 2022. DOI: 10.5965/2525530407012022e0109. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/21927. Acesso em: 1 out. 2022.