Processos criativos: recorte e colagem como vetores de experiência para a elaboração de novas paisagens

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/23580925242020128

Resumo

Este artigo objetiva analisar o processo de criação de crianças de quatro anos de idade, ao utilizarem a técnica do recorte e colagem, perfazendo uma análise comparativa do processo quando monitorado diretamente pelo professor e quando deixado acessível para as crianças criarem e imaginarem.
Por meio de recortes e da técnica da colagem, descobrem novas imagens/paisagens a partir da técnica produzida com fragmentos de imagens retiradas de mídias impressas e da memória afetiva que atravessa e constitui as crianças. Fundamenta teoricamente os estudos em Vigotski (2009), Cunha (2018) e Iavelberg (2008), para discutir o ensino da Arte para crianças. Finaliza destacando as diferentes ações que contribuem para os processos de criação para as crianças da Educação Infantil.

Biografia do Autor

Margarete Sacht Góes, Universidade Federal do Espírito Santo

MARGARETE SACHT GÓES - Professora da Universidade Federal do Espírito Santo, no Centro de Educação. Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Arte na Educação Infantil - GEPAEI.  Doutora em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo, na linha de pesquisa Educação e Linguagens.

Felipe Lacerda, Universidade Federal do Espírito Santo

Estudante de Artes Visuais da Universidade Federal do Espírito Santo

Referências

ARAÚJO, G. C.; OLIVEIRA, A. A. Sobre Métodos de Leitura de imagem no ensino da arte contemporânea. In: Imagens da Educação. v. 3, n. 2, 2013. p. 70-76.

BARBOSA, M. N. S. Criação, imaginação e expressão da criança: caminhos e possibilidades do desenho infantil. 2018. Disponível em: <https://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/mestradoeducacao/dissertacao%20Marina%20Neves%20

Silva%20Barbosa.pdf>. Acesso em: 07/04/2019.

BARBOSA, A. A. T. B. Releitura, citação, apropriação ou o que? In: BARBOSA, A. M. (org.). Arte/Educação contemporânea: consonâncias internacionais. São Paulo: Cortez, 2005. p. 143-149.

CUNHA, S. M. Crianças fazendo Arte: processos de criação artística e formação profissional docente para a Educação Infantil. Unisul, Tubarão: Poiésis, v. 12, n. 21, 2018. p. 235-250, Jan/Jun. Disponível em: http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/index. Acesso em: 29/06/2019.

IAVELBERG, R. Interações entre a arte das crianças e a produção de arte adulta. Florianópolis: ANPAP, 2008. p. 1425-1436. Disponível em: http://anpap.org.br/anais/2008/artigos/129.pdf. Acesso em: 30/04/2019.

KEHRWALD, I. P. Ler e escrever em artes visuais. In: NEVES, I. C. B.; et al (orgs.). Ler e escrever: compromisso de todas as áreas. 7ª. Ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006, p. 28-29.

MARTINS, Luiz Renato. Colagem: investigações em torno de uma técnica moderna. Revista ARS Arte, Crítica, História da Arte, Resenhas. São Paulo, v. 5, n. 10, 2007. Disponível em: < https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_

arttext&pid=S1678-53202007000200006>. Acesso em: 20/05/20.

OSTETTO, L. E. Educação infantil e arte: sentidos e práticas possíveis, 2011. Disponível em: <http://acervodigital.unesp.br/handle/123456789/320> Acesso em: 10/04/2018.

OSTETTO, L. E. No novelo da memória, atravessamentos do sensível: tornar-se. Revista Digital do LAV. Santa Maria: UFSM, v. 11, n. 2, 2018. p. 166-191.

VIGOTSKI, L. S. A imaginação e a Arte na Infância. Lisboa: Relógio D’Água Editores, 2009.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

GÓES, M. S.; LACERDA, F. Processos criativos: recorte e colagem como vetores de experiência para a elaboração de novas paisagens. Revista NUPEART, Florianópolis, v. 24, p. 128-149, 2020. DOI: 10.5965/23580925242020128. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/nupeart/article/view/17445. Acesso em: 1 ago. 2021.