Design inclusivo: recursos assistivos para um modelo de camisa social para pessoa com deficiência visual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630732023e3880

Palavras-chave:

vestuário inclusivo, método projetual, camisaria, deficiência visual

Resumo

Esse artigo tem como objetivo a identificação e definição de recursos assistivos que possam serem aplicados em uma camisa social a fim de tornar este item de vestuário um produto mais inclusivo para pessoas com deficiência visual. Para isso, desenvolveu-se uma metodologia projetual híbrida, abordando o conceito do design inclusivo que apresente características que possibilite o fácil acesso e manuseio por parte dos usuários cegos. A metodologia híbrida foi desenvolvida na disciplina de Inovação em materiais têxteis do PPGMODA Udesc a partir das metodologias projetuais de design propostas pelos autores Baxter (2011), Lobach (2001) e Bonsiepe (1984) bem como, utilizou-se da metodologia de moda de Montemezzo (2003). Quanto a metodologia desta pesquisa em relação a sua natureza classifica-se como qualitativa e descritiva quanto aos seus objetivos. Quanto aos procedimentos técnicos para a coleta de dados utilizou-se um questionário on-line via Google Forms, com cinco perguntas, sendo três dissertativas e duas de múltiplas escolha aplicadas com 22 pessoas com deficiência visual do sexo masculino, com idade entre, 18 e 30 anos usuário de camisa social. Quanto aos resultados, destaca-se que é possível desenvolver itens de vestuário que apresente características com aspectos mais inclusivos, de modo à contribuindo para o fácil acesso e manuseio por parte da pessoa com deficiência visual. Por fim, cita-se como recursos as: (I) etiquetas em Braille, (II) QR CODE, (III) audiodescrição

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jailson Oliveira sousa, Universidade do Estado de Santa Catarina

Mestrando em Design de vestuário e moda pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Pesquisador vinculado aos grupos de pesquisa JOII (Jornalismo, Inovação e Igualdade) da Universidade Federal do Piauí, desenvolvendo pesquisa sobre jornalismo de moda, vinculado ao grupo de pesquisa Design, Arte, Moda e Hedonomia da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE e também vinculado ao grupo de pesquisa Design de Moda e Tecnologia da Universidade do Estado de Santa Catarina. Pós-graduado em Negócios e Stylist de Moda pelo Centro Universitário Uninovafapi (2016), bem como em Artes e Tecnologia pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2019). Mestrando em Design do Vestuário e Moda pelo PPGMODA-UDESC, Graduado em Design de Moda pelo Centro Universitário Uninovafapi (2015). Técnico em Teatro pela Escola Técnica de Teatro Professor José Gomes Campos (2017). Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Design de Moda, tendo atuado como Visual Merchandising nas lojas Riachuelo e como Diretor criativo/administrativo na loja de fantasias World Fantasy. Atualmente atuando como professor substituto nos cursos de vestuário integrado ao ensino médio, curso superior de tecnologia em Design de Moda bem como no curso de pós-graduação latu sensu em Moda no Instituto Federal Catarinense - Campus Ibirama. Ministrou oficina A criação de estampas como fator de diferenciação e valorização do produto de Moda, em 2019, pelo Instituto Federal do Piauí - Polo Piripiri. Ministrou minicurso de customização em moda no Centro de Convivência Wall Ferraz, em 2017. Nas artes atuou nos seguintes temas: peça de teatro movimento, peça curtas, peça corrupção, performance de dança, radio novela e outros.

Icléia Silveira, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutora em Design (2011) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Mestra em Engenharia da Produção (2003) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Especialista em Desenho Industrial, Estilismo e Modelagem de moda (1992) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Também especialista em Atualização para docentes de Nível Superior (1980) pela UFSC. Também especialista em Geografia e Desenvolvimento Regional e Urbano (1978) pela UFSC. Licenciada em Geografia (1976) pela UFSC. Atualmente, é professora do quadro efetivo de docentes do curso de bacharelado em moda e do Programa de Pós-Graduação em Design de Vestuário e Moda (PPGModa), ambos da Udesc. É membro do Grupo de Pesquisa Design de Moda e Tecnologia (Udesc/CNPq). É membro do conselho editorial da revista ModaPalavra e-periódico (Udesc). É membro da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Moda (ABEPEM). É coordenadora do Laboratório de Tecnologia do Vestuário e Economia Criativa (LaCRIAT), da Udesc. Atua, leciona e pesquisa as seguintes áreas: ergonomia, modelagem plana do vestuário, moulage, processos produtivos nas indústrias têxteis e de confecção, gestão do conhecimento, negócios de moda e aprendizagem organizacional.

Dulce Maria Holanda Maciel, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutorado em Engenharia de Produção com ênfase em Gestão de Design, Ergonomia e Meio Ambiente, pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2007). Mestrado em Engenharia de Produção com ênfase em Gestão Ambiental pela UFSC (2002). Graduação em Engenharia Elétrica pela UFSC (1986). Pós-Graduação em Design de Moda pela Universidade Estácio de Sá SC (2011).Graduação em Moda na Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC(2011). Atua principalmente nos seguintes temas: gestão de design, ergonomia, uso de materiais em projetos, materiais têxteis, produto de moda,Criatividade conceito e tema de coleção de moda e fundamentos da linguagem visual. Possui mais de 15 anos de atuação em diversas empresas com enfase no diagnóstico e definição da atuação de estratégias de gestão nas empresas.

Referências

ANDRADE, Marina Ramos de; NAKA, Pâmela Yumi. Design Inclusivo: Independência a deficientes visuais. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Apucarana, 2014.

ASLAKSEN, F. et al. Universal design: planning and design for all (1997). GLADNET Collection. Paper 327. The Norwegian State Council on Disability, Oslo, 1997. Disponível em: https://www.independentliving.org/docs1/nscd1997. Acesso em: 3 jul. 2022.

BAXTER, Mike. Projeto de produto: guia prático para o design de novos produtos*. 3. ed. São Paulo: E. Blucher, 2011.

BEST, J. W. Como investigar em educación. 2. ed. Madri: Morata, 1972.

BONSIEPE, G. et al. Metodologia Experimental: Desenho Industrial*. Brasília: CNPq/Coordenação Editorial, 1984. 96p.

BONONI, Juliana. Design do vestuário infantil: as texturas como experiência tátil para crianças deficientes visuais. 2016. 148 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-Graduação em Design, Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Universidade Estadual Paulista, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2016.

BRASIL, Casa Civil. Decreto n. 5.296 de 2 de dezembro de 2004. Disponível em: https://encurtador.com.br/dpuDKAcesso em 28 de set. 2023.

ALVARENGA, F. B. Uma abordagem metodológica para o projeto de produtos inclusivos. Campinas, 2006. Tese (Doutorado em Engenharia Mecânica) – Universidade Estadual de Campinas.

CONDE, A. J. M. Definição de cegueira e baixa visão. 2017. Disponível em: https://bit.ly/3DY567Q. Acesso em: 09 maio 2020.

CHIZZOTTI, Antônio. Pesquisas em ciências humanas e sociais. 11. ed. São Paulo: Cortez, 2014a.

CRUZ, Vanessa Carla Duarte Santos. Projeto e Desenvolvimento de uma Ajuda Técnica numa Perspectiva de Design Inclusivo. Covilhã, 2010.

FERREIRA, Thais Cavalcante Albuquerque; MENDES, Francisca Raimunda Nogueira. Design inclusivo para a moda percepções sobre a roupa para mulheres com deficiência. In: 11º Colóquio de Moda – 8ª Edição Internacional 2º Congresso Brasileiro de Iniciação Científica em Design e Moda, 2015.

GRUBER et al. Design universal do vestuário. Ergo Designe. 2014.

GREPI, Giovanna. Cegueira e deficiência visual devem dobrar até 2050. 2020. Disponível em: https://jornal.usp.br/ciencias/cegueira-e-deficiencia-visual-devem-dobrar-ate-2050-aponta-estudo/. Acesso em: 31 ago. 2023.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: Disponível em: https://bit.ly/3mWmYZf. Acesso em: 8 set. 2021.

INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT. Centro de Educação a Distância. Disponível em: https://educapes.capes.gov.br/bitstream/capes/597835/2/FER%20DV%20UNIDADE%202.pdf Acesso em 28 de ago. de 2022.

LÖBACH, Bernad. Design Industrial: Bases para a configuração dos produtos industriais*. São Paulo: Blucher, 2001. 206 p.

MACHADO, A. M. R. Surdez e Acessibilidade na Moda Inclusiva. In: Colóquio de moda, Caxias do Sul. Anais... Caxias do Sul: Brasil. 13 p 2014.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2018. 312 p. ISBN 9788597012811 (broch).

MAFFEI, M. T. A. O produto de moda para o portador de deficiência física: Análise de desconforto. São Paulo, 2010.

MEC - Ministério da Educação. MEC quer ampliar literatura em Braille nas escolas. 2018. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/tags/tag/braille. Acesso em: 28 ago. 2023.

MONTEMEZZO, M. C. F. S. Diretrizes metodológicas para o projeto de produtos de moda no âmbito acadêmico. 2003. Dissertação (Mestrado em Desenho Industrial) – Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2003.

PEREIRA, Livia Marsari. A programação visual no processo de desenvolvimento de produto de moda: uma proposta didática para o ensino superior. 2016. 302 f. Tese (Doutorado) - Curso de Pós-Graduação em Design, Universidade Estadual Paulista Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, Bauru, 2016. Cap. 9. Disponível em: https://encurtador.com.br/fyBKPAcesso em: 29 ago. 2023.

SANTOS, D. F. R. Desenvolvimento de produto i-lingerie: lingerie para mulheres cadeirantes. Fortaleza, 2011. 123p. TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) Universidade Federal do Ceará, Instituto de Cultura e Arte, Fortaleza, 2011.

SBVC. Estudo O Varejo e o Consumidor com algum tipo de deficiência física. 2019. Disponível em: https://sbvc.com.br/estudo-o-varejo-e-o-consumidor-com-algum-tipo-de-deficiencia-fisica/. Acesso em: 28 ago. 2023.

SIMÕES, Jorge Falcato; BISPO, Renato. Design Inclusivo: acessibilidade e usabilidade em produtos, serviços e ambientes. Manual de apoio às ações de formação do projeto de Design Inc. 2006.

SOUSA, Jailson Oliveira. Guia para a acessibilidade de deficiente visual em loja de varejo de vestuário. 2023. 180 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Design do Vestuário e Moda, Ceart, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2023. Cap. 6. Disponível em: https://encurtador.com.br/eyBN3Acesso em: 29 ago. 2023.

STORY, Molly Follette. Principles of universal design. In: PREISER, Wolfgang F. E.; SMITH, Korydon H. Universal design handboook, 2ª ed, McGraw-Hill, 2011.

SILVA, Kelly Renata Lopes. Desenvolvimento de etiqueta em braille, visando a autonomia e inclusão social de deficientes visuais. Trabalho de conclusão de curso (TCC) Apucarana. Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2017.

SCHNEIDER, Jéssica et al. Etiquetas têxteis em braille: uma tecnologia assistiva a serviço da interação dos deficientes visuais com a moda e o vestuário. Estudos em Design, Rio de Janeiro, v. 25, n. 1, p. 65-85, 2017. Disponível em: https://bit.ly/3hkKygf. Acesso em: 8 set. 2021.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2018. 312 p. ISBN 9788597012811 (broch).

Downloads

Publicado

2023-10-01

Como Citar

SOUSA, Jailson Oliveira; SILVEIRA, Icléia; MACIEL, Dulce Maria Holanda. Design inclusivo: recursos assistivos para um modelo de camisa social para pessoa com deficiência visual. Revista de Ensino em Artes, Moda e Design, Florianópolis, v. 7, n. 3, p. 1–24, 2023. DOI: 10.5965/25944630732023e3880. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/23880. Acesso em: 22 fev. 2024.