Identidade, marca e consumo: construções simbólicas na tessitura da cultura

Autores

  • Amanda Queiroz Campos Universidade Federal de Santa Catarina
  • Álvaro Roberto Dias Universidade Federal de Santa Catarina
  • Richard Perassi Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312907092012464

Palavras-chave:

marca, consumo, cultura

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de discutir a marca enquanto construção simbólica, inserida competitivamente no contexto cultural de consumo. A identidade de uma marca depende da dimensão sensível de seus usuários em função de suas experiências. Cabe ao designer gráfico capitalizar essas experiências através de uma comunicação visual, aqui representada pela identidade visual, criando um diferencial estratégico da marca através de conceitos simbólicos. Assim, a identidade pode ser percebida através de linguagens e da manipulação de signos. Também nas histórias construídas pelo design aparecem as significações já existentes na cultura. Cada composição gráfica para expressão da marca é uma composição de fragmentos de dois códigos: um código genético e um código cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-23

Como Citar

Campos, A. Q., Dias, Álvaro R., & Perassi, R. (2018). Identidade, marca e consumo: construções simbólicas na tessitura da cultura. DAPesquisa, 7(9), 464-473. https://doi.org/10.5965/1808312907092012464

Edição

Seção

Design