A educação matemática e a fórmula n-1: rizoma e utopia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2357724X08172020265

Palavras-chave:

Filosofia da Diferença, Educação Matemática, Rizoma

Resumo

Este texto aborda a educação matemática enquanto plano de imanência ancorado  no referencial da filosofia da diferença ou multiplicidade, na vertente deleuze-guattariana, acrescido das observações  da prática educativa do autor.  Trata-se aqui de realizar  um exercício de pensamento  que intenta estabelecer vínculos entre a educação matemática e a filosofia.  O texto  destaca a crise de um paradigma científico arbóreo e se aproxima da imagem-conceito de rizoma.  Uma educação rizomática é a proposta inspiradora para o desenvolvimento de pautas relacionadas à educação matemática.   

Biografia do Autor

José Rogério Vitkowski, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Professor Departamento da Educação, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná.

Referências

ALLIEZ, Eric. Deleuze Filosofia Virtual. São Paulo: Editora 34, 1996.

CAPRA, Frijof. A Teia da Vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. Tradução de Newton Roberval Eichemberg. 1. ed. São Paulo: Cultrix, 2012.

DA SILVA, Tomaz Tadeu; KOHAN, Walter. Dossiê Deleuze. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 93, p. 1171-1182, set./dez. 2005. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 14 dez. 2012.

DELEUZE, Gilles. Em que a filosofia pode servir à matemática e mesmo a músicos. Educação e Realidade, v. 27, 2002. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/31078/19290.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Tradução de Luiz Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mil Platôs. Capitalismo e Esquizofrenia. Tradução de Ana Lúcia de Oliveira e Lúcia Cláudia Leão. 2. ed. São Paulo: Ed. 34, 2011. v. 1.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mil Platôs. Capitalismo e Esquizofrenia. Tradução de Ana Lúcia de Oliveira e Lúcia Cláudia Leão. 1. ed. São Paulo: Ed. 34, 1995. v. 2.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mil Platôs. Capitalismo e Esquizofrenia. Tradução de Aurélio Guerra Neto, Ana Lúcia de Oliveira, Lúcia Cláudia Leão e Suely Rolnik. 2. ed. São Paulo: Ed. 34, 2012. v. 2.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? Tradução de Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Munôz. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1997.

GALLO, Silvio. Deleuze & a Educação. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

LISPECTOR, Clarice. A hora da estrela. 23. ed. Disponível em: https://descomplica.com.br/gabarito-enem/questoes/2013/segundo-dia/tudo-no-mundo-comecou-com-um-sim-uma-molecula-disse-sim/. Acesso em: 18 nov. 2020.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014.

PELBART, Peter Pál. Gilles Deleuze e a utopia imanente. Disponível em: https://revistacult.uol.com.br/home/a-utopia-imanente/. Acesso em: 29 jul.2020.

REALE, Giovanni; ANTISERI, Dario. História da Filosofia. 4. ed. São Paulo: Paulus, 1990. v. 2, 3.

SANTOS, Boaventura de Souza. Pela mão de Alice: o social e o político na pós- modernidade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1997.

SCHNEIDER, Daniela da Cruz. Da árvore ao rizoma: possibilidades para o campo educacional. Revista Partes. São Paulo, 2014. Disponível em: https://www.partes.com.br/2014/02/01/da-arvore-ao-rizoma-possibilidades-para-o-campo-educacional/. Acesso em: 3 ago. 2020.

ZOURABICHVILI, François. O vocabulário de Deleuze. Tradução de André Telles. Digitalizado por Cienti-IFCH Unicamp. Disponível em: https://escolanomade.org/wp-content/downloads/deleuze-vocabulario-francois-zourabichvili.pdf. Acesso em 25 jul. 2020.

Downloads

Publicado

2020-11-30