Pensando de outro modo um tipo de conteúdo proposto pela Educação Matemática Crítica dentro da educação matemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2357724X08172020052

Palavras-chave:

Educação Matemática, Educação Matemática Crítica, Currículo de Matemática, Conteúdo, Tecnologia de Governo

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar uma tecnologia de governo evocada para a efetivação de possíveis posições de sujeito (docentes e discentes) em um currículo-EMC. Recorrendo à analise de discurso foucaultiana, utiliza como corpus especializado de análise trabalhos que foram publicados em revistas da educação matemática e no Encontro Nacional de Educação Matemática (2010, 2013, 2016). Apresenta como resultado um enunciado construído nas análises: conteúdo enfatiza um trabalho com foco na realidade dos estudantes, destacando problemas relevantes e interessantes que abordam questões sociais. O estudo conclui que um currículo-EMC cria sua própria tecnologia de governo para produção de sujeitos, por meio do uso de técnicas e procedimentos que são colocados a operar para reforçar o seu próprio discurso. Assim, o enunciado produzido estaria relacionado a uma das técnicas deste campo tecnológico, qual seja, técnica de trabalhar o conteúdo com foco na realidade dos estudantes. São destacados três pontos: (i) nessa técnica, a realidade pensada por um currículo-EMC envolve problemas do cotidiano, de professores e alunos, que possuem aspectos coletivos e não, simplesmente, individuais, (ii) essa técnica faz funcionar uma prática não coercitiva, mas que estabelece relações de poder que propõem um modo de governar sem governar por intermédio de um jogo estratégico entre as liberdades e (iii) essa técnica, também, propõe outras relações de poder como, por exemplo, que estudantes e professores sejam inseridos em um contexto em que a própria matemática adquire status de ciência legitimada e reconhecida como capaz de tratar de problemas reais.

Referências

ALMEIDA, K. F.; SOUZA, R. B. Educação Matemática Crítica e materiais apostilados: perspectivas e concepções de ensino de fração. Revista Paranaense de Educação Matemática, v.6, n.12, p.306-325, 2017.

BAMPI, L. R. Governo etnomatemático: tecnologias do multiculturalismo. 2003. 199f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

BENNEMANN, M.; ALLEVATO, N. S. G. Uma experiência de formação continuada envolvendo Educação Matemática Crítica e tecnologias de informação e comunicação. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 11, 2013. Curitiba. Anais... Curitiba: Sociedade Brasileira de Educação Matemática, 2013. p. 1-13.

BRITTO, R. R. et al. Cenários para investigações nas salas de aulas de matemática de escolas brasileiras. Revista Paranaense de Educação Matemática, v.6, n.12, p.371-396, 2017.

CAMPOS, C. R. et al. Educação Estatística no Contexto da Educação Crítica. Bolema: Boletim de Educação Matemática, v. 24, n. 39, p. 473-494, 2011.

CASTRO, E. Vocabulário de Foucault: um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

DELEUZE, G. Michel Foucault: as formações históricas. São Paulo: n-1 edições, 2017.

FILHO, D. B.; FAUSTINO, A. C.; MOURA, A. Q. Cenários para investigação, imaginação e ação. Revista Paranaense de Educação Matemática, v.6, n.12, p.64-80, 2017.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FOUCAULT, M. A Ética do Cuidado de Si como prática de liberdade.In: Ditos e escritos, volume V: ética, sexualidade, política. FOUCAULT, Michel. MOTTA, Manoel Barros da (org.). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004a, p. 264-287.

FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2017.

FOUCAULT, M. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul. Michel Foucault. Uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense universitária, 1995, p. 231-249.

FOUCAULT, M. Tecnologias de si, 1982. VERVE: Revista Semestral do NU-SOL - Núcleo de Sociabilidade Libertária/Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais. Tradução de Andre Degenszajn. n. 6, p. 321-360, 2004b.

FOUCAULT, M. Verdade e subjetividade. Revista de Comunicação e linguagem. Lisboa: Edições Cosmos, n. 19, p. 203-223, 1993.

FOUCAULT, M. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Rio de Janeiro: Vozes, 2014.

HOFMANN, R. M.; MORO, M. L. F. Educação matemática e educação financeira: perspectivas para a ENEF. ZETETIKÉ, v. 20, n. 38, 2012.

MARÍN-DÍAZ, D. L.; NOGUERA-RAMÍREZ, C. E. O efeito educacional em Foucault. O governamento, uma questão pedagógica? Pro-Posições, v. 25, n. 2, p. 47-65, 2014.

MESQUITA, M. N.; CEOLIM, A. J. Modelagem Matemática: abordagens na educação básica na perspectiva da Educação Matemática Crítica. Revista Paranaense de Educação Matemática, v.6, n.12, p.281-305, 2017.

OLIVEIRA, A. A.; SANTOS, L. T. B.; PESSOA, C. A. S. Do exercício aos cenários para investigação: a aplicação de atividades de Educação Financeira por professoras dos anos iniciais do ensino fundamental em uma escola de Recife – PE. Revista Paranaense de Educação Matemática, v.6, n.12, p.158-186, 2017.

OLIVEIRA, J.C.G.O.; SILVA, M. A. O desejável professor de matemática constituído pelo discurso da Educação Matemática Crítica. Revista Paradigma, v. 40, n. 2, p. 31-51, dez. de 2019a.

OLIVEIRA, J.C.G.O.; SILVA, M. A. O estudante desejável constituído pelo discurso da Educação Matemática Crítica. Revista Paranaense de Educação Matemática, v.8, n.17, p.17-44, jul.-dez. 2019b.

PAGUNG, C. M. D.; REZENDE, O. L. T.; LORENZONI, L. L. As contribuições da Modelagem Matemática na construção do conceito de função: análises e discussão de resultados. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 12, 2016. São Paulo. Anais... São Paulo: Sociedade Brasileira de Educação Matemática, 2016. p. 1-12.

POPKEWITZ, T. The alchemy of the mathematics curriculum: Inscriptions and the fabrication of the child. American Educational Research Journal, v. 41, n. 1, p. 3-34, 2004.

QUARTIERI, MARLI TERESINHA. A Modelagem Matemática na escola básica: a mobilização do interesse do aluno e o privilegiamento da matemática escolar. 2012. 198 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2012.

RAMOS DO Ó, J. A governamentalidade e a História da Escola Moderna: outras conexões investigativas. Revista Educação & Realidade, v. 34, n. 2, p. 97-117, 2009.

REIS, J. F.; FERREIRA, R. Etnomatemática como meio para uma aprendizagem significativa da matemática: contextos pautados na realidade sócio-cultural dos alunos. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 10, 2010. Salvador. Anais... Salvador: Sociedade Brasileira de Educação Matemática, 2010. p. 1-10.

SILVA, M. A. Currículo e Educação Matemática: a política cultural como potencializadora de pesquisas. Perspectivas da Educação Matemática, v. 11, n. 26, p. 1-23, 2018.

SILVA, M. A.; MIARKA, R. Geni, a Pesquisa em [E]educação [M]matemática e o Zepelim. Perspectivas da Educação Matemática, v. 10, n. 24, p. 752–767, 2017.

SKOVSMOSE, O. Cenários para Investigação. Bolema: Boletim de Educação Matemática, v. 13, n. 14, p. 1-24, 2000.

SKOVSMOSE; O. et. al. A Aprendizagem Matemática em uma Posição de Fronteira: foregrounds e intencionalidade de estudantes de uma favela brasileira. Bolema: Boletim de Educação Matemática, v. 26, n. 42, p. 231–260, 2012.

TEIXEIRA, J., COUTINHO, C. Q. S. A educação financeira preconizada pela ENEF – estratégia nacional de educação financeira e seus efeitos na escola básica: uma análise do guia do PNLD. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 11, 2013. Curitiba. Anais... Curitiba: Sociedade Brasileira de Educação Matemática, 2013. p. 1-15.

VALERO, P., Discourses of power in mathematics education research: concepts and possibilities for action. PNA, v. 2, n. 2, p. 43-60, 2008.

VALERO, P.; ANDRADE-MOLINA, M.; MONTECINO, A. Lo políticoen la educación matemática: de la educación matemática crítica a la política cultural de la educación matemática. Revista Latinoamericana de Investigación en Matemática Educativa, v.18, n.3, p. 287-300, 2015.

VALERO, Paola. Mathematics education as a network of social practices. In: Proceedings of the sixth congress of the european society for research in mathematics education, 6., 2009, Lyon. Anais… Lyon: Institut National de Récherche Pédagogique, 2010, p. LIV-LXXX.

VELEDA, G. G.; ESTEVAM, E. J. G. Modelagem Matemática na formação inicial de professores: fomentando a Educação Matemática Crítica a partir das Eleições. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 11, 2013. Curitiba. Anais... Curitiba: Sociedade Brasileira de Educação Matemática, 2013. p. 1-13.

WITTGENSTEIN, L. Investigações Filosóficas. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1999.

Downloads

Publicado

2020-11-30