Cartas a jovens estudantes: questionamentos para pensar sobre a escola na contemporaneidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984317818220227%20

Palavras-chave:

Escola, Juventudes, Criação

Resumo

O presente relato de experiência busca refletir acerca de provocações advindas do projeto “Objetos de Pensar”, por meio de oficinas ministradas a professores e estudantes de graduação e pós-graduação. A escrita apresenta-se como relato de prática, propondo uma articulação entre elementos despertados pelos participantes e discussões acerca das relações entre jovens e a escola na contemporaneidade. O referencial teórico parte de contribuições que envolvem o lugar dos jovens na escola (DAYRELL, 2003; 2007) e o tempo-espaço dedicado ao estudo (LARROSA, 2018). Os resultados, elaborados por meio de Análise Textual Discursiva (MORAES; GALIAZZI, 2011), compõem temáticas que versam sobre os impactos do Objeto nos participantes da oficina e os modos de perceber os tempos das juventudes no espaço escolar, que pode tanto limitar e cercear os estudantes quanto possibilitar diferentes criações. Ao final, considera-se a relevância de discussões que envolvam o protagonismo dos estudantes, destacando-os como habitantes do espaço escolar e que, portanto, têm muito a pensar e a dizer sobre o mesmo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca Isabel Pederiva, Univates

Graduada em Psicologia pela Universidade do Vale do Taquari (Univates). Atualmente é residente no Programa de Atenção Materno-Infantil e Obstetrícia do Grupo Hospitalar Conceição (GHC), tendo como campos de prática o Hospital Fêmina e a Unidade de Saúde SESC.

Suzana Feldens Schwertner, Univates

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2010), com período de doutorado sanduíche na Arizona State University (ASU), Estados Unidos. Pós-Doutorado em Educação pela UFRGS (2011). Atualmente, é professora do curso de Psicologia da Universidade do Vale do Taquari - Univates e docente do Programa de Pós-Graduação em Ensino - Univates.

Referências

BLACK, D. O trono do estudar. Brasil: 12 Dólares (SP), Marini (RJ) e Rockit (RJ) por Fabio Pinczowski. 2015. (4 min 57 s). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v= q4-SE_tJ4OM>. Acesso em: 13 ago. 2020.

DAYRELL, J. A escola “faz” as juventudes? Reflexões em torno da socialização juvenil. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, p. 1105-1128, out. 2007.

DAYRELL, J. O sujeito como social. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 40-52, set./dez. 2003.

DAYRELL, J.; CARRANO, P. Juventude e Ensino Médio: quem é este aluno que chega à escola. In: DAYRELL, J.; CARRANO, P.; MAIA, C. L. (orgs.). Juventude e Ensino Médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: UFMG, 2014. p. 101-133.

LARROSA, J. Esperando não se sabe o quê: sobre o ofício de professor. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

LEÃO, G.; CARMO, H. C. do. Os jovens e a escola. In: CORREIA, L. M.; ALVES, M. Z.; MAIA, C. L. (orgs.). Cadernos Temáticos: Juventude Brasileira e Ensino Médio. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014. p. 11-44.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. do C.. Análise textual discursiva. 2. ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2011.

MUNHOZ, A. V.; OLEGARIO, F.; HATTGE, M. D.; SCHWERTNER, S. F. (orgs.). Objetos de Pensar: exercícios para a docência. Lajeado: Editora Univates, 2020. Disponível em: < https:// www.univates.br/editora-univates/media/publicacoes/316/pdf_316.pdf>. Acesso em: 26 ago. 2020.

RANCIÈRE, J. L’école de la démocratie. Paris: Edilig, 1998.

SCHWERTNER, S. F. Fotografias em discurso: as funções da escola em foco. Reflexão e Ação, v. 27, n.1, p. 133-150, jan./abr. 2019. Disponível em: <https://online.unisc.br/seer/ index.php/reflex/article/view/10930/pdf>. Acesso em: 13 ago. 2020.

SCHWERTNER, S. F.; CONRAD, J. M. Um click na escola: olhares e discursos de jovens estudantes sobre a instituição escolar contemporânea. Caderno Pedagógico, v. 13, n. 2, p. 28-46, 2016. Disponível em: <http://www.univates.br/revistas/index.php/cadped/article/ view/1126/1015>. Acesso em: 13 ago. 2020.

SCHWERTNER, S. F.; CONRAD, J. M.; DIESEL, D.; WEBER, D. M. O livro é de papel, e a imaginação rola solta: a biblioteca escolar na ótica de jovens estudantes. Educação em Foco, v. 20, n. 31, p. 95-114, set. 2017. Disponível em: <http://revista.uemg.br/index.php/ educacaoemfoco/article/view/1894/1422>. Acesso em: 13 ago. 2020.

SCHWERTNER, S. F.; MUNHOZ, A.V. Imagens da escola e as suas funções na contemporaneidade: o discurso de estudantes concluintes do Ensino Médio. Imagens da Educação, v. 7, n. 1, p. 58-69, jan. 2017. Disponível em: <http://periodicos.uem.br/ojs/ index.php/ImagensEduc/article/view/30285/pdf>. Acesso em: 13 ago. 2020.

SILVA, C. A.; ZANELATTO, E.; SCHWERTNER, S. F. Grupos focais: desafios e possibilidades na pesquisa educativa. Debates em Educação, v. 11, p. 1-13, 2019. Disponível em: <https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/6852/pdf>. Acesso em: 13 ago. 2020.

TEIXEIRA, I. Uma carta, um convite. In: DAYRELL, J.; CARRANO, P.; MAIA, C. L. (orgs.). Juventude e Ensino Médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: UFMG, 2014. p. 11-42.

VILLAS, S.; NONATO, S. Juventude e projetos de futuro. In: CORREIA, L. M.; ALVES, M. Z.; MAIA, C. L. (orgs.). Cadernos Temáticos: Juventude Brasileira e Ensino Médio. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014. p. 11-45.

WELLER, W. Jovens no Ensino Médio: projetos de vida e perspectivas de futuro. In: DAYRELL, J.; CARRANO, P.; MAIA, C. L. (orgs.). Juventude e Ensino Médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: UFMG, 2014, p. 135-156.

Downloads

Publicado

30-12-2022

Como Citar

PEDERIVA, Bianca Isabel; SCHWERTNER, Suzana Feldens. Cartas a jovens estudantes: questionamentos para pensar sobre a escola na contemporaneidade . Revista Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 18, n. 2, p. 007–029, 2022. DOI: 10.5965/1984317818220227 . Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/19367. Acesso em: 30 maio. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)