O som do silêncio: vibrações da música no desenvolvimento sociocultural da criança com espectro autista

Autores

  • Garbareth Edianne Mattos Universidade Regional de Blumenau
  • Rita Buzzi Rausch Universidade Regional de Blumenau
  • Amanda Lang Universidade Regional de Blumenau

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984317816012020149

Palavras-chave:

Educação Infantil, Espectro Autista, Música, Inclusão,

Resumo

Este artigo configura-se como uma análise da música no desenvolvimento sociocultural da criança com espectro autista, partindo das experiências e inquietações das pesquisadoras em relação a esta temática no contexto educativo da Educação Infantil. Possui como objetivo compreender as repercussões e vibrações da música no desenvolvimento sociocultural da criança com espectro autista na Educação Infantil e a partir disso, instigar reflexões sobre o tema. Trata-se de uma pesquisa qualitativa de cunho teórico, mas que também apresenta sugestões práticas de como regular o espaço com música para criança com espectro autista. Toma como percurso, sobretudo, as ideias de Vigotski (1929, 1995, 1997, 1998, 2009, 2003, 2010). Por intermédio desse texto, suscita-se reflexões sobre os processos de apropriação da criança com espectro autista com os signos da música, e como a música pode potencializar ações educativas em relação à inclusão na Educação Infantil. Na produção deste artigo, desvela-se a importância de pensar em práticas educativas para crianças com espectro autista, enfatizando uma inclusão mais humanizadora, crítica e consciente por meio da educação musical.

Biografia do Autor

Garbareth Edianne Mattos, Universidade Regional de Blumenau

Mestre em Educação na Universidade Regional de Blumenau. Possui graduação em Música pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (2012) e Pós-Graduação em Educação Musical.  

Rita Buzzi Rausch, Universidade Regional de Blumenau

Cursou Pedagogia pela FURB; Especialização em Alfabetização pela UNIVALI; Mestrado em Educação pela FURB e Doutorado em Educação pela UNICAMP. Iniciou em 08/2018 pós-doutoramento em Educação na UFSC. Atuou como professora alfabetizadora e supervisora escolar na Educação Básica na SEMED de Blumenau. Atualmente é docente e pesquisadora na FURB. Atua no Curso de Pedagogia e no Programa de Pós-Graduação em Educação. Assumiu a Direção do Centro de Ciências da Educação, Artes e Letras no período de julho/2014 a julho/2018. Coordenou o PIBID Pedagogia: Alfabetização e Letramento em 2010 a 2018. Integra a Linha de Pesquisa: Formação de professores, políticas educacionais e práticas educativas e lidera o Grupo de Pesquisa "Formação de professores e práticas educativas - GPFORPE" na FURB. É integrante do NUPEDOC - Núcleo de Formação de Professores, Escola, Cultura e Arte da UFSC, da RIPEFOR - Rede Interinstitucional de Pesquisa de Formação e Práticas Docentes e da ANFOPE - Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação. Suas pesquisas voltam-se ao desenvolvimento profissional docente, principalmente à formação inicial e continuada de professores da Educação Básica e aos processos de alfabetização e letramento.

Amanda Lang, Universidade Regional de Blumenau

Possui graduação em Psicologia pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (2001). Possui graduação em Pedagogia pela Uniasselvi (2010). Proficiência e Fluência em Tradução e Interpretação de LIBRAS (MEC 2008) Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Especial Possui Pós Graduação na área de Educação Especial concluída em 2010 pela FURB, e pós graduação em Neuropsicopedagogia pela Uniasselvi (2015). Registrada no Conselho Regional de Psicologia 12ª região (SC), sob o número CRP 12/03597. Mestranda em Educação no PPGE - FURB com término em 2019. Docente no curso de Psicologia da Faculdade SOCIESC de Blumenau nas disciplinas: Psicologia da Aprendizagem, Psicologia da Educação e Avaliação Psicológica. Supervisora de Estágio Profissionalizante em saúde no curso de Psicologia da Faculdade SOCIESC de Blumenau Supervisora do Plantão Psicológico, projeto de extensão desenvolvido na faculdade.

 

Referências

AMADO, M. (1999). O Prazer de Ouvir Música – sugestões pedagógicas de audições para crianças. Lisboa: Editorial Caminho.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. 5.ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BARROSO, J. Incluir sim, mas onde? Para uma reconceituação sociocomunitária da escola pública. In: RODRIGUES, D. (Org). Inclusão e Educação: Doze olhares sobre educação inclusiva. São Paulo: Summus Editorial, 2006.

CAMPOLINA, L. O.; MARTÍNEZ, A. M. A Escola em sua Dimensão Reprodutiva: Possibilidades e Limites de Inovação na Educação. In: TUNES, E. (org.) Sem Escola, Sem Documento. Rio de Janeiro: E-papers, 2011.

DUSSEL, E. Filosofía de la Liberación. 7. ed. México: Primero, 2001.

FALCONE, E. M. O. A avaliação de um programa de treinamento da empatia com universitários. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 23-32, jun. 1999.

FRANÇA, C. C; SWANWICK, K. Composição, Apreciação e Performance na Educação Musical: teoria, pesquisa e pratica. In: Em Pauta - Revista de Pós-Graduação em Música da UFRGS – Porto Alegre, v. 13, n. 21, p. 13, dez. 2002.

FONSECA, M. E. G.; CIOLA, J. C. B. Vejo e Aprendo: Fundamentos do Programa TEACCH – o ensino estruturado para pessoas com autismo. Ribeirão Preto: Book Toy, 2016.

FRÓIS, J. (coord), (2000). Educação estética e artística. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

GIVIGI, R. C. N. Tecendo redes, pescando ideias: (re)significando a inclusão nas práticas educativas da escola. 2007. 233f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Educação. 2007.

GODINHO, J.; BRITO, M. (2010). As artes no Jardim de Infância – Textos de apoio para Educadores de Infância. Lisboa: Ministério da Educação.

GONÇALVES, A. C. A. B. Educação musical na perspectiva histórico-cultural de Vigotski: a unidade educação-música. 2017. xiii, 277 f., il. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

KANNER, L. Os distúrbios artísticos do contato afetivo. In.: ROCHA, Paulina Schmidtbauer (Org.). Autismos. São Paulo: Escuta. 1997.

LARROSA, J. Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

MANTOAN, M, T, E. Inclusão Escolar: O que é? Por quê? Como fazer? São Paulo, Brasil: Moderna, 2003.

NÓVOA, A. Prefácio. In: JOSSO, M.C. (Ed.). Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez, 2004. p. 11 - 34.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, A. Os professores e sua formação. Lisboa – Portugal: Dom Quixote, 1992.

ORRÚ, S. E. Autismo, linguagem e educação: interação social no Cotidiano escolar. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2009.

PEDERIVA, P. L. M.; GONÇALVES, A. C. A. B. Educação musical na perspectiva histórico-cultural: uma didática para o desenvolvimento da musicalidade. Revista: de Didática e Psicopedagogia |Uberlândia, MG. v.2. n. 2, 2018. p. 314-338.

PENDEZA, D. P.; SOUZA, T. M. F. A educação musical como instrumento psicopedagógico no atendimento a crianças com transtorno do espectro do Autismo. Revista Pesquisa, v.10, n.13, 2015, p. 156-170,

POSAR, A.; VISCONTI, P. Sensory abnormalities in children with autism spectrum disorder. Jornal Pediatria (Rio Janeiro). 2018; 94:342-50.

SAMPAIO, C. T; SAMPAIO, S. M. R. Refletindo sobre a educação inclusiva. In: Educação inclusiva: o professor mediando para a vida. Salvador: EDUFBA, 2009, p. 55 – 73

SHAPIRO, T; LUCY, P. Echoing in autistic children: achronometric study of semantic processing. Journal of Child Psyholoy and Psychiatry. v. 19, out. 1978.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1994/1998.

______. Obras escogidas, V. 5. Fundamentos de defectologia. Madrid: Ed. Visor, 1997.

______. Obras escogidas IV. Psicologia infantil. Madrid: Ed. VISOR, 1995.

______. Manuscrito de 1929. Educação & Sociedade, XXI (71), 23-44, jul. 2000. Tradução de A. A Puzirei.

______. Teoría de las emociones: estudio histórico-psicológico. Madrid: Editora Akal, S. A., 2010.

______. A formação social da mente. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007

VYGOTSKY, L. S. La Psicologia Pedagógica (Edição comentada). Porto Alegre: ARTMED, Editorial Progreso, 2003.

Downloads

Publicado

2020-01-01