Entre corpos e interdições: discutindo sexualidades dos sujeitos com deficiência física e/ ou cognitiva

Autores

  • Rodrigo Lemos Soares Universidade Federal de Pelotas
  • Ariana Souza Cavalheiro Universidade Federal do Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984317816012020171

Palavras-chave:

Corpos, Sexualidades, Sujeitos com deficiência, Relações sociais, Narrativas.

Resumo

As sexualidades, em específico, as de pessoas com as ditas deficiência física e/ ou cognitiva é o centro deste texto. Isso, porque, compreendemos que a sexualidade, como mais uma produção sócio-histórica-cultural, precisa ser debatida reiteradas vezes, nos diferentes campos educacionais. O presente artigo, por sua vez, se destina a discutir sobre noções de sexualidade narradas por sujeitos responsáveis por pessoas com deficiência física e/ ou cognitiva. Nosso aporte metodológico é o campo dos Estudos Culturais, na sua vertente pós-estruturalista e as ferramentas para produção de dados foram um grupo focal e entrevistas semiestruturadas. Os materiais produzidos foram debatidos, a partir da técnica denominada Análise de Conteúdo. Segundo as análises dos materiais percebemos que a sexualidade dos sujeitos com deficiência física e/ ou cognitiva, para além de silenciada é invisibilizada e quando discutida aparece de forma infantilizada sempre vigiada, seja por professores(as) e responsáveis, na tentativa de reprimir as manifestações de desejos que os sujeitos venham a apresentar, principalmente nos ambientes coletivos.

Biografia do Autor

Rodrigo Lemos Soares, Universidade Federal de Pelotas

Professor de Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG); Mestre em Educação em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde em ampla parceria entre FURG - UFRGS - UFSM, do Instituto de Educação, na linha de pesquisa: Educação científica: implicações das práticas científicas na constituição dos sujeitos; Mestre em História pela Universidade Federal do Rio Grande, no programa de Pós-Graduação em História (PPGH - FURG) do Instituto de Ciências Humanas e da Informação (ICHI), na linha de pesquisa Campos e linguagens da História; Especialista em Educação Física Escolar pela Pós-Graduação em Educação Física escolar do Instituto de Educação - FURG; Discente de doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Pelotas (PPGE - UFPEL), na linha de pesquisa Cultura Escrita, Linguagem e Aprendizagem e do curso de graduação em Dança - licenciatura (UFPEL); Pesquisador Grupo Interdisciplinar de Pesquisa: Narrativas, Arte, Linguagem e Subjetividade (GIPNALS), do Observatório de Políticas Públicas da Cultura Corporal (OCUCO - FURG) e também, do grupo de pesquisas Sexualidade e Escola (GESE - FURG). Tem experiência na área de Educação Física escolar e não escolar; Danças clássicas, modernas étnico e folclóricas; Ginástica Artística e Rítmica, Recreação e Lazer, na Educação Popular em cursos Pré-ENEM no componente curricular de Sociologia (voluntário) e em Tutoria presencial e a distância. Professor substituto lotado no Instituto de Educação da Universidade Federal do Rio Grande ministrando aulas nos cursos de Educação Física - Licenciatura e Pedagogia, bem como, práticas desportivas a todos os cursos desta instituição.

Ariana Souza Cavalheiro, Universidade Federal do Rio Grande

Graduada em Pedagogia Licenciatura pela Universidade Federal do Rio Grande/ RS - FURG. Mestranda do Programa de Pós - Graduação em Educação PPGEDU/FURG. Aluna da Especialização em Educação Física Escolar/ FURG. Aluna da Pós - Graduação em Atendimento Educacional Especializado e Processos de Inclusão. Psicopedagogia Clínica e Institucional/ EDUCAR BRASIL. Graduanda em Psicologia pela Anhanguera Educacional. Integrante do Grupo de Pesquisa Sexualidade e Escola GESE. Integrante do grupo, Redes de Pesquisa em Educação Superior - REPES. Pesquisadora no Núcleo de Estudos Afro Brasileiro e indígenas ? NEABI. Tem experiência na área de Educação Infantil, atuando principalmente nos seguintes temas: Infâncias, Desenvolvimento, Aprendizagens, Literatura Infantil, Atividades Físicas, Gênero, Diversidade e sexualidade.

Referências

ALMEIDA, M. S. R. A Expressão da Sexualidade das Pessoas com Autismo. Pro-fala. 2008.

BUTLER, Judith. Corpos que Pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In:

LOURO, G. L. [Org.]. O Corpo Educado. Pedagogia da Sexualidade. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 151-172.

CAMARGO, A. M. F. Sexualidade (s) e infância (s): a sexualidade como um tema transversal. Ana Maria Faccioli de Camargo, Claudia Ribeiro; coordenação Ulisses F. Araújo. – São Paulo: Moderna; Campinas, SP: Editora da Universidade de Campinas, 1999. – (Educação em pauta: Temas Transversais).

CARVALHO, A.B.G.P. Blog - Estudos Culturais: Cibercultura. 2012. Pós-Modernidade. Mídias. Textualidade.

CASTRO, E. Vocabulário de Foucault – Um percurso pelos seus temas, conceitos e autores/ Edgard Castro; Tradução Ingrid Mulher Xavier; revisão técnica Alfredo Veiga – Neto e Walter Omar Kohan. – Belo Horizonte; Autêntica. 2009.

ESCOSTEGUY, A. C. Uma introdução aos estudos culturais. Revista FAMECOS. Porto Alegre. 2006.

FOUCAULT, M. Os recursos para o bom adestramento. In: FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 29ª ed. [Trad.] Raquel Ramalhete. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2004a, pp. 153 - 172.

_____. Uma entrevista: sexo, poder e a política de identidade. Verve, nº. 5, pp. 260 - 277, 2004b.

_____. História da sexualidade I. A vontade de saber. 10. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

_____. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. 25.ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

GALE, J. O adolescente e o sexo - um guia para os pais. São Paulo: Best Seller. In: MAIA, A.C.B.; CAMOSSA, D.A. Relatos de jovens deficientes mentais sobre a sexualidade através de diferentes estratégias. Universidade Estadual Paulista – Bauru. 1989.

GATTI, B. A. Grupo Focal na Pesquisa em Ciências Sociais e Humanas. Brasília: Líber Livro, 2005.

GIAMI, A., D’ ALLONES, C.R. O anjo e a fera: as representações da sexualidade dos deficientes mentais pelos pais e educadores. In: NETTO, M.I.D. (Ed) A negação da deficiência: a instituição da diversidade. Rio de Janeiro: Achiamé/Socius, 2004.

GIROUX, H.A. Praticando Estudos Culturais nas faculdades de educação, In. SILVA, Tomaz Tadeu. Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. Petrópolis: vozes, 2005.

GLAT, R. (1992). A sexualidade da pessoa com deficiência mental. Revista Brasileira de Educação Especial 7(1), 65-74. Paidéia, 2003,12(24), 205-214. In: MAIA, A.C.B.; CAMOSSA, D.A. Relatos de jovens deficientes mentais sobre a sexualidade através de diferentes estratégias. Universidade Estadual Paulista – Bauru.

______. Somos iguais a vocês: depoimentos de mulheres com deficiência mental. Rio de Janeiro: Agir, 1993. In: LUIZ, E. C.; KUBO, O. M. Percepções de jovens com síndrome de down sobre relacionar-se amorosamente. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, Mai.-Ago. 2007, v.13, n.2, p.219-238.

GUIDDENS, A. A transformação da intimidade: sexualidade, amor e erotismo nas sociedades modernas/ Anthony Guiddens; tradução de Maguida Lopes. – São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1993 – (Biblioteca Básica).

HALL, S. Estudos culturais e seus legados teóricos. In: MORLEY, David, Kuan-Hsing, C., (eds). Stuart Hall - Diálogos críticos em estudos culturais. London; New York: Routledge. (1996).

LOURO, G. L. [Org.] O corpo educado. Pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

MAIA, A. C. B.; RIBEIRO, P. R. M. Orientação sexual e Síndrome de Down: esclarecimentos para educadores. Bauru: Joarte Gráfica e Editora UNESP – F. C, 2009.

MORAES, R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999.

SIGOLO, S. R. R. L. Análise da interação mãe-criança com atraso de desenvolvimento no segundo ano de vida. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, SP.1994.

SUPLICY, M. Sexo se aprende na escola. Editora: Olho d’água (GTPOS) 2ª ed. 1999.

Downloads

Publicado

2020-01-01