A promoção da acessibilidade linguística ao docente surdo na UFG/Regional Catalão

Autores

  • Kássia Mariano de Souza Universidade Federal de Goiás
  • Maria Helena De Paula Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5965/198431781642020293%20%20%20

Palavras-chave:

Docente, Surdez, Acessibilidade

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar como a Universidade se posiciona frente aos desafios legais para a implementação da acessibilidade linguística aos docentes surdos, principalmente no que tange à contratação do profissional intérprete como meio de inclusão do professor no contexto acadêmico. Assim, buscamos analisar as políticas públicas voltadas à acessibilidade deste profissional, tendo em vista que é recorrente sua inserção nas salas de aula e, sobretudo, nas universidades. O objeto de pesquisa desse trabalho é discutir sobre a promoção da acessibilidade linguística ao docente surdo na UFG/Regional Catalão, onde há uma atuação frequente de educadores com surdez. A fundamentação teórica do estudo se valeu das obras de autores que atuam na área da inclusão e acessibilidade da pessoa surda como Schubert (2012) e Quadros (2004; 2005).  Realizamos ainda uma pesquisa documental sobre as medidas tomadas para tornar o ambiente acadêmico mais acessível a esses profissionais na instituição. Além disso, analisamos a legislação que abrange assuntos concernentes à acessibilidade que legalmente deve ser oferecida às pessoas surdas como suporte para correlacionar às informações obtidas. A pesquisa revelou que a Universidade ainda não está preparada para incluir o profissional surdo como parte constituinte da instituição. 

Biografia do Autor

Maria Helena De Paula, Universidade Federal de Goiás

Professrora  do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem (PPGEL) da Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão (UFG-RC).

Referências

ABREU, Antônio de Campos. Língua Brasileira de Sinais: Uma conquista histórica. Senado Federal. Brasília, 2006. Disponível em: <http://www.cultura-sorda.eu/resources/Reconocimiento_LIBRAS.pdf>. Acesso em: 10 dez. 2017.

ALMEIDA, Elomenda Barbosa de. O papel de professores surdos e ouvintes na formação do tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais. 2010. 111 fls. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, 2010. Disponível em: < https://www.unimep.br/phpg/bibdig/pdfs/docs/03062013_144221_elomena_me.pdf>. Acesso em: 03 nov. 2017.

BORGES, Fábio Alexandre; VALENZUELA, Silvia Terezinha; CARNEIRO, Marília Ignatius Nogueira. O contrato didático na “inclusão contrária”: o cotidiano das aulas de libras para ouvintes com uma docente surda no ensino superior. Revista de Educação do IDEAU, Uruguai, v. 7, n. 16, jul./dez. 2012. Disponível em: < http://www.ideau.com.br/getulio/restrito/upload/revistasartigos/41_1.pdf>. Acesso em: 24 mar. 2017.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a língua brasileira de sinais - Libras e dá outras providências. Diário Oficial [da] República

Federativa do Brasil, Brasília, D.F., 25 abr. 2002. p. 23. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm>. Acesso em: 09 mar. 2018.

BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei Nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a língua brasileira de sinais - Libras, e o art. 18 da Lei Nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, D.F., 23 dez. 2005. p. 28. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm>. Acesso em: 09 mar. 2015.

BRASIL. Lei nº 12.319, de 01 de setembro de 2010. Regulamenta a profissão de tradutor e intérprete da língua brasileira de sinais - Libras. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, D.F., 02 set. 2010. p. 10. Disponível em: < https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12319.htm>. Acesso em: 21 fev. 2015.

BRASIL. Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil Eletrônico, Brasília, D.F., 20 dez. 2000. p. 02. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L10098.htm>. Acesso em: 16 abr. 2015.

LIMA, Silvânia. Acessibilidade ao nosso alcance. Jornal UFG. Goiânia, março 2015.

MONTEIRO, Mirna Salerno. História dos movimentos surdos e reconhecimento da Libras no Brasil. Educação Temática Digital, Campinas, v.7, n.2, p.292-302. 2006. Disponível em: <http://www.ssoar.info/ssoar/bitstream/handle/document/10178/ssoar-etd-2006-2-monteiro-historia_dos_movimentos_dos_surdos.pdf?sequence=1>. Acesso em: 12 dez. 2015.

PERLIN, Gladis; MIRANDA, Wilson. Surdos: o narrar e a política. Ponto de Vista. Revista de Educação e Processos Inclusivos, Florianópolis, n. 05, p. 217-226. 2003. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/pontodevista/article/view/1282/4249> Acesso em: 08 fev. 2017.

QUADROS, Ronice Müller de. A escola que os surdos querem e a escola que o sistema “permite” criar: estudo de caso do estado de Santa Catarina. In: 28ª REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 28, 2005, Caxambu. Anais.... Caxambu: ANPEG, 2005. Disponível em: < http://28reuniao.anped.org.br/textos/gt15/gt151544int.pdf>. Acesso em: 09 mar. 2015.

______. O tradutor e intérprete de língua de sinais brasileira. Programa nacional de apoio à educação de surdos. 2. ed. MEC: Brasília, 2004. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/tradutorlibras.pdf>. Acesso em: 04 jan. 2016.

RODRIGUES, Ana Cecília da Cunha; OLIVEIRA, Marcelo Campos; SILVA, Ranolfo Morais da. O papel do tradutor intérprete de Libras na educação especial e inclusiva. Emblemas, V. 16, n. 1, p. 96 – 101, jun. 2019. Disponível em: < https://www.revistas.ufg.br/emblemas/article/view/56993/34094>. Acesso em: 02 jun. 2020.

SCHUBERT, Silvana Elisa de Morais. Políticas públicas e os sentidos e significados atribuídos pelos educandos surdos ao intérprete de língua de sinais brasileira. 2012. 205 fls. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Tuiuti, Paraná, 2012. Disponível em: < http://tede.utp.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=481>. Acesso em: 12 fev. 2018.

______. Entre a Surdez e a Língua: Outros sujeitos... Novas relações (intérpretes e surdos desvelando sentidos e significados). Curitiba: Editora Prismas, 2015.

SOUZA, Kassia Mariano; NOVODVORSKI, Ariel. Toponímia em libras: Análise da origem motivacional em sinais toponímicos do Estado de Goiás. SELL, Uberaba, MG, v. 9 n. 1 p. 36 – 54, 2019. Disponível em: < http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/sell/issue/view/240/showToc >. Acesso em: 02 jun. de 2020.

STROBEL, Karin Lilian. As imagens do outro sobre a cultura surda. Florianópolis: Editora da UFSC, 2008.

THOMA, Adriana da Silva; KLEIN, Madalena. Experiências educacionais, movimentos e lutas surdas como condições de possibilidade para uma educação de surdos no Brasil. Cadernos de Educação, Pelotas, n. 36, p. 107-131, mai./ago. 2010. Disponível em: <https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/article/view/1603/1486>. Acesso em: 23 dez. 2015.

Downloads

Publicado

2020-10-01

Edição

Seção

Artigos em fluxo contínuo