Da rua à encenação: encontros entre dança e cidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103452022e0301

Palavras-chave:

Dança contemporânea, Improvisação, Dança em espaços urbanos, Cidade, Processos de criação

Resumo

Este artigo propõe adentrar em processos de criação coletivos em dança contemporânea que investem na cidade como matéria poética, estética e política, partindo da produção artística da Cia Damas em Trânsito e os Bucaneiros, grupo paulistano que tem como eixos de seu agir composicional a improvisação e a atuação nos espaços urbanos. Aqui, apontamos a experiência de criação do espetáculo Espaços Invisíveis (2013), na qual o processo foi dividido em um primeiro momento de ações performativas na cidade de São Paulo, e em um segundo momento, no qual o material criado na primeira fase na rua inspirou e originou a montagem para espaço não convencional. Assim, refletimos sobre como corporeidades, espaços e cidade têm se articulado no fazer da dança, para traçar paralelos entre o processo coletivo do grupo e as ideias de dança de ocupação, arte relacional e contextual, dialogando com discussões sobre os regimes espaciais e cinéticos nas cidades segundo Milton Santos e André Lepecki.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clara Gouvêa do Prado, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Mestrado em Artes pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Graduação em Dança pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Referências

AUGÉ, Marc. Não-lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. Campinas: Ed. Papirus, 1994.

CALVINO, Ítalo. As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CHAUI, Marilena. As manifestações de junho de 2013 na cidade de São Paulo. Revista Teoria e Debate, São Paulo, Edição 113, 27 jun. 2013. Disponível em: https://teoriaedebate.org.br/2013/06/27/%EF%BB%BFas-manifestacoes-de-junho-de-2013-na-cidade-de-sao-paulo/. Acesso em: jun. 2021.

CIA DAMAS EM TRÂNSITO E OS BUCANEIROS. Relatório do Projeto Espaços Invisíveis. Programa de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo. Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. Projeto. São Paulo, 2013. Material não publicado.

CLARA Gouvêa do Prado. Fragmentos das ações na rua do processo de criação de Espaços Invisíveis. [São Paulo], 2021. 1 vídeo (2 min 29 s). YouTube. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=iWbT6tnig-U. Acesso em: 04 out. 2021.

COSTA, Thiago de Araújo. Coreogeografias da lentidão: gestos de ralentamento. 2017. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, São Paulo, 2017.

FABIÃO, Eleonora. Programa Performativo: o corpo-em-experiência. Revista Lume, Campinas, v. 1, n. 4, p.1-11, dez. 2013. Disponível em: https://www.cocen.unicamp.br/revistadigital/index.php/lume/article/view/276 Acesso em: 05 abr. 2021.

FABIÃO, Eleonora. Ações: Eleonora Fabião. Rio de Janeiro: Tamanduá Arte, 2015.

GIL, José. Movimento Total: o corpo e a dança. São Paulo: Iluminuras, 2004.

GOUVÊA, Raquel Valente de. A improvisação em dança na (trans)formação do artista-aprendiz: uma reflexão nos entrelugares das artes cênicas, filosofia e educação. 2012. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, 2012.

GUZZO, Marina Souza Lobo. Coreopolítica: a dança presente na cidade. Athenea Digital, Barcelona, v. 20, n. 2, jul. 2020.

HERRMANN, Maria de Lourdes Tavares. Palestra no 5 Fórum: o Brincar, a Improvisação e a Dança. Balangandança Cia., out. 2015. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=mEv6iLzkUnc. Acesso em: jul. 2020.

LEPECKI, André. Coreopolítica e coreopolícia. Revista Ilha, Florianópolis, v. 13, n. 1, p.41-60, jan./jun. 2012.

LEPECKI, André. Exaurir a dança: performance e a política do movimento. São Paulo: Annablume, 2017.

LEPECKI, André. Movimento na pausa. São Paulo: n-1 edições, 2020. Disponível em: https://www.n-1edicoes.org/textos/147. Acesso em: ago. de 2021.

LISA Nelson – Vídeo 1. 2015. 1 vídeo (20 min). Direção, edição e roteirização: Ana Francisca Ponzio. Vídeos e fotos especialmente cedidos por Lisa Nelson. Conectedance. Disponível em: https://conectedance.com.br/video/lisa-nelsonvideo-1/. Acesso em: jun. 2020.

LOUPPE, Laurence. Poética da dança contemporânea. 3. ed. Lisboa: Orfeu Negro, 2012.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

PADOVAN, Laila Renardini. A visão encarnada do espectador: formas de perceber, habitar e criar paisagens.

Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, p.1-33, 2020.

PRADO, Claro Gouvêa do. Composições do instante: a improvisação no processo de criação e composição em dança da Cia Damas em Trânsito e os Bucaneiros. Dissertação (Mestrado em Artes) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). 2021.

RANCIÈRE, Jacques. O espectador emancipado. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2014.

SANCHES, Pedro R. Penuela. Horizonte, traço, fantasma – Presenças-ausências: Steve Paxton, Pina Bausch, Kazuo Ōno. 2020. Tese (Doutorado em Artes Cênicas) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2020.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo; razão e emoção. São Paulo: EDUSP, 2014.

VILELA, Lilian Freitas. Uma vida em dança: movimentos e percursos de Denise Stutz. 2010. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

Downloads

Publicado

2022-12-12

Como Citar

PRADO, C. G. do. Da rua à encenação: encontros entre dança e cidade. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 45, p. 1-33, 2022. DOI: 10.5965/1414573103452022e0301. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22689. Acesso em: 29 jan. 2023.