A vida como referência na educação: alguns componentes do complexo fenômeno da afetividade e das violências

Autores

  • Sílvia Cardoso Rocha UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724617352016201

Resumo

Este texto tem por objetivo problematizar como são constituídos alguns componentes do complexo fenômeno da afetividade. Para nos conectarmos com a vida em todas as suas dimensões, é necessário transitar em vivências pedagógicas que permitam o contato com identidade e alteridade, e nesse movimento, reconhecer-se e estrangeirizar-se no Outro, por meio do contato. É nessa perspectiva que meu olhar se dirige para os processos educacionais, com a importância de nutrir as relações por meio de uma afetividade qualificada e problematizar as violências que emergem na escola, sobretudo as violências que, em alguns casos, estão na sutileza dos gestos. Eis porque é na convivência que produzimos e reproduzimos as violências. Nesse sentido, os sujeitos envolvidos no processo não estão desvinculados de pensar, sentir e emocionar-se. A Gestão do Cuidado e a Educação Biocêntrica aparecem como uma escolha pedagógica capaz de ajudar na construção de uma escola que protege e em sintonia com o ritmo da vida.

Biografia do Autor

Sílvia Cardoso Rocha, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Doutoranda em Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UFSC na linha Ensino e Formação de Educadores - EFE;  Integrante do Núcleo Vida e Cuidado - NUVIC, estudos e pesquisas sobre violências

Downloads

Publicado

2017-03-10

Como Citar

Rocha, S. C. (2017). A vida como referência na educação: alguns componentes do complexo fenômeno da afetividade e das violências. PerCursos, 17(35), 201 - 222. https://doi.org/10.5965/1984724617352016201