A Visibilidade Tênue e a Delusão na Imagem do Pinheiro na Pintura Paranaense

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234614332022146

Palavras-chave:

Detalhe, Trecho, Pinheiro na arte

Resumo

Este artigo pretende investigar imagens de pinheiros na pintura paranaense. Parte-se de obras de diversos artistas do Estado de diferentes períodos e contextos, nos quais se observam as relações do detalhe na obra e a obra em detalhe, mas também a abordagem de trecho e as singularidades dessa figura. As reflexões de Georges Didi-Hubermann acerca da Aporia do Detalhe e do Trecho dão suporte para pensar a imagem intermitente do pinheiro; nas suas aparições mínimas, fantasmáticas, tênues, diluídas e delusórias. Ainda, apresenta-se o pinheiro como um processo de acumulação de espaço, tempo e memória, que implica a diferença e a repetição, o sintoma e a abertura da imagem na sua relação com a história, na convocação de um passado e/ou futuro, que interrompe o tempo linear.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clediane Lourenço, Universidade Estadual do Centro-Oeste

Professora doutora da Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO, atuando na graduação em Arte. Membro do Grupo de Pesquisa em Artes. Doutora em Artes visuais pelo PPGAV/UDESC, Mestre em Artes Visuais pelo mesmo programa, Especialista em História da Arte pela PUC/PR e Graduada em Arte-Educação. Lattes:  http://lattes.cnpq.br/7346841400713637

Referências

CHEREM, Rosângela Miranda. Ex-orbitar o espaço. Notações para pensar a obra de Cristian Segura. In: CHEREM, Rosângela Miranda; MAKOWIECKY, Sandra (Orgs.). Cristian Segura e a poética do coeficiente. Editora da Udesc: Florianópolis, 2012. p. 13-31.

COLI, Jorge. O corpo da liberdade: reflexões sobre a pintura do século XIX. São Paulo: Cosac & Naify, 2010.

DE BOTTON, Alain. A arte de viajar. Rio de Janeiro: Rocco, 2003.

DELEUZE, Gilles. Diferença e Repetição. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Diante da imagem: questão colocada aos fins de uma história da arte. São Paulo: Editora 34, 2013.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Diante do Tempo: história da arte e anacronismo das imagens. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2015.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente: História da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: contraponto, 2013.

NANCY, Jean-Luc. Os Vestígios da Arte. In. HUCHET, Stéphane (org.) Fragmentos de uma Teoria da Arte. São Paulo: EDUSP, 2012.

SCHAMA, Simon. Paisagem e Memória. S.P.: Cia das Letras,1996.

Downloads

Publicado

2022-05-01

Como Citar

LOURENÇO, C. A Visibilidade Tênue e a Delusão na Imagem do Pinheiro na Pintura Paranaense. Palíndromo, Florianópolis, v. 14, n. 33, p. 146 - 161, 2022. DOI: 10.5965/2175234614332022146. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/21634. Acesso em: 25 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos Seção temática