Tecendo memórias e ausências: Autobiografia como matéria da arte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234610212018010

Palavras-chave:

memórias, ausências, autobiografia, arte

Resumo

Este artigo buscou compreender a autobiografia como matéria da arte tendo como referência os artistas Louise Bourgeois, Frida Kahlo e José Leonilson. Bourgeois transforma suas memórias, perdas e traumas em arte. Kahlo dribla a dor, expressa sua paixão pela vida. Leonilson enfrenta a proximidade da morte. Encontrei conexão com estes artistas cujas vidas e obras se confundem. O procedimento metodológico parte da investigação teórica e do trabalho prático em relação dialética ao longo de todo o processo. De Gaston Bachelard, interessa o conceito de casa/corpo, como lugar da dimensão onírica da recordação. Philippe Lejeune discute autobiografia e a escrita de diário com a função de conservar a memória. E Georges Didi-Huberman trata a ausência como presença, vestígio, e a pele como lugar dos sinais tanto do envelhecimento/memória quanto do desejo/toque. Resultaram desse processo três obras que se conectam aos artistas elencados e aos conceitos trazidos pelos teóricos, e evidenciam o uso da memória, da autobiografia e das ausências como expressão singular.

 

 

Palavras-chave:  Memórias. Ausências. Autobiografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita Isabel Vaz, University of the State of Paraná

Graduação em andamento em Escultura (2015) - Universidade Estadual do Paraná, UNESPAR, Brasil.
Graduação em Psicologia (1981-1985) - Escola de Música e Belas Artes do Paraná; Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.

Bernadette Maria Panek, University of the State of Paraná

Artista plástica, pesquisadora e professor adjunto da UNESPAR/Embap. Especialista em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná/Embap (1997). Mestre em Poéticas Visuais (2003) e Doutora na Linha de Pesquisa História da Arte pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (2008). Pós-doutorado (2013) com bolsa da Capes, no Departamento de Escultura da Universidad del País Vasco/EHU, onde é colaboradora internacional no Grupo de Investigación Consolidado del Sistema Universitario Vasco IT655-13, cuja pesquisa parte dos propósitos colocados pelo escultor Jorge Oteiza. Entre 1993 e 1996 dirigiu o Museu da Gravura Cidade de Curitiba, onde atuou como orientadora dos cursos livres nos ateliês de gravura de 1989 a 1992. Implantou o conteúdo acadêmico dos cursos de Especialização Lato Sensu em História da Arte do Século XX (1998), de História da Arte Moderna e Contemporânea (2004), do qual foi coordenadora até 2013 e de Museologia (2005), do qual foi coordenadora até 2008, na Embap. Artista residente no Tamarind Institut - Albuquerque, Novo México (1993); London Print Workshop - Londres (1994); Portland Nortwest College of Art (1997). Pesquisadora visitante na Universidad del País Vasco/EHU (2001/2002); na Universidad Politecnica de Valencia (2006/2007); na Universidad del País Vasco/EHU, com bolsa da Fundación Carolina (2009/2010). Tem obras em acervos no Museu da Gravura Cidade de Curitiba; Biblioteca Nacional/Rio de Janeiro; Portland Museum/Oregon; Universidade Regional de Blumenau/Santa Catarina; Coleção Guita e José E. Mindlin/São Paulo; MAC-Dragão do Mar/Fortaleza

Referências

BACHELARD, Gaston. O novo espírito científico: A poética do espaço (Os pensadores). São Paulo. Nova Cultural, 1988.

BOURGEOIS, Louise; BERNADAC, Marie-Laure; OBRIST, Hans-Ulrich. Louise Bourgeois, Destruição do pai, Reconstrução do pai. São Paulo: Cosac & Naify Edições, 2000.

BOURGEOIS, Louise. Maman. 1999, Steel, 35 ft in height, Tate Modern. Dispo-nível em: http://louisebourgeois.yolasite.com/gallery.php>. Acesso em: 27 abril 2018.

BOURGEOIS, Louise. Ode à l’oubli. 2002. Fabric illustrated book with 35 compositions: 32 fabric collages, 2 with ink additions, and 3 lithographs (including cover), page (each approx.): 11 3/4 x 13” (29.8 x 33 cm); overall: 11 x 12 3/16 x 1 ¾” (28 x 31 x 4.5cm). Disponível em: <https://www.moma.org/explore/collection/lb/index>. Acesso em: 27 abril 2018.

BOURGEOIS, Louise. The Destruction of the Father. 1974, Plaster, latex, wood, fabric and red light. Disponível em: <http://louisebourgeois.yolasite.com/gallery.php>. Acesso em: 27 abril 2018.

BRANDÃO, Juanito de Souza. Mitologia Grega. Vol. II, Petrópolis, Vozes, 1987.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de Símbolos: (mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras,cores, números). Rio de Janeiro. José Olympio Editora. 11ª Edição. 1997.

DIDI-HUBERMAN, Georges. L’Empreinte. Catálogo de Exposição, 19 de fev.-19 mai. 1997, Paris, Centre Georges Pompidou. 1997 (Livre adaptação e tradução para o Mestrado de Artes Visuais da EBA-UFMG por Patrícia Franca-Huchet), 2000.

ESTÉS, Clarissa Pinkola. Mulheres que Correm com os Lobos: mitos e histórias do arquétipo da mulher selvagem. Rio de Janeiro. Rocco, 1994.

FRANCA, Patrícia (Adapt. Trad.). L’Empreinte - Parte I e II. [s/l.: s.n., 2000] Inédito. Adaptação em português do original francês: DIDI-HUBERMAN, Georges (Org.). L’Empreinte. Paris: [s.n.], 1997. Catálogo de exposição, 19 fev. - 19 mai. 1997, Centre G. Pompidou.

FONTELA, Orides. Teia: poemas. São Paulo. Geração Editorial, 1996.

FREUD, Sigmund. Obras Completas. Tomo II. Madrid. Editorial Biblioteca Nueva, 1973.

GALEANO, Eduardo. Livro dos Abraços. Porto Alegre, L&PM, 1991.

GALEANO, Eduardo. O caçador de histórias. Porto Alegre, L&PM, 2016.

HERRERA, Hayden. Frida: uma biografia. São Paulo. Globo, 2011.

HOLLANDA, Chico Buarque. Album Paratodos, Nova York, RCA Records. 1993, música Futuros Amantes.

KAHLO, Frida. O diário de Frida Kahlo: um autorretrato íntimo. Rio de Janeiro. José Olympio, 1996.

KAHLO, Frida. El Abrazo de Amor del Universo, la Tierra (México), Diego,Yo y el Sr. Xolotl, 1949, Oleo sobre masonite / 70 x 60,5 cm / Colección J. y N. Gelman. Disponível em: <http://www.proa.org/exhibiciones/pasadas/mexico/salas/kahlo-04.html>. Acesso em: 27 abril 2018.

KAHLO, Frida. La mesa herida, 1940. Óleo sobre lienzo, 122 x 244 cm. Disponível em: <https://i1.wp.com/www.revistazena.com.br/wp-content/uploads/2010/09/1940-la-mesa-herida.jpg>. Acesso em: 27 abril 2018.

KAHLO, Frida. Las dos Fridas, 1939, óleo sobre lienzo, 173 x 173 cm, Museo de Arte Moderno, Ciudad de México. Disponível em: . Acesso em: 27 abril 2018.

KAHLO, Frida. Mis abuelos, mis padres y yo. (Árbol genealógico), 1936. Oleo y tempera sobre metal. 30.7x 34.5cm. Museo de Arte Moderno, Nueva York. Disponível em: <http://lacasadefriducha.blogspot.com.br/2007/08/mis-abuelos-mis-padres-y--yo.html>. Acesso em: 27 abril 2018.

LAGNADO, Lisette. Leonilson: são tantas verdades = so many are the truths. São Paulo, Projeto Leonilson e Sesi, 1995.

LARRAT-SMITH, Philip. Louise Bourgeois: o retorno do desejo proibido. São Paulo. Instituto Tomie Ohtake, 2011.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: De Rousseau à Internet. Belo Horizonte. Editora UFMG, 2014.

LEONILSON, José. Águas divididas, 1992. Bordado e costura, linha sobre seda estampada e tecido de algodão listrado 42 x 38 x 0 cm. Disponível em: <http://www.projetoleonilson.com.br/obras.aspx>. Acesso em: 27 abril 2018.

LEONILSON, José. Leonilson. Empty Man, de 1991. Bordado sobre tecido. 53 x 37 cm. Coleção Particular. Disponível em: <http://hardecor.com.br/leonilson-na-pinacoteca-em-sp>. Acesso em: 27 abril 2018.

LEONILSON, José. Ninguém, 1992. Bordado sobre algodão (fronha), Embroidery on cotton (pillowcase) 22x43 cm. Disponível em: <http://www.iberecamargo.org.br/site/uploads/multimediaExposicao/260420124611_FIC_Leonilson_CATALOGO.pdf>. Acesso em: 27 abril 2018.

MACHADO, Ana Maria. De Olho nas Penas. Rio de Janeiro. Salamandra. 1985.

MIYADA, Paulo. In: Frida Kahlo: conexão entre mulheres surrealistas no México. Curador Paulo Miyada, Agnaldo Farias. São Paulo. Instituto Tomie Ohtake, 2015.

PEDROSA, Adriano, in LAGNADO, Lisette. Leonilson: são tantas verdades = so many are the truths. São Paulo, Projeto Leonilson e Sesi, 1995.

PEDROSA, Adriano (edição e textos). Leonilson - Truth, Fiction. Catálogo. São Paulo: Pinacoteca do Estado/Cobogo Editora, 2014.

PESSOA, Fernando. Poesias Inéditas 1930-1931. Lisboa: Ática, 1990.

QUEIRÓS, Bartolomeu Campos. Por parte de pai. Belo Horizonte. RHJ, 1995.

REIS, Paulo. Uma História da Pele. in HERKENHOFF, Paulo; PEDROSA, Adriano (orgs). Marcas do corpo, dobras da alma. Curitiba. 2000.

REIS, Paulo Roberto de Oliveira. A construção do desenho: sujeito, temporalidade e cartografias em Leonilson. 1998. 88f. Dissertação (mestrado) - Pontificia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de História.

REY, Sandra. in BRITES, Blanca; TESSLER, Elida (orgs). O meio como onto zero:metodologia da pesquisa em artes plásticas. Porto Alegre. Ed. Universidade/UFRGS, 2002.

SANT’ANNA, Affonso Romano de, O lado esquerdo do meu peito: (livro de aprendizagens). Rio de Janeiro, Rocco, 1992.

WHITMAN, Walt. Folhas de Relva, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1964.

Downloads

Publicado

2018-07-31

Como Citar

VAZ, Rita Isabel; PANEK, Bernadette Maria. Tecendo memórias e ausências: Autobiografia como matéria da arte. Palíndromo, Florianópolis, v. 10, n. 21, p. 10–26, 2018. DOI: 10.5965/2175234610212018010. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/12488. Acesso em: 2 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção temática