Encontros entre teatro, cotidiano e escola

diferentes olhares do sujeito escolar sobre gênero por meio do Teatro do Oprimido

Autores

  • Andressa Kloster Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/2358092525252021163

Palavras-chave:

Teatro na Escola, Teatro do Oprimido, Identidade de Gênero

Resumo

Esse artigo relata os processos criativos em teatro que foram realizados com duas turmas de nono ano do Ensino Fundamental II, em Curitiba, PR. Tais processos foram desenvolvidos unindo as temáticas relacionadas à diversidade, ao preconceito, às questões de gênero e especialmente às questões relacionadas à mulher, a partir do Teatro do Oprimido de Augusto Boal, especificamente o Teatro Imagem e o Teatro Jornal. O processo foi dividido em duas etapas, com o total de vinte encontros, cumpridos entre os meses de fevereiro a dezembro de 2017 buscando desenvolver a investigação e o desenvolvimento de senso crítico e reflexivo, resultando em três processos criativos em teatro. A revisão bibliográfica apresentada diz respeito às teorias relacionadas aos estudos de gênero, ao ensino de teatro na educação básica e ao Teatro do Oprimido. Para tanto foram considerados como principal aporte bibliográfico os autores Augusto Boal, Judith Butler e Guacira Lopes Louro.

Referências

BOAL, Augusto. Jogos para atores e não-atores. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

BOAL, Augusto. Teatro do Oprimido e outras poéticas políticas. São Paulo: Cosac Naify, 2013.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

CANOTILHO, Ana Paula. Arte e violência de género: Educação e performatividades para a mudança social. Tese de doutorado. Portugal, 2015.

GESSER, Marivete. A organização escolar e o processo de homogeneização e exclusão das diferenças. Especialização EaD em gênero e diversidade na escola: Livro 1, Módulo I / Miriam Pillar Grossi [et al.] UFSC, 2015.

GRAUPE, Mareli E.; SOUZA, Lúcia A. B. de. Gênero e educação. Especialização EaD em gênero e diversidade na escola: Livro II, Módulo II / Miriam Pillar Grossi [et al.], UFSC, 2015, 111-120.

LOURO, Guacira Lopes (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 2 ed. Autêntica: Belo Horizonte, 2000.

MEDEIROS, Cristina Carta Cardoso de. A formação de professores e a teoria sociológica de Pierre Bourdieu: interface possível para pesquisas em Educação. CONTRAPONTOS Volume 9 nº 2 – pp. 3 - 16 - Itajaí, mai/ago 2009. Disponível em: http://www6.univali.br/seer/index.php/rc/article/viewFile/1016/1136

NOGUEIRA, Marcia Pompeo. Boal e o teatro em comunidades: contribuições da experiência africana. Teatro: revista de estudios culturales / A Journal of Cultural Studies: Número 26, p. 181-197, 2013.

PEREIRA, Bruno Cordeiro. Masculinidades e feminilidades. Materiais de apoio ao trabalho sobre sexualidades em sala de aula. In: SALA, Arianna; GROSSI, Miriam Pillar (Coord.). Materiais de Apoio ao Trabalho sobre sexualidades em sala de aula, NIGS/UFSC, Florianópolis, 2014.

POLIDORO, Tefa, Ternurinha – Nem 1 a -, em email recebido no dia 20 de out de 2017.

Downloads

Publicado

2021-09-01

Como Citar

KLOSTER, A. Encontros entre teatro, cotidiano e escola: diferentes olhares do sujeito escolar sobre gênero por meio do Teatro do Oprimido. Revista NUPEART, Florianópolis, v. 25, n. 25, p. 163-187, 2021. DOI: 10.5965/2358092525252021163. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/nupeart/article/view/19765. Acesso em: 2 dez. 2021.