Meu horizonte de bordo: reflexões acerca da construção de sentido e dos desafios em uma prática teatral na comunidade

Autores

  • Henrique Bezerra de Souza Professor substituto no curso de Licenciatura em Teatro da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

DOI:

https://doi.org/10.5965/2358092521232020277

Palavras-chave:

escuta, pedagogia do teatro, comunidade

Resumo

O presente relato visa a partilhar a experiência vivida pelo autor em uma prática de teatro na comunidade vivenciada no ano de 2013, no Nordeste brasileiro, com crianças e adolescentes. Neste percurso, discorre sobre os vínculos institucionais que possibilitaram esses encontros e aponta como estes mesmos vínculos também implicaram em desafios devido aos desejos da instituição promotora. Com isto, reflete, inicialmente, sobre as questões que permeiam a construção de sentido na prática desenvolvida, observando possíveis ecos que os pensamentos de Paulo Freire trouxeram ao trabalho realizado. Por fim, conjectura sobre a busca da transição de um “teatro para comunidade” a um “teatro por comunidade”.

Biografia do Autor

Henrique Bezerra de Souza, Professor substituto no curso de Licenciatura em Teatro da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Professor colaborador do curso de Licenciatura em Teatro UDESC, doutorando em Teatro pela mesma instituição, ator e encenador.

Downloads

Publicado

2020-08-14

Como Citar

SOUZA, H. B. de. Meu horizonte de bordo: reflexões acerca da construção de sentido e dos desafios em uma prática teatral na comunidade. Revista NUPEART, Florianópolis, v. 23, p. 277-289, 2020. DOI: 10.5965/2358092521232020277. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/nupeart/article/view/17465. Acesso em: 26 nov. 2021.