O ciclo de vida dos produtos artesanais têxteis e do vestuário de tradição doméstica, seus processos e a sustentabilidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x17422024e0002

Palavras-chave:

produção artesanal têxtil, sustentabilidade têxtil, análise de ciclo de vida

Resumo

O artigo apresenta a análise qualitativa de ciclo de vida de produtos artesanais têxteis. Foram feitas entrevistas com artesãs da região de Ipameri em Goiás e análise do ciclo de vida pelo modelo proposto por Fletcher. Na revisão da literatura verificou-se que diversos autores publicaram pesquisas sobre sustentabilidade da produção artesanal de têxteis no mundo e também sobre os materiais e processos utilizados na produção artesanal de têxteis no interior do Brasil, mas ao que se saiba a análise do ciclo de vida dos produtos que foram produzidos de forma artesanal no Brasil é inédita. A pesquisa é importante para o registro histórico e também para incentivar a produção sustentável de têxteis de forma artesanal. Na pesquisa foram revelados e sistematizados os procedimentos e materiais utilizados na produção dos têxteis. A análise do ciclo de vida foi feita de forma qualitativa demonstrando o menor impacto ambiental frente ao modo industrializado. A pesquisa mostra a importância para a sustentabilidade dos produtos feitos de forma artesanal nas dimensões ambiental e social. Os produtos artesanais incentivam um uso mais duradouro do produto minimizando o uso e descarte de materiais e energia. A produção artesanal pode ser uma alternativa de modelo de produção mais sustentável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lívia Teixeira Duarte, Universidade de São Paulo

Mestre em Têxtil e Moda pela Universidade de São Paulo. Possui graduação em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos (2015). Bolsista Ciência Sem Fronteiras Edital Canadá - University of Victoria - Fine Arts Department. Técnica do Vestuário pelo SENAI Francisco Matarazzo - SP. Atua como técnica de fabricação digital em laboratório de prototipagem.

João Paulo Pereira Marcicano, Universidade de São Paulo

Engenheiro Mecânico pela Universidade de São Paulo (1989), mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade de São Paulo (1995) e doutorado em Engenharia Mecânica pela Universidade de São Paulo (2000). Atualmente é professor associado no curso de Têxtil e Moda da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo, ministra cursos na área de tecnologia têxtil e gestão. Pesquisa nos temas: produção de filamentos e fios, metodologia de projeto de produtos sustentáveis e têxteis eletrônicos.

Referências

BORGES, A. Design+ Artesanato: o caminho brasileiro. São Paulo,SP: Editora Terceiro Nome, 2011.

CAMARGO, A.L.B. Desenvolvimento sustentável: dimensões e desafios. Campinas: Papirus, 2005.

CAO, H.; FOLAN, P. Product life cycle: the evolution of a paradigm and literature review from 1950–2009. Production Planning & Control, v. 23, n. 8, p. 641-662, 2012.

CASCUDO, L.C. Rede de dormir. São Paulo: Global, 2015.

FLETCHER, K.; GROSE, L. Moda & Sustentabilidade: design para mudança. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2011.

FLICK, U. Desenho de pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GARCIA, M. M. Tecelagem artesanal: estudo etnográfico em Hidrolândia-Goiás. Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 1981.

GEISEL, A.L.; LODY, R.G.M. Artesanato brasileiro: tecelagem. Rio de Janeiro: FUNARTE Instituto Nacional do Folclore, 1983.

GIL,A.C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social (2. ed.). São Paulo: Editora Atlas SA, 1989.

GUATTARI,F. As três ecologias. Campinas: Papirus, 1990.

HOLANDA,S.B.Caminhos e fronteiras (3.ed.).São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

HUI,Y. Tecnodiversidade. São Paulo: Ubu Editora, 2020.

JARZOMBEK,M.M. Architecture of first societies: A global perspective. John Wiley & Sons, 2014.

LEAL,O. Viagem às terras goyanas (Brazil Central). Lisboa: Typographia Minerva Central, 1892.

MARCONI,M. A. Achegas ao estudo do artesanato de colchas de Franca. Franca: Diário de Franca, 1981.

MAZOYER, M.,& ROUDART, L. Histórias das agriculturas no mundo: do neolítico à crise contemporânea. São Paulo:UNESP, 2010.

MIRANDOLA, N.S.A. As tecedeiras de Goiás: estudo linguístico, etnográfico e folclórico. CEGRAF/UFG, 1993.

PEZZOLO, D.B. Tecidos: história, tramas, tipos e usos. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2019.

PORTO-GONÇALVES, C.W. A globalização da natureza e a natureza da globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

SACHS,J.D. A era do desenvolvimento sustentável. Actual, 2017.

SALCEDO, E. Moda ética para um futuro sustentável. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2014.

SILVA, C.L. Desenvolvimento sustentável: um modelo analítico integrado e adaptativo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

SOBREIRA, M.A.S. O estudo de têxteis no Brasil: uma pesquisa bibliométrica na base de dados Scielo. dObra[s] – revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, v. 12, n. 25, p. 213–229, 2019.

TORTORA, P. G.; EUBANK, K. Survey of historic costume. 4. ed. Nova Iorque: Fairchild Publications, Inc, 2005.

VEIGA, J.E. A desgovernança mundial da sustentabilidade. Editora 34, 2013.

VEZZOLI, C.; MANZINI, E. O desenvolvimento de produtos sustentáveis. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2011.

Publicado

2024-02-02

Como Citar

DUARTE, Lívia Teixeira; MARCICANO, João Paulo Pereira. O ciclo de vida dos produtos artesanais têxteis e do vestuário de tradição doméstica, seus processos e a sustentabilidade. Modapalavra e-periódico, Florianópolis, v. 17, n. 42, p. 01–26, 2024. DOI: 10.5965/1982615x17422024e0002. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/modapalavra/article/view/22761. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Variata