Design de vestuário: estudo de caso das camisetas utilizadas em manifestações políticas no Brasil e na Colômbia entre 2012 e 2016

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x15362022140

Palavras-chave:

Design de camiseta, Manifestação política, análise gráfica e do discurso

Resumo

As camisetas tornaram-se parte de momentos importantes da moda, revelando-se como uma “bandeira” de conceitos e formas de pensar sobre determinados temas na sociedade. Nas manifestações políticas, elas ocuparam um lugar relevante como forma de divulgar o apoio ou o rechaço a uma temática significativa que teria potencial para afetar uma comunidade, alguns grupos específicos ou um país. Esta pesquisa tem como objetivo analisar o design das camisetas como veículo de mensagens em manifestações políticas. Para tanto, foi feito um estudo de caso das camisetas em manifestações políticas na Colômbia e no Brasil no período de 2012 a 2016.  Uma proposta de análise no uso das camisetas é apresentada, com quatro aspectos principais: tipográficos, uso da cor, simbologia e discurso. Os resultados demonstram a importância do design para influenciar a tomada de decisão, além das semelhanças e diferenças dos dois casos analisados e como o elã no discurso ajuda a fortalecer e transformar uma mensagem gerando novas formas de abordagem, dessa forma impactando o cenário a sua volta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Virginia Tiradentes Souto, Universidade de Brasília

Dra. Virgínia Tiradentes Souto é Professora Associada do Departamento de Design da Universidade de Brasília (UnB). Membro do PPG Design e do PPG Artes Visuais ambos da UnB. Tem mestrado (1998) e doutorado (2006) em Typography and Graphic Communication pela Universidade de Reading, Inglaterra. É coordenadora do grupo de pesquisa Design da Informação (desde 2008), editora gerente da Revista Brasileira de Design da Informação (InfoDesign) e editora associada da Revista Design, Tecnologia e Sociedade, e revisora de vários periódicos. Foi coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade de Brasília de maio de 2013 a maio de 2017. Antes de atuar como professora, trabalhou como designer gráfico (a partir de 2004) tendo sido bolsista de Desenvolvimento Tecnológico Industrial DTI-CNPq, coordenadora da equipe de Design e Comunicação do Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI), membro da equipe de design da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). Suas principais áreas de pesquisa são: Design da Informação, Design de Interação, Criatividade e Inovação em Design. 

Ana Mansur de Oliveira, Universidade de Brasilia

Professora Adjunta II da Universidade de Brasília. Doutora em Teoria e Experimentações da Arte pela UFRJ, é docente colaboradora do Programa de Pós Graduação em Design da UnB. Tem mestrado em Design pela PUC-Rio e é especialista em Tipografia e em Direção de Arte pelo London College of Printing, Inglaterra. Desenvolve pesquisas sobre investigações filosóficas de práticas criadoras contemporâneas, analisando os diálogos possíveis entre Arte e Design como propulsores para geração de inovação. Estuda articulações poéticas entre composições textuais e visualidade, considerando aspectos da arte relacional. Autora da exposição Celebração do Imperfeito - Poética de um encontro possível entre a dimensão finita e o desejo do ilimitado, no Centro de Arte Helio Oiticica, no Rio de Janeiro (2015).

Referências

BARNARD, M. Moda e Comunicação. Rio de Janeiro: Rocco, 2003.

BARTRAM, A. Typeforms a history. The British Library & Oak Knoll Press. 2007.

BRISOLARA, D. Proposição de um modelo analítico da tipografia com abordagem semiótica. InfoDesign: Revista Brasileira de Design da Informação v.6, n 2, 2009.

EMERENCIANO, J. A Comunicação através das Roupas: Uma Compreensão do Design de Moda além da Superficialidade. In: Revista Design em Foco, ed. II v.1. P,9-25, 2005. ISSN: 1807-3778. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/661/66120102.pdf. Acesso em: 9/6/2020.

ERNER, G. Vítimas da moda? Como a criamos, por que a seguimos. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2005.

FARINA, M. PERES, C. BASTOS, D. Psicodinâmica das cores em comunicação. São Paulo: Editora Edgar Blucher. 2006.

FIDALGO, António. Semiótica Geral. Universidade da Beira Interior, Covilhã. 1999. Disponível em: <http://bocc.ubi.pt/pag/fidalgo-antonio-semiotica-geral.pdf>. Acesso em: 11/6/2021.

FONTANILLE, J. Semiótica del discurso. Lima - Perú: Editorial Fondo de Desarrollo Editorial Universidad de Lima. 2001.

GARCIA, C; MIRANDA, A. Moda e comunicação – Experiências, memórias, vínculos. Coleção Moda e Comunicação – Kathia Castilho (coordenação). 2 ed. rev. (reimpr.). São Paulo: Editora Anhembi Morumbi, 2010. 126p.

GASPARI. E. Há golpe. Folha de São Paulo. São Paulo. 2016. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/eliogaspari/2016/06/1786670-ha-golpe.shtml?origin=uol . Acesso em: 23 nov. 2020.

HALEY, A. Alphabet: The History, Evolution and Design of the Letters We Use Today. Thames and Hudson. 1995.

HELLER, E. Psicologia De/ Cómo actúan los colores sobre los sentimientos y la razón. Barcelona: Editorial GG, 2004.

LIPOVETSKY, G. O Império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

LUPTON. E. Pensar con tipos. Editorial Gustavo Gili. Barcelona. 2011.

MARCONDES FILHO, C. Ideologia, São Paulo: Global, 1997.

MEJÍA CORTÉS, J. D. Comunicación política y posverdad: expresiones discursivas de la oposición al plebiscito en Colombia 2016. Diálogos de Derecho y Política, (20), p. 8 - 41. Disponível em: https://revistas.udea.edu.co/index.php/derypol/article/view/332509/20788402 Acesso em: 11/6/2021.

OLIVEIRA,G. Lojas Online de camisetas estampadas: Interação e sentido. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.2015

PASTOUREAU, M. Dicionário das Cores do Nosso Tempo Simbólica e Sociedade. Estampa, 1997.

RICÃO, Luiza. Camisetas: Outdoors ambulantes. Estudos em Comunicação, n. 7 v. 2, . 2010, p.195-211.

SANTOS, F. Comunicação visual, panfletagem política e marca de governo: índices para compreender o cisalhamento do povo brasileiro. Intexto, Porto Alegre, UFRGS, n. 42, p. 17-35, maio/ago. 2018.

SANTOS, G. A Roupa, a Moda e a Mulher na Europa Ocidental Medieval: Reflexo da opressão sofrida pela mulher na Idade Média (século: XI-XV). Dissertação (Mestrado em Arte) IdA – Universidade de Brasília, Brasília DF, 2006. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/6433. Acesso: 11/6/2021.

SILVA, L. L. da. Ideologia, design e moda: estampas feministas em t-shirts, um fenômeno streetwear. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Design, Florianópolis, 2021. URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/229889. Acesso: 11/6/2021.

SILVA, V. BOAS, A. Verdeamarelismo: A narrativa estética das manifestações pró-impeachment. p. 1586-1599 . In: Anais do Colóquio Internacional de Design 2020. São Paulo: Blucher, 2020. ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/cid2020-119

SORIA, S. A camiseta como suporte político. Modapalavra e-periódico, Florianópolis, v. 9, n. 18, p. 171-191, 2016. DOI: 10.5965/1982615x09182016171. Disponível em: https://200.19.105.203/index.php/modapalavra/article/view/6618. Acesso em: 4 abr. 2022.

VANGUARDIA. ¿Por qué la camiseta “amarelinha” ya no une a los brasileños?. Río de Janeiro. 2018. Página web de La Vanguardia. Disponível em: https://www.lavanguardia.com/internacional/20180620/45268646570/ mundial-rusia-2018-camiseta-amrelinha-brasil-divide.html. Acesso em: 10 nov. 2020.

Downloads

Publicado

2022-04-18

Como Citar

ALBARÁN VEGA, A.; SOUTO, V. T. .; OLIVEIRA, A. M. de. Design de vestuário: estudo de caso das camisetas utilizadas em manifestações políticas no Brasil e na Colômbia entre 2012 e 2016. Modapalavra e-periódico, Florianópolis, v. 15, n. 36, p. 140-169, 2022. DOI: 10.5965/1982615x15362022140. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/modapalavra/article/view/21104. Acesso em: 2 jul. 2022.

Edição

Seção

Variata