Mulheres à frente: O Novy Byt e a produção de estampas soviética entre 1923 e 1924

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x15362022086

Palavras-chave:

Construtivismo russo, Estamparia, Modo de vida soviético

Resumo

Diante da Revolução Russa de 1917, cujo resultado propôs um novo modelo econômico que até então nunca havia sido posto em prática, revolucionários se viram na necessidade de criar uma nova realidade que não mudaria apenas as leis e a economia, mudaria também a vida da população em seu sentido mais básico. O chamado Novy Byt era uma formulação teórica de como o cotidiano deveria ser sob o socialismo, e  para a construção deste novo modo de vida, era necessário que se educasse a população nos ideais da revolução, ideais estes que foram absorvidos pela vanguarda artística construtivista, que nos anos seguintes se dedicou a criar objetos que mudassem a forma de consumo da população. O presente artigo dedica-se ao estudo visual das estampas criadas por Liubov Popova e Varvara Stepanova entre 1923 e 1924, que buscavam de maneira gráfica de educar a população nos ideais revolucionários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tamires Moura Gonçalves Leite, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP

Mestra em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Têxtil e Moda - EACH/USP (2019). Bacharela em Têxtil e Moda - EACH/USP (2015). Tem experiência na área de design têxtil, com enfase em estamparia. Temas de interesse: arte moderna, vanguardas artísticas, construtivismo russo, estamparia. 

Antonio Takao Kanamaru, Universidade de São Paulo

É atualmente suplente de Coordenação do Bacharelado Têxtil e Moda-EACH/USP-Leste. Professor-Doutor (MS-3.1, RDIDP) em atuação na EACH/USP, campus leste, no Bacharelado Têxtil e Moda, desde 2009. Doutor em Arquitetura e Urbanismo (Design), pela FAU/USP (2006). Mestre em Artes (Artes Visuais) pelo IA/UNESP, em 2000. Graduado Professor com Licenciatura Plena em Ensino da Arte e Habilitado em Artes Plásticas pelo IA/UNESP, em 1996 (Reg. Prof. MEC-LP 9611240). Ex-bolsista FAPESP em Doutorado, Mestrado e Iniciação Científica. Orientador Pleno credenciado em Programa de Pós-Graduação Têxtil e Moda da EACH/USP-Leste, desde 2010, com 12 mestres orientados e 5 em andamento. Responsável por disciplina sobre crítica à noção dominante em relação ao desenvolvimento sustentável em arte e design (criada em 2010). Coordenou equipe universitária no Projeto Rondon do Ministério da Defesa, edital 2012 - Operação Capim Santo (Estado de Tocantins-Município Palmeirante - região Norte do Brasil). Realiza Extensão no Programa UATI-Universidade Aberta da Terceira Idade da EACH/USP-Leste, sobre arte, memória e solidariedade. Foi Representante Titular em Comissão de Pesquisa-EACH/USP-Leste. É representante Titular em Comissão de Curso do Bacharelado Têxil e Moda (EACH/USP-Leste). Linha de pesquisa: Papel social da arte e do design na cultura brasileira. Coordena de Grupo de Estudo e Pesquisa (GEPARDS ) sobre o Papel e Responsabilidade da Arte e Design. Temas de interesse: ensino da arte e do design; economia solidária; culturas brasileira e japonesa; arte moderna; ensino do desenho e suas novas tecnologias. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-0806-153X 

Referências

ALBERA, François. O que é construtivismo? In: ALBERA, François. Eisenstein e o construtivismo russo: a dramaturgia da forma em “Stuttgart”. São Paulo: Cosac&Naify, 2002.

BOWLT, Jhon E. Constructivism and Early Soviet Fashion Design. In: GLEASON, Abbott. Bolshevik Culture. Bloomington: Indiana University Press, 1985. p. 203 – 219.

DE MICHELI, Mario. As Vanguardas Artísticas. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

FITZPATRICK, Sheila. A Revolução Russa. São Paulo: Todavia, 2017.

MARTINS, L. R. O debate entre construtivismo e produtivismo, segundo Nikolay Tarabukin. ARS, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 56-71, dez. 2003.

KAIER, Christina. Imagine no possessions: the socialist objects of Russian Constructvism. Massachussets: The Mit Press, 2005.

KOLLONTAI, Aleksandra Mikhailovna. A Mulher trabalhadora na Sociedade Contemporânea. In: SCHNEIDER, Graziela. A Revolução das Mulheres: Emancipação Feminina na Rússia Soviética. São Paulo: Boitempo, 2017. p. 150 – 159.

KUPERUS, Els Hiemstra. The Ashgate Companion to the History of Textile Workers, 1650 – 2000. Londres: Routledge, 2010.

LODDER, Christina. El Constructivismo Ruso. Madri: Alianza Editorial, 1988.

POKRÓVSKAIA, Maria Ivanova. Lei e Vida. In: SCHNEIDER, Graziela. A Revolução das Mulheres: Emancipação Feminina na Rússia Soviética. São Paulo: Boitempo, 2017. p. 61 – 69.

SENNA, Thaiz Carvalho. A Questão da Representação Feminina nos Cartazes Soviéticos – Algumas Questões. História e Cultura, Franca, v. 6, n. 1, p. 103-125, mar. 2017.

TROTSKY, Leon. A História da Revolução Russa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

VILLELA, Thyago Marão. A “atenção aos detalhes”: as “questões do modo de vida” e o novo byt soviético. In: Cadernos Cemarx, Campinas, n. 8, p. 85 – 102, Dez, 2015.

Downloads

Publicado

2022-04-18

Como Citar

LEITE, T. M. G.; KANAMARU, A. T. Mulheres à frente: O Novy Byt e a produção de estampas soviética entre 1923 e 1924 . Modapalavra e-periódico, Florianópolis, v. 15, n. 36, p. 86-112, 2022. DOI: 10.5965/1982615x15362022086. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/modapalavra/article/view/16870. Acesso em: 23 maio. 2022.

Edição

Seção

Variata