Ilustração crítica e narrativas subversivas no design gráfico social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630432020175

Resumo

O objetivo de pesquisa do presente artigo está na articulação teórica sobre como o designer gráfico pode utilizar suas habilidades técnicas e artísticas a favor de causas e reflexões sociais. Para isso, foi adotada a ilustração crítica como objeto de estudo. Inicialmente as discussões teóricas foram orientadas aos conceitos que contribuem, exemplificam e fundamentam como a crítica pode ser feita e direcionada a atual sociedade contemporânea. Posteriormente foram escolhidos quatro ilustradores de diferentes países para que fosse possível demonstrar como seus trabalhos corroboram para a compreensão de como design gráfico pode não apenas ser uma atividade profissional que contribui com os objetivos mercadológicos de uma empresa, mas também pode ser um instrumento que instiga o questionamento e a mudança social por meio da construção de um olhar crítico.

Biografia do Autor

Cláudio Aleixo Rocha, Universidade Federal de Goiás/Design Gráfico

Doutor em Arte e Cultura Visual (UFG). Especialista em Docência Universitária (PUC Goiás). Graduado em Artes Visuais com habilitação em design gráfico (UFG). Graduado em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda (PUC Goiás). Professor adjunto do curso de Design Gráfico da Universidade Federal de Goiás.

Referências

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. O que é ideologia? São Paulo: Ática, 1986.

BOURRIAUD, Nicolas. Pós-produção: como a arte reprograma o mundo contemporâneo. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 2002.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo: comentários sobre a sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

HUTCHEON, Linda. Uma teoria da paródia: ensinamentos das formas de arte do século XX. Trad. Teresa Louro Pérez. Lisboa: Edições 70, 1991.

JAMESON, F. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ática, 1997.

MARTINS, Raimundo; TOURINHO, Irene (org.). Educação da cultura visual: conceitos e contextos. Santa Maria: Editora UFSM, 2011.

MEGGS, Philip B.; PURVIS, Alston W. História do design gráfico. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

NEVES, Flávia de Barros. Contestação gráfica: engajamento político-social por meio do design gráfico. In: BRAGA, Marcos da Costa (org.). O papel social do design gráfico: história, conceitos & atuação profissional. São Paulo: Senac, 2011. p. 45-66.

ROCHA, Cláudio Aleixo. Interatividade na comunicação online: Enfraquecimento ou perpetuação da sociedade do espetáculo? Panorama, Goiânia, ano 1, n 1, jan/nov 2011. Disponível em: < http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/panorama/article/view/1602> Acesso em: 26 jul. 2020.

_______, Cláudio Aleixo. Animação interativa: Corpo, imersão e sensibilidade na interação. Artefactum, Rio de Janeiro, ano 8, n 1, jan/nov 2014. Disponível em: <http://artefactum.rafrom.com.br/index.php/artefactum/article/view/232> Acesso em: 26 jul. 2020.

_______, Cláudio Aleixo. Vídeos publicitários interativos: produção de conteúdo e relacionamento on-line. Geminis, São Carlos, ano 6, n 2, jul/dez 2015. Disponível em: <http://www.revistageminis.ufscar.br/index.php/geminis/issue/view/CT > Acesso em: 26 jul. 2020.

_______, Cláudio Aleixo. Multilinearidade narrativa em vídeos publicitários on-line. Comunicação, Curitiba, ano 7, n 7, jan/jun 2014. Disponível em: <https://issuu.com/revista_comunicacao/docs/revista_de_comunicacao_2sem2014> Acesso em: 26 jul. 2020.

VILLAS-BOAS, André. O que é e o que nunca foi design gráfico. Rio de Janeiro: 2AB, 2007.

Downloads

Publicado

2020-10-02 — Atualizado em 2020-10-01

Versões